Translate

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Pare de remoer o passado


Eu sempre gostei muito de Física, mais particularmente de Cosmologia, desde criança eu era fascinado pelo espaço sideral, por planetas, estrelas, constelações, nebulosas e por aí vai, eu acho que isso começou quando eu assista a Cavaleiros do Zodíaco, na terceira série do ensino primário, acho que em 1994 ou 1995, o Brasil era tetracampeão na copa da Fifa, e certamente um dos melhores momentos da minha vida era assistir Cavaleiros do Zodíaco, jogar vídeo game na locadora ou jogar bola nas ruas de areia com traves improvisadas com tijolos de alguma obra próxima (a gente nunca devolvia os tijolos), inclusive em dias de chuva a gente jogava molhado, na terra molhada, na lama, por cima das poças de água, de qualquer jeito, e era bom demais.

Ikki de Fênix era o cavaleiro que eu mais gostava, ele era o Poder.


Ainda bem que gostei muito do desenho, hoje em dia devo a minha pequena paixão e fascinação pela cosmologia a este desenho japonês, e quem sabe isso possa ter tido implicâncias no resto da minha vida, como por exemplo, eu sempre quis ter uma camisa dos cavaleiros do zodíaco e nunca tive, minha irmã me prometeu mas nunca me deu, poderia ser qualquer uma do camelô que eu ficaria feliz, eu também sempre quis ter aqueles bonecos dos cavaleiros de ouro, mas nunca tive, no máximo o que eu cheguei a ter dele eram as figurinhas das balas Zung, coloridas, muito populares na época.


O que tem a ver o passado com Cosmologia? Tudo.

Cosmologia é uma ciência linda, altamente refinada, complexa, apaixonante, profunda e filosófica. Gostar de cosmologia pode me ter feito uma pessoa melhor e mais profunda, além de compreender certos conceitos metafísicos, físicos e existenciais.


Posso falar em alguns livros que li para começar, um que se chama O Gene Egoísta, do autor queniano, Richard Dawkins, biólogo. O livro aborda um conceito interessante sobre o DNA e o papel dele, e o seu no mundo, esse livro, se não me engano, foi a tese de mestrado do autor. É um conteúdo intrigante e revelador que tem ali dentro. Basicamente, o autor afirma que o nosso DNA usa nosso corpo para pular de geração em geração, e que somos programados para sermos descartados por ele, que se passa para a próxima geração e assim atinge a sua perpetuidade no tempo (pelo menos 50% dele a cada geração), além do mais o DNA mitocondrial presente nos seus genes maternos tem milhões de anos de evolução (quantos anos você acha que tem o DNA mitocondrial presente no seu corpo, nesse momento?).



A partir desse livro, gostei do autor, e li outro na sequência, “O relojoeiro cego”, nesse livro finalmente eu entendi melhor a evolução das espécies, segundo Darwin, quem é muito religioso e criacionista vai ficar bem perturbado depois da leitura desse livro, acho que ele foi fundamental para que eu me tornasse ateu.

Depois de conhecer Dawkins, parti para a leitura de Carl Sagan, no clássico “O mundo assombrado pelos demônios”, o tipo do livro que todos os seres humanos do planeta deveriam ler, é simplesmente sensacional, do começo ao fim, aborda todas as formas de pseudociências, feitiçarias, picaretagens, terapias alternativas, seitas, trambiques, farsas e muito mais, tudo através do entendimento do espírito científico, esse é um dos maiores presentes que Carl Sagan deixou para o mundo, além do seu livro “Cosmos” que originou o belo seriado, apresentado por Carl Sagan em pessoa (que eu assisti na escola que eu estudava, pelo projeto TV ESCOLA) em fita VHS e televisão de 20 polegadas, pendurada no alto da sala, dentro de uma caixa de grade enferrujada e no som da TV mesmo. Assistir Cosmos mudou minha vida, muitas coisas mudam nossas vidas e temos que reconhecer.



