Translate

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Pare de remoer o passado


Eu sempre gostei muito de Física, mais particularmente de Cosmologia, desde criança eu era fascinado pelo espaço sideral, por planetas, estrelas, constelações, nebulosas e por aí vai, eu acho que isso começou quando eu assista a Cavaleiros do Zodíaco, na terceira série do ensino primário, acho que em 1994 ou 1995, o Brasil era tetracampeão na copa da Fifa, e certamente um dos melhores momentos da minha vida era assistir Cavaleiros do Zodíaco, jogar vídeo game na locadora ou jogar bola nas ruas de areia com traves improvisadas com tijolos de alguma obra próxima (a gente nunca devolvia os tijolos), inclusive em dias de chuva a gente jogava molhado, na terra molhada, na lama, por cima das poças de água, de qualquer jeito, e era bom demais.

Ikki de Fênix era o cavaleiro que eu mais gostava, ele era o Poder.


Ainda bem que gostei muito do desenho, hoje em dia devo a minha pequena paixão e fascinação pela cosmologia a este desenho japonês, e quem sabe isso possa ter tido implicâncias no resto da minha vida, como por exemplo, eu sempre quis ter uma camisa dos cavaleiros do zodíaco e nunca tive, minha irmã me prometeu mas nunca me deu, poderia ser qualquer uma do camelô que eu ficaria feliz, eu também sempre quis ter aqueles bonecos dos cavaleiros de ouro, mas nunca tive, no máximo o que eu cheguei a ter dele eram as figurinhas das balas Zung, coloridas, muito populares na época.


O que tem a ver o passado com Cosmologia? Tudo.

Cosmologia é uma ciência linda, altamente refinada, complexa, apaixonante, profunda e filosófica. Gostar de cosmologia pode me ter feito uma pessoa melhor e mais profunda, além de compreender certos conceitos metafísicos, físicos e existenciais.


Posso falar em alguns livros que li para começar, um que se chama O Gene Egoísta, do autor queniano, Richard Dawkins, biólogo. O livro aborda um conceito interessante sobre o DNA e o papel dele, e o seu no mundo, esse livro, se não me engano, foi a tese de mestrado do autor. É um conteúdo intrigante e revelador que tem ali dentro. Basicamente, o autor afirma que o nosso DNA usa nosso corpo para pular de geração em geração, e que somos programados para sermos descartados por ele, que se passa para a próxima geração e assim atinge a sua perpetuidade no tempo (pelo menos 50% dele a cada geração), além do mais o DNA mitocondrial presente nos seus genes maternos tem milhões de anos de evolução (quantos anos você acha que tem o DNA mitocondrial presente no seu corpo, nesse momento?).



A partir desse livro, gostei do autor, e li outro na sequência, “O relojoeiro cego”, nesse livro finalmente eu entendi melhor a evolução das espécies, segundo Darwin, quem é muito religioso e criacionista vai ficar bem perturbado depois da leitura desse livro, acho que ele foi fundamental para que eu me tornasse ateu.

Depois de conhecer Dawkins, parti para a leitura de Carl Sagan, no clássico “O mundo assombrado pelos demônios”, o tipo do livro que todos os seres humanos do planeta deveriam ler, é simplesmente sensacional, do começo ao fim, aborda todas as formas de pseudociências, feitiçarias, picaretagens, terapias alternativas, seitas, trambiques, farsas e muito mais, tudo através do entendimento do espírito científico, esse é um dos maiores presentes que Carl Sagan deixou para o mundo, além do seu livro “Cosmos” que originou o belo seriado, apresentado por Carl Sagan em pessoa (que eu assisti na escola que eu estudava, pelo projeto TV ESCOLA) em fita VHS e televisão de 20 polegadas, pendurada no alto da sala, dentro de uma caixa de grade enferrujada e no som da TV mesmo. Assistir Cosmos mudou minha vida, muitas coisas mudam nossas vidas e temos que reconhecer.



