Translate

sábado, 19 de outubro de 2019

Comprei um ETF no Brasil BBSD11 bom pagador de dividendos.


Primeiramente coloca a musica da musa do blog pra tocar aí:: Lana Del Rey - California que é o que estou fazendo agora, é um soul bem bacana.

Na minha volta ao mercado fui dar uma olhada nos ETFs listados na B3 e me deparei com duas boas novidades: o IMAB11 e o BBSD11.

Esse mês eu investi no BBSD11(S&P DIVIDENDOS BRASIL) um aporte de quase 10k. O meu lado John Bogle me mandou comprar ETFs também.

Não existe estratégia certa para investir e estou testando uma estratégia mista de minha carteira de ações individuais + minha carteira de ETFs no BR, assim me sinto mais confortável em nem ir tanto ao caju e nem a castanha, mas saibam que coloquei 30% do meu patrimônio total em minha carteira de ações no BR e 7,5% em ETFs no BR, ou seja, o total de ETFs que vou ter com o passar do tempo vai ser o equivalente a 25% do meu total de ações individuais, ou seja, para cada R$100k investido em ações, terei mais R$25k investidos em ETFs no BR.

Vamos lá:

O BBSD11 é um ETF que replica a carteira do índice dividend aristocrats da Standard and Poors. Nesse índice eles colocam as 30 empresas maiores pagadoras de dividendos nos últimos três anos.

O ETF é distribuído pelo banco do brasil e tem uma taxa de 0,5%, é um pouco alta mas eu achei que compensa.

Muitos de vocês vão falar em PIBB11, BOVA11 e etc, mas vejam que são coisas bem diferentes e inclusive fui estudar o valuation dos ETFs listados no Brasil e vejam só a minha surpresa, nenhuma distribuidora disponibiliza essa informação aqui. Se você quiser ver, tem que ir num site gringo e procurar o produto por lá.

Vamos começar:

Resultados dos últimos 12 meses de alguns ETFs da B3.



Caramba Frugal! Rendeu 51,5% nos últimos 12 meses contra apenas 36,7% do PIBB11. Legal!

Mas não escolhi ele pela rentabilidade dos últimos 12 meses, óbvio. Primeiro você tem que olhar a metodologia do índice e o valuation do ETF. Fui procurar na página gringa da S&P e achei muita coisa lá.

APÓS LER a metodologia do índice, a qual eu gostei e concordei com a estratégia, é que fui estudar mais o ETF. Esse seria praticamente o ETF do Décio Bazin, autor do livro Invista em ações antes que seja tarde, um livro bem legal sobre a bolsa e com um fundo histórico muito legal, recomendo o livro.

A metodologia você encontra nesse pdf: https://portugues.spindices.com/documents/methodologies/methodology-sp-brazil-dividend-indices-portuguese.pdf?force_download=true


Vamos ver a carteira do ETF:






Lembrando que o ETF NÃO PAGA DIVIDENDOS!
Ele é um ETF DE ACUMULAÇÃO. Os dividendos recebidos pelo fundos são reinvestidos na compra de novas ações da carteira do fundo, de forma a acompanhar o índice.



Desvantagens:

Todos sabem que é a taxa de adm (0,5%aa) o que considero alta, aliás essa é a maior taxa que eu pagaria por um produto financeiro.

Vai pagar 15% de IR na venda de qualquer quantidade de cotas. A minha idéia é não vender nunca, ou então que seja uma das últimas coisas que eu venda, ou ainda, se eu precisar de mais de 20k num mês de uma venda e não quisesse vender nenhuma ação em particular, eu venderia os ETFs, enfim, não é perfeito, tem algumas empresas ruins dentro e tem desvantagens.

Investir é como montar um time de futebol e você é o técnico. Não adianta colocar só atacante num time, ou só meio de campo, cada função tem uma pessoa de um tipo, e inclusive você tem que pensar até no banco de reservas. Colocar um ETF desses numa carteira é uma estratégia de defesa, de seguro e de diversificar melhor os investimentos.

A estratégia de investir em empresas boas pagadoras de dividendos é polêmica e divide muitas opiniões, eu como não quero comprar um lado, fico com um pouco de cada lado, é aquela dúvida que as pessoas tem entre comprar Itaú, Bradesco ou BB, na dúvida compre 1/3 de cada e fique mais tranquilo. Ficar procurando pêlo em ovo ou acertar o olho da mosca só vai lhe fazer perder tempo e se estressar com a atitude de investir.