Nossa existência e nosso caminho no universo é influenciado todo dia por diversos fatores, mas poucos mudam a nossa rota. Somos um ponto de luz na escuridão partindo de um ponto específico e lugar no nosso nascimento e atravessando o tempo deixando um pequeno rastro atrás de nós, que pode ser bom ou mau, duradouro ou passageiro, e algumas coisas causam inflexões, mudanças na rota desse ponto, algo acontece, impacta sua vida, e a trajetória do ponto vai pra cima, pra baixo, para ou lado ou outro, ou pega uma diagonal nos três eixos dimensionais por onde você nunca tinha pensado em ir. E um dia, não importa o que aconteceu na trajetória do ponto, ele irá se apagar, assim como seus rastros. Temos bilhões e bilhões de pontos e rastros apagados na humanidade. Muitas pessoas não sabem nem onde nasceram os avós ou os bisavós, nem o que fizeram, não sabem nada da história deles, são pontos completamente apagados da Existência.


Filmes como Contato (com a Jodie Foster) – inspirado num romance de Carl Sagan, Interestelar (Jessica Chastain) – estão lembrados?, Perdido em Marte (The Martian) – com Matt Demon e vejam só, Jessica Chastain como a chefe da missão, além outros seriados que falam de viagem no tempo e no espaço são meus preferidos também. De certa forma o passado cosmológico nos ajuda a pensar sobre o nosso presente e sobre o nosso papel no mundo e nas nossas próprias vidas, acalmando muito mais e dando tranquilidade e serenidade para viver uma vida bem vivida e com significado.

Contact - Filme baseado no livro de Carl Sagan (de mesmo nome).



Jessica Chastain em Interesttelar


Jessica em Perdido em Marte.


Não fique remoendo o passado, se martirizando por coisas que fez, que não fez, que deixou de fazer e por aí vai, são infinitas possibilidades e infinitas combinações, não dá pra sofrer por todas elas. Geralmente o pensamento começa com “e se”? E se é um erro. Pense sempre diferente do “ E se”, foque no presente e no futuro, “e se” dificilmente vai lhe ajudar pro futuro, pois você não vai ter uma oportunidade de testar sua hipótese, o planeta Terra e o tempo não são nosso laboratório.

"E se eu tivesse casado com minha primeira namorada?
E se eu tivesse morando na mesma cidade desde sempre?
E se eu tivesse estudado mais para aquele concurso?
E se eu tivesse comprado tudo de bitcoin em 2013?
E se eu tivesse all-in em ações ou numa única ação específica?
E se eu tivesse sempre comprado somente fundos imobiliários?
E se eu nunca tivesse comprado nenhum imóvel pra mim?
E se eu tivesse estudado um pouco mais e tivesse conseguido emigrar?
E se eu tivesse num emprego comum na Europa ou EUA e casado com uma gringa?
E se meu inglês fosse fluente desde que eu tinha 15 anos?
E se eu soubesse tocar guitarra, piano, violão, gaita e violino? Onde eu estaria agora?
E se eu tivesse trabalhado mais, poupado mais e investido melhor?"

Estão vendo? São várias combinações de perguntas que não vão dar a lugar algum. E pra mim é difícil não pensar nelas, eu penso, mas não deixo esse pensamento crescer e tomar conta de mim, o passado não volta mais e não posso mudar mais nada, está feito.

Às vezes você pode achar que a solução da sua vida seria voltar no tempo e fazer as coisas diferentes, mas você seria outra pessoa hoje, em outro lugar e talvez com mais problemas, e consequentemente numa situação muito pior.

Eu sei que poderia estar bem melhor hoje se tivesse tomado algumas decisões, que causassem uma inflexão grande no ponto da minha vida, mas também não estou mal, eu me sinto vencendo e isso me deixa feliz, sei que sou um orgulho para os meus pais e para os meus irmãos, amigos e alguns familiares, mas como eu disse, não dá pra ficar se lamentando por não ter sido perfeito, e outras vezes precisamos apenas dar mais tempo ao tempo.

A ansiedade pela liberdade financeira pode ser ruim em alguns dias, pois você pensa mais nas perdas do que nos ganhos, e pior, pensa no que deixou de ganhar se fizesse isso ou aquilo, não dá. Olhando pra trás fica muito fácil acertar, pois você já sabe o que aconteceu, e perde a oportunidade de fazer um futuro melhor, que pode ser bem melhor do que aquele da opção que você julga que seria a melhor. A trajetória da linha do ponto da nossa vida sempre será um mistério completo.