Nossa existência e nosso caminho no universo é influenciado todo dia por diversos fatores, mas poucos mudam a nossa rota. Somos um ponto de luz na escuridão partindo de um ponto específico e lugar no nosso nascimento e atravessando o tempo deixando um pequeno rastro atrás de nós, que pode ser bom ou mau, duradouro ou passageiro, e algumas coisas causam inflexões, mudanças na rota desse ponto, algo acontece, impacta sua vida, e a trajetória do ponto vai pra cima, pra baixo, para ou lado ou outro, ou pega uma diagonal nos três eixos dimensionais por onde você nunca tinha pensado em ir. E um dia, não importa o que aconteceu na trajetória do ponto, ele irá se apagar, assim como seus rastros. Temos bilhões e bilhões de pontos e rastros apagados na humanidade. Muitas pessoas não sabem nem onde nasceram os avós ou os bisavós, nem o que fizeram, não sabem nada da história deles, são pontos completamente apagados da Existência.


Filmes como Contato (com a Jodie Foster) – inspirado num romance de Carl Sagan, Interestelar (Jessica Chastain) – estão lembrados?, Perdido em Marte (The Martian) – com Matt Demon e vejam só, Jessica Chastain como a chefe da missão, além outros seriados que falam de viagem no tempo e no espaço são meus preferidos também. De certa forma o passado cosmológico nos ajuda a pensar sobre o nosso presente e sobre o nosso papel no mundo e nas nossas próprias vidas, acalmando muito mais e dando tranquilidade e serenidade para viver uma vida bem vivida e com significado.

Contact - Filme baseado no livro de Carl Sagan (de mesmo nome).



Jessica Chastain em Interesttelar


Jessica em Perdido em Marte.


Não fique remoendo o passado, se martirizando por coisas que fez, que não fez, que deixou de fazer e por aí vai, são infinitas possibilidades e infinitas combinações, não dá pra sofrer por todas elas. Geralmente o pensamento começa com “e se”? E se é um erro. Pense sempre diferente do “ E se”, foque no presente e no futuro, “e se” dificilmente vai lhe ajudar pro futuro, pois você não vai ter uma oportunidade de testar sua hipótese, o planeta Terra e o tempo não são nosso laboratório.

"E se eu tivesse casado com minha primeira namorada?
E se eu tivesse morando na mesma cidade desde sempre?
E se eu tivesse estudado mais para aquele concurso?
E se eu tivesse comprado tudo de bitcoin em 2013?
E se eu tivesse all-in em ações ou numa única ação específica?
E se eu tivesse sempre comprado somente fundos imobiliários?
E se eu nunca tivesse comprado nenhum imóvel pra mim?
E se eu tivesse estudado um pouco mais e tivesse conseguido emigrar?
E se eu tivesse num emprego comum na Europa ou EUA e casado com uma gringa?
E se meu inglês fosse fluente desde que eu tinha 15 anos?
E se eu soubesse tocar guitarra, piano, violão, gaita e violino? Onde eu estaria agora?
E se eu tivesse trabalhado mais, poupado mais e investido melhor?"

Estão vendo? São várias combinações de perguntas que não vão dar a lugar algum. E pra mim é difícil não pensar nelas, eu penso, mas não deixo esse pensamento crescer e tomar conta de mim, o passado não volta mais e não posso mudar mais nada, está feito.

Às vezes você pode achar que a solução da sua vida seria voltar no tempo e fazer as coisas diferentes, mas você seria outra pessoa hoje, em outro lugar e talvez com mais problemas, e consequentemente numa situação muito pior.

Eu sei que poderia estar bem melhor hoje se tivesse tomado algumas decisões, que causassem uma inflexão grande no ponto da minha vida, mas também não estou mal, eu me sinto vencendo e isso me deixa feliz, sei que sou um orgulho para os meus pais e para os meus irmãos, amigos e alguns familiares, mas como eu disse, não dá pra ficar se lamentando por não ter sido perfeito, e outras vezes precisamos apenas dar mais tempo ao tempo.

A ansiedade pela liberdade financeira pode ser ruim em alguns dias, pois você pensa mais nas perdas do que nos ganhos, e pior, pensa no que deixou de ganhar se fizesse isso ou aquilo, não dá. Olhando pra trás fica muito fácil acertar, pois você já sabe o que aconteceu, e perde a oportunidade de fazer um futuro melhor, que pode ser bem melhor do que aquele da opção que você julga que seria a melhor. A trajetória da linha do ponto da nossa vida sempre será um mistério completo.

Grande abraço,
Frugal.