Legal Frugal, você já mostrou o ETF, a carteira, o custo, a estratégia, MAS cadê o valuation?

Bem, pra mim tá bom, vou picotar o documento da S&P aqui pra facilitar pra vocês, mas se quiserem ler todo (tem mais de 29 páginas tá no site deles):



Para uma boa expectativa de retorno gosto de olhar o P/B (p/vpa) e o P/E (PL).
PB abaixo de 2 acho ótimo.
PL abaixo de 15 é muito bom.
Esse ETF satisfaz esses dois critérios para mim, então tudo bem.

Olhando o desempenho dos últimos 10 anos:



Manteve 11,71% de ganho anual médio nos últimos 10 anos contra 8,43% do IBrX100. Um ganho consistente maior e mais duradouro. E anualizado segue abaixo. Sofreu bastante em 2015 (minha carteira toda caiu quase 16% em 2015).



Minha atual carteira está com 34 empresas para comprar e ainda faltam 30. Coloquei logo o ETF para já diluir um pouco o meu risco. Algumas dessas empresas como Cielo e Vivo eu já tenho na carteira mas não me importo também de investir pelo ETF e o valuation dele está bem atrativo para a minha estratégia simples.

Só olhando essas tabelas de retorno dá pra ver o que eu passei estudando muito e investindo na bolsa. Comecei pesado em 2013, 2014 e 2015, foi muito frustrante na época vendo o valor da carteira cair todo ano, mas já estou bem mais vacinado. A galera que está entrando na bolsa nos últimos 3 anos ainda não sabe o que é isso. Talvez se não fosse por isso eu nem teria aberto a loja, mas tudo bem, tudo na vida é aprendizado. Descobri o que é ser um verdadeiro Buy and Hold a duras penas e o ETF é uma forma de assumir a minha própria insignificância diante do mercado.

Fora esse ETF, coloquei na carteira o IMAB11 e o SMAL11, que vou discutir depois em posts próprios cada um.

É isso aí meus amigos, só quis falar um pouco os motivos que me fizeram comprar esse ativo.

Obviamente NÃO É RECOMENDAÇÃO DE COMPRA.
Todos os ativos financeiros tem seus riscos e cabe a somente você analisar o que serve pra sua vida.

P.S.: Falta algum site ou blog ou alguém que saiba analisar e discutir os ETFs listados na B3. A informação sobre a análise de ETFs no Brasil é extremamente pobre e como esse é um mercado que vai crescer muito, quem tiver disposição e quiser começar a fazer essas análises de forma séria e honesta, eu vejo aí uma boa oportunidade de empreender.

Analisar ETFs no Brasil ainda é mato, assim como os seus volumes de vendas, mas isso vai subir muito, podem acreditar. A série Aristocrats de índices da S&P já existe em vários países e mercados, incluindo EUA obviamente (lá para entrar no índice tem que ter 25 anos de pagamentos de dividendos crescentes).

Grande abraço a todos,
Frugal.

domingo, 13 de outubro de 2019

Os imigrantes trabalham mais?


Boa noite amigos,

Estive pensando algumas coisas hoje e considerando isso com as coisas que já vi na vida.

Como todos sabem, o Brasil é um país de dimensões continentais, e sair do sul pra trabalhar no norte pode corresponder de sair de Moscow pra trabalhar em Londres.

A pergunta é: Será que o fato de uma pessoa imigrar pode ajudar ela a trabalhar mais e acumular mais dinheiro?

Eu tenho uma teoria que sim, e que isso se aplica ao meu caso.

Se eu estivesse na minha cidade natal, cheio de família e amigos por perto, além do mar, trabalharia bem menos e talvez nem tivesse acumulado muito patrimônio. Essa é a minha percepção. Aqui no norte tem muita gente do Brasil todo, nordeste, sudeste, centro-oeste e sul, e eles trabalham muito, querem juntar dinheiro, seja com o que for. Tenho reparado que quem é de fora trabalha mais do que quem é "da terra". Onde vocês moram, já pensaram nisso?

Algumas razões podem explicar isso:

Menos eventos sociais para ir (batizado, casamento, churrasco, bar, peladas, reuniões, happy hour, praiazinha, reunião na casa de amigos e etc...)

Distância da família: compensar trabalhando mais para ajudar mais e viajar mais.

Distância da terra natal: tenho que fazer algum sentido extra em estar morando longe e deixando de aproveitar, então vou trabalhar mais.