Grande abraço,
Frugal.

domingo, 18 de fevereiro de 2018

O grande alívio


É impressionante como a gente lê umas coisas e não entende, mas vem o tempo e mostra que a nossa hora ia chegar.

Às vezes me espanto sobre o quanto de dinheiro eu trabalho atualmente, o volume de recebíveis, pagamentos, dívidas, folha, valor da fatura do cartão, valor dos bens, etc etc etc. Pode parecer esnobe, mas não é, eu vou falando aqui com a naturalidade de quem já vive com transações financeiras maiores, isso simplesmente aconteceu com o tempo, fruto de muito trabalho, poupança e investimentos, alguma sorte, suor e lágrimas.

A frase do Mille " Quanto mais o tempo passa, mais você economiza, mais você gasta e mais você investe" é pura verdade. Vejam que meu apartamento próprio meu custou quase 300k, agora esse imóvel que comprei pra colocar a loja custou quase 1,7 milhão incluindo a corretagem e os custos de cartório, dá o preço de quase cinco apartamentos que eu moro, mas a dificuldade pra pagar foi menor, pois eu já tinha uma reserva. A dificuldade para comprar meu primeiro imóvel foi enorme, eu não tinha reservas e meu financiamento foi negado.

Agora tenho uma despesa fixa de 25k mensais com a loja, podendo ainda subir caso eu contrate mais funcionários, fora as minhas despesas de pessoa física que estão em 9,5k conforme demonstrado em outro post, ou seja, uma despesa mensal de 36k apenas para sorrir, muita coisa não? Isso seria totalmente inimaginável e impraticável para mim há três ou quatro anos atrás, mas simplesmente acontece, e nem por isso estou rico, pra falar a verdade nunca trabalhei tanto e estive tão ocupado na minha vida, sem tempo pra ler ou mesmo ir numa academia de musculação.

Se você acha que ser patrão é "não trabalhar" você está terrivelmente enganado. O empregado acabou o horário dele, tchau, só no outro dia, o patrão fica, leva trabalho pra casa, fica pensando no negócio, tem emails pra responder, planilhas pra preencher, pessoas pra ligar, fornecedores pra ligar, boletos e mais boletos pra pagar, conferir os estoques, o mobiliário, rezar pro imóvel estar tudo ok, desde goteiras, portas, janelas, ar condicionados, limpeza, material de consumo pra loja e por aí vai, até das redes sociais como instagram e facebook eu cuido, tanto as postagens como responder os comentários e por aí vai.

Pra vocês terem uma idéia, eu sou o meu marketeiro, meu officeboy, metade do meu comercial, meu gestor, meu administrador, meu financeiro, meu gerente de compras e também de obras e reparos.

Enfim, não dá pra contratar uma pessoa pra cada coisa e você acaba tendo que fazer tudo, por onde tiver e como estiver, o que me chateia é que eu queria ter mais tempo para a área comercial, mas ainda não está dando e nem temos a estrutura montada ainda conforme eu planejei, dependo do fim da obra de expansão para mudar as salas de lugar e ter uma sala pra mim (olha só que fantástico, nunca tinha imaginado isso, nessa sala vou despachar e fazer minha parte do comercial).

O movimento da loja na primeira quinzena de Fevereiro foi comparável a Janeiro, mesmo com carnaval atrapalhando, parece que as pessoas estão acordando pro meu negócio finalmente. Eu estimo um FC positivo já em Março e Abril e claro, espero que daí pra frente sempre positivo, acima de 10k, já estaria bom pro primeiro semestre, acima de 20k estaria excelente pro segundo semestre.

Eu parei de atualizar aqui as contas pois tinha tanto extra que ficava chato de justificar. A obra saiu muito mais caro que o imaginado (30% mais) e tive muita discussão com o responsável, eu achava que ele tinha orçado tudo, mas ele continua incluindo coisas novas agora e me cobrando mais, difícil sair da sua área de atuação pra perder dinheiro pra qualquer um, o pior é que não tenho muito o que fazer pois não fiz um contrato escrito da obra, com todos os itens discriminados, um por um, e além disso pedi muita coisa extra (mas paguei certinho pelas coisas extras) - as chuvas da região Norte também atrapalharam bastante, tive goteiras inesperadas e que trocar todo o telhado por exemplo.

Frugal, qual foi o grande Alívio que você colocou no título do post?

Bem amigos, o grande alívio foi que a CEF librou o dinheiro e ele entrou na conta da proprietária do imóvel, portanto estou quite com ela e sem a puta amolação dela no whatsapp e me ligando quase todo dia pedindo dinheiro, tive que tomar um empréstimo com meu irmão pra adiantar uma parcela pra ela (algo em torno de 100k).

Como eu falei todos os valores na minha vida estão assustadoramente altos nesses dias, mas agora só devo à CEF, tudo que eu queria era só ter essa prestação pra pagar e pronto, sem mais amolações. Minhas preces foram atendidas, o próprio FC positivo a partir do mês que vem já paga essa prestação, vou fazer uma pequena reserva na conta da PJ e depois direcionar tudo para pagar o imóvel o mais breve possível (ainda tenho que gastar 50k pra mobiliar os novos espaços a serem entregues após a obra

Falta pagar a última prestação da obra (36k) e mobiliar (50k), após isso só precisarei pagar as despesas minhas, da PJ e a prestação que começa em quase 9k.

Apesar desse monte de conta e de dinheiro, o pior já passou, estou com FC positivo já nesse mês e espero que ele aumente, só deverei a prestação do financiamento.

UFA!

Tirei um caminhão de areia das costas. Confesso que tive horas de muita tensão por tanta coisa que se avolumou pra pagar e nada de eu receber meus pagamentos, e ainda mais o FC negativo e problemas com a obra... Passei um perrengue bom em novembro e dezembro de 2017.

Resultado final até agora: Tudo que eu devo menos tudo que eu tenho pra receber, pra fechar tudo, obra com mobília e financiamento está dando -500k, os quais vou começar a pagar agora a partir de março de 2018, numa hipótese conservadora e realista eu termino de pagar em março ou abril de 2019, quem sabe, se as coisas derem muito certo e o FC for maior que 15k-20k mensais aí vai ajudar bastante. Dividindo 500k por 12, vai dar uma parcela de 41k, sendo 10k ou mais de sobra do FC da loja e mais 30k do meu bolso, realmente foi muito dinheiro de uma vez pra tudo isso, mas pelo menos a coisa vai se controlar e o investimento foi numa coisa de VALOR.

Grande abraço amigos!
Faz muito tempo que eu queria dar essa boa notícia aqui!

Frugal.

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Sem saco para o carnaval


Ano passado eu viajei pro carnaval, esse ano fiquei em casa, quem sabe próximo ano eu viajo.

A questão é que estou bem cansado de viajar, só queria ter tempo para focar em mim e nas minhas coisas, mas muitas viagens aparecem devido ao trabalho, ou acadêmicas, ou por questões familiares, e não é barato sair do Norte pro Nordeste do Brasil, ás vezes é mais barato uma passagem para a Alemanha ou Tailândia. Faz uns 3 anos que todo santo mês pago parcela de passagem de avião no meu cartão e me lembro o quanto é caro.

Aproveitei para trabalhar, ler e ficar na minha nesse carnaval. Além de não ter gastado nada, ganhei um bom dinheiro, e na condição de financiado com imóvel pela CEF não me vejo no direito de curtir e brincar igual um babaca. A obra está 90% concluída, mas ainda preciso gastar com mobiliário de toda a parte que vai ser ocupada, e também vou gastar com jardim e plantas.

O pagamento do cartório e do ITBI da prefeitura foram o tiro de misericórdia em todas as minhas reservas financeiras (quase 50k) e, depois de muito tempo nunca me vi num aperto tão grande, estou tendo que me desdobrar com vários cartões, faturas e boletos, e o dinheiro que me devem, ninguém me paga. Uma das coisas que me deixa mais puto no mundo é trabalhar e não receber, ou então receber com muito atraso (e claro sem poder cobrar juros). Essa foi definitivamente uma das razões de empreender. Para aliviar um pouco a tensão vendi quase 10k dólares de minhas ações no exterior e estou trazendo esse dinheiro de volta ao Brasil (QUE FASE!), mas acredito que em Março tudo vai estar ok pois tenho dois pagamentos bons pra receber no fim de Janeiro (e quem sabe, depois disso, operar tudo no azul exceto pelo financiamento).