Enfim, comparando com meus amigos que nunca saíram de minha cidade natal, estão todos bem, vivendo a vida de modo normal, sem pressa, sem muitas pretensões e se abstendo de viver a vida no modo hard por alguns anos, pois pra eles não faz sentido algum também, e é até explicável.

Por outro lado, pessoas ambiciosas buscam sair da sua cidade para ganhar mais dinheiro fora dela e por isso, talvez, chegam trabalhando bem mais do que as outras nas cidades maiores. Eu vi muito isso quando morei nos EUA. Eu morei em Chicago algum tempo, e 99% dos americanos que conheci não eram de Chicago, eram sempre de alguma cidadezinha em algum estado vizinho e tinham ido pra lá exclusivamente para trabalhar, e muito, mas não porque não tinha emprego na cidade deles, mas sim que pagava um pouco menos e não teriam muitas possibilidades.

A gente vê também isso nos restaurantes árabes e chineses ao redor do mundo. Os caras quase não fecham, ficam abertos até tarde da noite, de madrugada, aquele negócio em família, sempre com alguém a postos pra vender um lanche ou ganhar uns 10 dólares a mais.

Será que essa minha percepção tem algum fundo de verdade ou minha visão está equivocada? Eu nunca vi um texto sobre isso, mas me peguei pensando nisso esses dias.

Bem, se isso for mesmo uma verdade, eu sou um exemplo disso e pelas razões que expliquei acima.

Também tem aquela coisa mágica de um dia voltar para sua terra natal tendo feio a volta por cima e viver com mais tranquilidade e com a certeza que já fez muito do que tinha que fazer no quesito trabalho e patrimônio. É possível vencer na própria terra, com certeza, mas talvez seja fácil vencer vivendo longe de casa e um dia voltando para a própria terra, claro que não são flores, tudo tem o seu preço, e quem vive longe das pessoas que ama sabe o que isso significa. Tem muito brasileiro vivendo ao redor do mundo que sabe muito bem o que é isso.

Você já pensou em imigrar pra ganhar mais? Pode ser dentro do Brasil ou para o exterior mesmo.

Se você não pensou, talvez essa seja a chave para a sua IF. Talvez tenha sido a chave para a minha.

Não estou aqui dizendo que isso é bom ou ruim, melhor ou pior, é só uma alternativa e que tem o seu preço caríssimo.

Por último, nunca li a biografia de uma pessoa admirável, que tenha ficado a vida toda na mesma cidade. A imigração nos faz evoluir muito e amadurecer, que de outra forma, a gente nunca conseguiria se ficasse a vida toda morando e trabalhando na mesma cidade.

Boa semana a todos,
Frugal.

sábado, 12 de outubro de 2019

A sua comunidade é a Matrix.



Olá amigos,

Esse post é muito importante. Leiam, leiam com muita atenção.

Não é um post sobre rendimentos, lucros, resultados ou atualização de patrimônio.

Esse post é sobre comportamento, filosofia de vida, comunicação, linguagem e sobre a sua inserção na Matrix. Leiam com foco total.

Primeiramente vamos a um conceito: Comunidade.

O que é a sua comunidade?

- São as pessoas com quem você se comunica ou se relaciona.

(eu não quero aqui discutir o conceito, assuma esse conceito como o conceito desse post).

Exemplo: família, amigos do trabalho, cônjugue, colegas de colégio, da faculdade, da rua ou do condomínio que você mora ou mesmo amigos que moram no exterior ou pessoas que você se relaciona em alguma rede social, fóruns, twitter, não importa.

Exemplo 2.: Quem interage aqui comigo na blogosfera faz parte da minha comunidade.

Com raríssimas exceções, 99,99% da sua comunidade faz parte da Matrix.

O que isso significa?

Bem, em se falando da Independência Financeira, 90% não sabem que esse conceito existe, 5% já ouviram falar, 4,9% até tem uma vaga idéia do que seja e 0,01% sabe o que é e faz algum esforço pra alcançar essa meta.

Dito isto vamos aos singelos fatos, por exemplo, de como o que você pensa sobre o mundo pode se exteriorizar displicentemente e a matrix não conseguir entender.

Vencer a matrix é o verdadeiro desafio mental e braçal da vida, não se enganem. Ou você vence a matrix ou ela engole você, é simples assim, qualquer tentativa de meio termo aqui neste ponto é apenas uma vitória da matrix, por mais que você queira justificar racionalmente que não é, não adianta.