Quase não tive tempo e nem saco para acompanhar o carnaval de lugar algum, só vi fotos dos amigos viajando e curtindo nas redes sociais, mas a vida é assim mesmo, com altos e baixos, próximo ano talvez eu esteja bem melhor.

Espero que as pessoas acordem para consumir agora depois do carnaval e aumente o movimento na loja, Janeiro foi um mês bom na loja, fechei no zero a zero e pela primeira vez, além de não precisar aportar mais nada nela, ainda sobrou um troco pra Fevereiro, o que não está nada mal pois abrimos em Outubro.

To achando a blogosfera meio parada desde o fim do ano passado. Será que o pessoal se cansou?
Eu vou manter as postagens e tentar melhorar um pouco a qualidade.
De novidade mesmo estou aumentando a equipe da parte comercial da loja e vamos correr a cidade divulgando, fazendo parcerias, visitando outras empresas e etc. Parei de gastar dinheiro com Google e com rádio, a rádio acho que foi o que deu o melhor resultado, o Google acho que não deu nenhum.

Mal o carnaval termina e começa a pipocar mensagem e emails de coisas da loja.

Bom 2018 pra gente pessoal!

Frugal.

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Comparando investir na bolsa com empreender




Passei quatro anos investindo pesadamente na bolsa de valores do Brasil, juntei um bom dinheiro lá e estava numa boa condição para continuar, mas retirei quase todo o meu capital para empreender com uma franquia na cidade que estou morando e de quebra comprar um imóvel de valor elevado.

O que aprendi até agora com isso?

Muita gente que empreende pensa isso " Por quê fui me meter nisso"? Talvez principalmente no primeiro ano que é o mais cruel sem dúvida alguma.

Eu ainda estou nessa fase altamente instável e estressante, gastando dinheiro num buraco fundo sem fim e tendo pouco retorno, muito trabalho e muita amolação.

De uma coisa eu sei, o amadurecimento está sendo enorme, o aprendizado, a vivência, a experiência no mundo comercial do setor privado, as relações com empregados, fornecedores e etc.

Vamos começar pelo começo:

É MUITO BOM INVESTIR NA BOLSA!


O povo brasileiro desconhece esse fantástico instrumento de investimento, confortável, simples de analisar (pra quem estuda e lê), o bolo sempre crescente, os aportes mensais, os dividendos, o crescimento da carteira, a DIVERSIFICAÇÃO entre várias empresas e consequentemente do risco, a liquidez e o dinheiro praticamente no bolso o tempo todo, ninguém te amola, única preocupação é ler um balanço anual de cada empresa e declarar tudo certinho no Imposto de Renda.

Hoje eu tenho ABSOLUTA CERTEZA que nasci pra investir na bolsa para todo o sempre, seja a brasileira ou seja no exterior. É um investimento seguro, conservador, líquido, fácil de operar, de analisar e de manter.

Fazendo tudo certinho, comprando empresa boa, ou bons ETFs no exterior você pode acumular riqueza para sempre e de forma racional, organizada e lucrativa. PONTO. Sem procurar bala de prata, sem procurar empresa falida, sem procurar agulha no palheiro, sem grandes apostas, sem jogar dinheiro no lixo, apenas comprando empresas boas e topo da pirâmide como diz o Mille.

A possibilidade de você quebrar ou falir fazendo isso na bolsa é mínima. Você pode não ter retornos espetaculares de 15-20-30% a.a mas tudo bem, uma média histórica de mais de 6% além da inflação sempre estiveram do lado de quem investiu no SP500 ou ibov ou mesmo na bolsa da Suécia.

Eu nunca havia me dado conta do quanto era bom estar dentro da bolsa só vendo o bolo crescendo, reinvestindo, vivendo minha vida, olhando ali de vez em quando a bola de neve subindo e reinvestindo os dividendos, bons tempos. Espero que em 2019 eu volte pra bolsa com um pé direito e aportando 80% do meu salário + os ganhos da franquia (após fazer uma boa reserva de emergência para a PJ).

Sabe aquela ex-namorada que era muito boa pra você, o namoro era excelente e a relação maravilhosa e você não se dava conta disso? Pois é, esse é o meu caso com a bolsa brasileira e também a global. Voltarei e não mais sairei até o fim dos meus dias na terra. Esse é um ponto importante e uma lição que aprendi.

Você pode achar que estou só falando as vantagens da bolsa e etc etc. que conhece casos de caras que colocaram um apartamento em OGX, outro cara que se fudeu com derivativos, outro cara que se ferrou em COE, operações estruturadas e etc etc etc... blá blá blá

Pessoal, não é a bolsa por si só, era o método que eu seguia, o bom e VELHO Buy and Hold.
Se você quiser aprender já está muito bem descrito por Buffet, Fischer, Bastter, Lírio, Barsi etc...
Estude as empresas, compre empresas boas, sem dívida descontrolada, FCL positivo e crescente, coisas sem pendências jurídicas, sem dívidas enormes ou em outras moedas, compre um pouco de cada.

ESQUEÇA A GRANDE CACETADA, ESQUEÇA A BALA DE PRATA, ESQUEÇA A AÇÃO QUENTE, ESQUEÇA COMPRAR EMPRESA COM PL DE 3-7, ESQUEÇA TRADE, ESQUEÇA ANÁLISE GRÁFICA, FUJA DE DERIVATIVOS.

Empresa boa é CARA. PONTO. Uma empresa boa dificilmente vai ter PL menor do que 10. Um PL de 10-15 é muito tranquilo e bom de comprar se a empresa for boa. De 15-20 normal para uma empresa realmente boa e sem rolo. Acima de 20 aí já tem que ser uma empresa excelente e com muita perspectiva de crescimento, então vá com calma nessas. É só isso.

Contei acima as vantagens do Buy and Hold, de investir na bolsa, de ser tranquilo no mercado, de ver o bolo crescer e ficar de boa trabalhando e aportando. Agora vamos pro negócio que entrei.


QUAL A DIFERENÇA DA BOLSA PRA UMA FRANQUIA?


RISCO, RISCO, RISCO, RISCO, RISCO


Você vai correr um risco absurdo empreendendo, MUITO GRANDE MESMO, vai imobilizar MUITO DINHEIRO, algo em torno de 300-600 mil reais se for uma franquia boa (e essas que valem mais a pena do que franquia barata). Vai comprar um emprego, uma ocupação e um trabalho (que será o seu segundo trabalho caso você já tenha um, ou o seu único trabalho se você se dedicar exclusivamente a isso). Seu celular vai tocar muitas vezes por dia, TUDO vai acontecer, e você vai ter que resolver (se não tiver sócio).

Torneira pingando, internet caindo, goteira, dúvidas se alguém invadiu o imóvel, preocupação com segurança pessoal e patrimonial, comprar e equipar a loja, abrir empresa, pagar contador, impostos, folhas, tirar licenças, obras, franqueadora amolando, ir atrás de clientes, atender os clientes, abrir uma conta em banco pra PJ, cartão de crédito, maquininhas de cartão, contratar empregados, demitir empregados, intermediar brigas entre eles, fazer planilhas, ter dinheiro pra injetar no negócio, ficar no vermelho vários meses, receitas muito pequenas, contas novas chegando (água, luz, internet, telefones, royalties, impostos, folha, boletos, produtos pra receber e conferir e vender e pedir tudo de novo, comprar insumos, material de limpeza, coisas para comer, café, açucar, material de escritório, grampos, papel, tinta de impressora, caneta, clips, grampeador, copos descartáveis, câmera de segurança, roteador, etc etc. etc etc. etc. Mil coisas de uma lista que nunca acaba e todo dia tem mais pedidos de mais coisas.

É uma coisa que hoje em dia eu vejo como um risco muito elevado para um possível e provável retorno que apenas se a coisa der muito certo vai ser maior que na bolsa, coisa que 2% ao mês vai ser extremamente difícil de acontecer, eu acho que pode estabilizar em 1-1,5% ao mês já numa hipótese muito boa. Além do mais é UMA EMPRESA SÓ. Se quebrar já era, foi embora todo o seu dinheiro num tiro só. Se fosse na bolsa você perderia apenas 1-2% do seu capital aplicado no total (variando com sua alocação de ativos), ou seja, se uma empresa da bolsa quebra, e você está nela, sua vida muda praticamente nada.