A matrix luta dia e noite contra você e usa para isso, 99,99% das pessoas que você conhece e toda a sua comunidade. Não que elas saibam disso, elas não sabem.

A luta pela independência financeira é praticamente solitária, ou pelo menos em um casal muito bem amarrado no objetivo, fora isso não espere compaixão, a matrix desce com uma marreta.

Da minha comunidade, eu tenho absoluta certeza que estou entre os 1% que mais trabalham (número de horas), talvez entre os 0,1% que mais trabalham. E por quê eu digo isso? Porque isso é simples e é uma questão de matemática e eu simplesmente sei. Difícil achar por aí quem trabalhe mais de 100h por semana, nem no setor público e nem no privado. Se você for passar de 120-130h por semana é praticamente impossível colocar aí mais do que 5% da sua comunidade. E não adianta fazer conta de 8h de sono, não é assim que funciona.

E por que eu faço esse alerta e venho lhes lembrar disso?
Pra que vocês não adormeçam e deixem a matrix lhe pegarem fortemente.

Eu estou no meu caminho, juntando o meu patrimônio, ainda sou novo, a minha estratégia é tosca, arriscada e perigosa, mas tem dado certo, eu não estou me gabando, estou apenas dizendo o que penso e acho e que efetivamente financeiramente tem funcionado. Os resultados estão aí e quem me acompanha sabe, então se você começa a ter bons resultados vai ficando independente e fincando seu pé num território que a matrix não lhe atinge mais, isso vai parecer louco ou desajustado pelos matrixianos, tem que ter a cabeça feita e saber situar-se perfeitamente no seu tempo e espaço, isso se chama auto-consciência.

Vão surgir críticas? Sim, muitas.
Vai ser fácil? Não, não vai.

Pra vencer você vai ter que ser um "desajustado". De alguma forma sim.
Não tem como vencer estando perfeitamente integrado na Matrix. A integração é a derrota.


O seu estilo de vida, comportamento, hábitos de consumo e carga horária de trabalho vai ser bem diferente da maioria ou muito excêntrico? Sim, com toda a mais absoluta certeza, sem sombra de dúvidas!

De outra forma, como você quer chegar num lugar que pouca gente chega? Fazendo o que a maioria faz? Não tem sentido algum.

Quantas pessoas de 40 anos de idade que você conhece ganham R$10-15k mensais em dividendos de forma passiva? Poucas não é? E de 35 anos? Menos ainda.

Pois é.

Vivemos num país em que 64% das pessoas não ganham nem R$3k por mês, trabalhando, imagina uma que ganhe 15k sem fazer nada.

Apenas 10% dos brasileiros ganham acima de 7k mensais trabalhando.
Se você ganha mais de 7k mensais trabalhando, você está entre os 10% mais ricos da população. Ficou impressionado?

Olhe a figura:

Apenas 3% das famílias tem renda mensal entre 10-20k TRABALHANDO!



Imagina quantos porcento da população ganham entre 10-20k mensais PASSIVOS?

É aqui onde estamos. Procurando as falhas da Matrix.

Esses dias eu estava conversando com parte de um grupo da minha faculdade (a metade que só tem os homens) e veio a tona o quanto a gente estava trabalhando (não falamos em dinheiro e valores), mas eu falei que trabalhava todos os dias de domingo a domingo, e claro, o mundo veio abaixo. A matrix nunca entende ou entenderia. Não espere compreensão, discernimento, compaixão ou aceitação da matrix, ela foi feita para lhe escravizar.

Também não se sinta deslocado, não se sinta anormal, não se sinta uma pessoa que está agindo errado na vida. A vida é isso, escolhas.

Há quase cinco anos que eu escolhi que iria trabalhar como uma mula, estudar pra caramba, estudar investimentos, me destacar nos meus aportes, me dedicar na minha profissão, evitar consumismo inútil e ineficiente e aqui sigo. Quem sabe nos próximos 3-5 anos eu tenha atingido a minha liberdade financeira (que pouquíssimas pessoas conseguem) e esteja livre da preocupação em ganhar mais dinheiro para pagar as contas, essa é a diferença.

Para muitos leitores, ainda mais no mundo de hoje, do vitimismo e da petulância infantil em se sentir ultrajado com tudo, esse post pode parecer apenas para amaciar o meu ego, mas não é. Estou tentando mostrar pra vocês na prática como é difícil chegar longe, como é difícil se manter assim e como não sucumbir à matrix.