Eu fui muito intempestivo? Sim, talvez. Mas não sei ser de outra forma, nem sei se outras pessoas que entram em franquias também não o são nesse momento. Não tem como calcular tudo e ter tudo na mão, tudo é incerto, você tem que pagar pra ver, tem que seguir a sua INTUIÇÃO de que o negócio pode decolar no lugar que você pretende fazer. O cara que lhe diz que começou uma empresa afirmando que certeza iria dar certo é um tremendo mentiroso, ou iludido. É simplesmente impossível prever, mas é muito gratificante e alegre quando você vê os clientes chegando e entrando no lugar, eu fico muito feliz.

Do meu lado tenho o plus de um belo imóvel em bairro nobre, já reformado e ampliado, onde dobrei a área construída e posso utilizar boa parte dele para outra coisa, ainda em estudo, como alugar pra uma empresa inteira, ou fatiar ele e alugar salas comerciais individuais, isso pode funcionar como um pequeno seguro, e ainda não pago aluguel e tenho uma boa sinergia com a marca franqueada que cai muito bem num espaço diferenciado, claro que eu poderia fazer num imóvel de padrão bem menor, mas perderia muito do apelo, do marketing, enfim, estou contando aqui que fiz dois grandes investimentos, um é o imóvel em si, com obra de expansão, e o outro é a franquia em si, que traz muitos problemas todos os dias, mas está começando a se pagar. E por falar nisso:






APESAR do meu FC total de Agosto para cá estar em -80 mil, este mês, as receitas superaram as despesas em 5 mil reais, claro que é uma época ainda meio ruim Janeiro pois todos estão se preparando pro carnaval, e de fato acho que o ano só vai começar depois da festa mais popular do país, mas esse pequeno lucro é pra comemorar, e espero aumentar ele já agora no fechamento de Fevereiro.

Pelo que estou projetando aqui, depois de Março devo ficar em R$ 10 mil mensais de lucro (lembrando que não pago aluguel), e dessa forma esse dinheiro pode pagar a prestação do financiamento (que está começando em 8,5k), então já ficarei bem feliz.

Se eu conseguir mais uns 8k alugando parte do imóvel vou ter um FC positivo em 16k mensais que serão somados ao aporte para liquidar o valor devido do imóvel, se isso tudo der certo de maio a dezembro vou ter oito bons meses para me reerguer das cinzas, 16x8 daria 128k para abater do valor do imóvel e mais pelo menos uns 20k que vou aportar do meu salário normal, daria pra matar mais da metade da dívida do imóvel apenas em 2018. Sonhar não custa nada pessoal.

Agora outra coisa é esse lucro aumentar bastante e ficar acima de 20k mensais, aí sim seria o paraíso, e também seria justo pois o gasto total nessa coisa toda está em praticamente R$ 2 milhões, mas isso só o tempo dirá, quem sabe daqui pra agosto eu chego nisso? Vamos trabalhar para isso.

E o que aprendi de tudo isso?

Bem, se eu estivesse na bolsa deveria estar com uns 2,2 milhões em patrimônio hoje apenas dentro da bolsa, principalmente depois da subida da bolsa em 2017, mas não dá pra contar apenas com o curto prazo ou prazo imediato, quem sabe eu estarei muito melhor daqui a 5 anos, franquia bombando, quem sabe outra unidade, quem sabe o mercado imobiliário se recupera e eu consiga vender o imóvel com um bom lucro e ajudar na minha aposentadoria precoce? Ou vender apenas a franquia com o Equity bem maior (franquias tem uma boa liquidez se a marca for boa, e dependendo do seu balanço você pode ganhar um bom dinheiro vendendo ela).

Empreender é dar uns 50 passos para trás para depois dar um salto com vara lá na frente. Lembrem dessa frase.

Então estou tranquilo pessoal, boa parte do stress já passou, embora todo dia seja um longo dia, me virando em dois, e etc. Também não vejo a hora de me livrar dessa dívida e ficar totalmente no azul na PF e na PJ e colocar todos os ganhos na bolsa novamente.

Grande abraço!

Frugal