Tem que ter muita força mental, tem que ser uma locomotiva em cima do trilho e embalada, faça chuva, sol, neve ou tempestade de areia. Ou você levanta, vai lá e faz, ou ninguém vai fazer isso por você, é simples assim.

E eu digo isso porque eu sou brilhante?
Também não.

Pra falar a verdade, eu sempre fui mediano em tudo na vida, nas notas, nos esportes, em qualquer habilidade, em conquistar mulheres, em dançar, em ser um cara querido na roda dos amigos, e enfim, eu me daria uma bela nota 7,0 em quase tudo na vida, e essas eram a maioria das minhas notas na escola e na faculdade. Eu sempre me contentei em ser um nota 7, eu só queria passar de ano e de semestre.

Da mesma forma não me considero um bom investidor, nunca tive grandes retornos, já fiz muitas merdas, entrei em empresa ruim, fiz grandes giros, torrei uma nota pra montar um negócio que eu não tinha intimidade, nem experiência, praticamente do nada, baseado até hoje em não sei em quê.

Então qual a minha grande habilidade até hoje?

Sinceramente, trabalhar pra caramba (bem acima de 95% das pessoas que conheço ou conheci), ler talvez acima da média, escrever esse blog, ser humilde no trato com as pessoas, consumir muito pouco, ter uma vida modesta e bem abaixo das minhas possibilidades, é isso, sem muito segredo onde não tem.

Nunca comprei um excelente ativo, nem tive uma carteira vencedora, ou sei analisar profundamente um negócio. Isso daí tudo eu raspo, dou uma pincelada na superfície e pronto. O que eu sei de Itaú, B3, Engie? Disney, Black Rocks, SWDA, CPXJ, DAXEX? Praticamente nada, bulhufas. É olhar alguns quadros, alguns releases, comprar e acreditar, é um jogo de aposta e fé, e fugir das bombas óbvias. Se for pra fundo imobiliário a coisa piora muito mais.

Não temos controle algum e não sabemos nem 1% do que acontece ali dentro ou o que vai acontecer, e pior, nem mesmo temos consciência do tamanho estelar da nossa ignorância, pequenez e insignificância.

A verdade é que finanças quanto mais você estuda, mais você fica perdido, tem uma hora que você chega num platô e tudo se repete e você não tem mais pra onde ir, tudo vira adivinhação de futuro, e de setor e de empresa, não existe racionalidade alguma, é só esperança.

A Xiaomi, a Tencent, a Alipay vão dominar o mundo? Não faço a menor idéia e nem ninguém faz, por isso que cada dia sou mais fã de Bogle e sempre me pego pensando em jogar tudo em grandes ETFs e deixar tudo pra lá.

Enfim, saindo do assunto de finanças e voltando para a matrix:

Tenha em mente que 90% das pessoas que você conhece vão se aposentar sabe-se lá quando, pelo INSS, ou por idade, ou por invalidez, ou mesmo vão morrer antes disso, enfim por algum evento oficial, aos 60 anos ou mais, bem provável mais de 65 e com uma renda totalmente ignorada por enquanto, principalmente quanto mais longe for, o cenário é pior, mesmo pra funcionário público federal, as nuvens no horizonte são negras para todo mundo em se falando de Brasil. Não há garantias.

Destacar-se e manter-se no topo dos 10% da sua comunidade já é dificílimo trabalhando, e mais difícil ainda tendo uma renda alta na IF. Ninguém vai entender, ninguém vai compreender, pouca gente vai acreditar e até algumas pessoas vão ficar com inveja ou torcer contra, e claro, muitas vão lhe taxar de doido ou sei lá o quê.

O caminho é dificil e para muito poucos, isso é um fato. E enquanto você não entender isso e não se transformar na sua própria locomotiva vai estar sujeito a ser sugado para o fundo da lama da matrix.

Por hoje é isso amigos, grande abraço a todos!
Frugal.

quarta-feira, 2 de outubro de 2019

Minha Holding FRUG3.SA Outubro/2019 R$ 362.293 +5,36%


O recomeço da minha carteira:

Comprei 200 ações do BBAS a mais de 43 reais.

E pensar que comprei isso aí por uns 18 reais antigamente. É duro ficar fora da bolsa e vender suas ações. Agora é muito mais difícil e mais caro para recomprar as mesmas ações, fui fazer as contas e o LPA deu um pouco mais de 10 reais no tempo que eu estive fora, então se fosse somar apenas o lucro ela deveria estar uns 28 reais, mas apesar disso o valuation e os resultados do banco continuam bons para ser sócio, não gosto de comprar empresa estatal, só tenho BB e Cemig na carteira (cemig tenho esperanças de que será privatizada e ainda vai gerar muitas alegrias para os acionistas).

Sobrou um restinho de dinheiro na conta da corretora e comprei Cielo no fracionário pra tentar juntar um lote padrão.

Vou postar aqui os resultados da holding todo mês imediatamente após o aporte e o valor será a valorização mais os aportes, não gosto de calcular rentabilidade e não vejo muito sentido nisso. Se eu fizer mais de um aporte no mesmo mês, venho aqui e atualizo o mais breve possível.

Mês que vem já será Novembro e preciso pagar os primeiros 50% da folha do 13 dos funcionários, então resolvi não tirar dinheiro da conta da empresa esse mês, só vou retirar no mês que vem após pagar a folha, impostos e despesas e ver quanto sobrou, finalzinho de ano já tomei um susto no mês passado.

Aportei mais 10k num RDC (cdb) do meu banco, para ficar um pouco mais tranquilo, afinal de contas fazem dois anos que eu estava vivendo sem reserva alguma, agora fico mais tranquilo, próximo mês além de pagar o 13 também vou provisionar 10k para a conta da PJ e ir aumentando minha tranquilidade nela, e depois mês a mês ir provisionando 3-4k para aumentar as reservas da PF e da PJ até chegar numa quantia que me deixe tranquilo (ainda não sei quanto vai ser).

Uma coisa que muito me incomodou nos investimentos mas que nunca fiz nada a respeito, foi o fato de eu comprar logo as ações ou outras coisas e ficar sem reserva, hoje em dia acho essencial ter uma boa reserva e mesmo assim continuar aumentando ela. Dessa vez vou fazer as coisas direito, sem ser afoito.

Descobri um bom ETF de Renda Fixa, o IMAB-11, do itaú, tem uma taxa baixa de 0,25% e compra titulos variados do Tesouro Direto com prazo médio de sete anos, gostei bem do que li e a tributação na venda é de apenas 15% em cima do preço do lucro da cota, em qualquer tempo, ou seja, não tem come cotas e não precisa esperar aquela tabela chata da RF de tantos dias para sacar e pagar o IR. Esse ETF juntamente com um TD mais longo como o 2050 vão ser o centro das minhas compras de RF.

Seguem os dois gráficos de diversificação geral do patrimônio e um exclusivo das ações:






Como podem ver, estou muito concentrado em imóveis e essa concentração ainda vai subir mais um pouco até Janeiro/2020, depois disso ela vai diminuir mais acentuadamente com os novos aportes. Além do mais estou pagando uma prestação alta de um novo terreno então ela vai sempre crescer também.

Resumindo o que fiz esse mês:

Aporte em Banco do Brasil (200 ações) e Cielo (400 ações).
Aporte de 10k em RDC para reserva de emergência.
Aporte de 25k em prestação do terreno.

Total aportado aproximado = 46,5k.

Espero que essa grande bola azul que é equivalente à loja me dê muitos filhotinhos todo mês. A outra bola maior azul é o ap que eu moro e é quitado. 

Se vocês forem comparar esse gráfico com o anterior, vão ver um aumento relativo de Cielo e Banco do Brasil, mas Eztec continua muito na frente pois tenho mais de 4500 ações só dela.

As bolinhas laranjas são da RF, debentures CEMIG + o RDC desse mês.
Em laranja mais claro são moedas que tenho no exterior: dolar e libra esterlina (na conta da IB) e outra bolinha minuscula lá em cima é uma ação que tenho da Black Rocks (apenas uma mesmo) e a outra bolinha em baixo é um pouco de ações que tenho da CVS.

Estou montando a minha carteira de ações no BR e ela está com 30 ações para comprar. A de fundos imobiliários está montada, mas com esse yield baixo não estou muito animado pra começar a comprar eles não. Talvez eu passe todo o ano que vem apenas aportando em ações no BR e se o câmbio baixar aporto um pouco no exterior (isso se o dólar comercial ficar a menos de R$3,70) - Se ele ficar acima disso não vou aportar mais, exceto comprar moeda pra viajar, de qualquer forma, vou comprar um pouco de dólar todo mês pensando apenas em gastar com viagem já que pretendo fazer pelo menos uma viagem ao exterior todo ano.

Grande abraço a todos, 

Frugal.