30 comentários:

  1. Boa mensagem para finalizar a semana. Abraços

    ResponderExcluir
  2. Ótimo texto Frugal!

    De fato, é pra frente que se anda, o que está feito está feito e, de uma forma ou outra, nos torna pessoas melhores, mesmo que houvesse decisões melhores.

    Vou dar uma pesquisada sobre esses livros!

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sao todos muito bons senhor, leitura de primeirissima qualidade.

      Li contact em ingles, é facil baixar pela net.

      Abraço

      Excluir
  3. Eu não fico olhando muito para o passado. O meu problema é exatamente o oposto: minha preocupação com o futuro! Uma ansiedade absurda!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo, uma dose de ansiedade é normal. Vc tem que se ater ao que vc pode de fato fazer no presente para melhorar no futuro. Tem coisas que estão muito além do nosso alcance pra resolver no curto prazo. Acho que o segredo é um passo de cada vez. Abraço.

      Excluir
  4. como diz o Bastter, tem que botar uma pedra em cima e seguir em frente.
    no máximo, olhar para o passado apenas para recordar das lições que aquela situação te ensinou

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, ainda mais ele que quebrou umas duas ou trÊs vezes, mas persistiu e hoje encontrou o caminho dele. Eu li todos os livros dele. Um abraço!

      Excluir
  5. É isso aí, Frugal, passado é passado, o que interessa é futuro.

    Também gosto de cosmologia e já li quase todos os livros que vc citou aqui. No mês passado, eu li o livro "Origens" do Neil Tyson, muito bom! Ele também apresenta um documentário bem legal na Netflix e o herdeiro da ciência do Sagan. Se não viu, vale a pena.

    E como não poderia der ser, já li toda a saga do Império e Fundação do Isaac Asimov. É uma viagem fantástica! Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal André, vou ler esse livro que vc indicou, ele está apresentando Cosmos no netflix também, e estão fazendo uma segunda temporada. Ainda nao vi a primeira temporada toda mas vou ver sim. Isac Asimov é muito legal, eu li Eu Robô, ele antecipou muita coisa de fato, principalmente em relação a bioética.

      Até hoje eu acho que no futuro ocorrerá uma rebelião das máquinas contra os humanos, nos moldes da Skynet. Vou colocar também isso ae na fila para ler.

      Abraço!!

      Excluir
  6. Excelente texto meu caro!

    O "e se" realmente não nos leva a lugar algum. Perfeito.

    Frugal, você irá gostar de uma série alemã que está no Netflix. Chama-se Dark.

    E obrigado pelas indicações de livros. Em breve coloco em pratica suas leituras

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O viver de dividendos recomendou ela também. Acho que vou ver sim, não estou vendo nada mesmo. Comecei stranger things mas achei muito infantil. São bons livros esses daí. Abraço!

      Excluir
  7. Frugal, vc parece se rum cara que lê muito. Um brasileiro acima da média.
    É aquela velha frase: arrependa-se do que não fez em vez do que fez.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Uorrem!eu já li bem mais do que leio hoje em dia, preciso ler mais. Abraço!

      Excluir
  8. Já assistiu a nova versão de Cosmos que está no Netflix?

    To achando bem legal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu estou vendo com a mulher, tem dias que ela não quer ver, aí eu paro pra não assistir sem ela pq quero que ela assista. kkkkk é legal mesmo. Tente ver a original com Carl Sagan, tem no youtube. Abraço!

      Excluir
  9. Por mais postagens citando Cavaleiros do Zodiaco! rs... Que série, hein? Estava aqui lembrando que eles sempre ensinavam a não desistir, a lutar o máximo possível e buscar ir além dos seus limites. Lembrança das boas. Abraço

    ResponderExcluir
  10. Gosto desse tipo de filme que trata do tempo também. Você já viu Mr. Nobody? Recomendo...

    ResponderExcluir
  11. Excelente post!
    Frugal a gente precisa se dar o direito de auto perdoar.Ocupar a mente com pensamentos positivos. Substituir sempre pensamentos negativos por positivos.

    Sucesso, abraço!
    Bagual

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é isso ae rk. Temos que nos reinventar e fortalecer todo dia.
      Automotivação é fundamental.
      abraço!

      Excluir
  12. Acho que a partir do momento que você entende o erro como uma forma de aprendizado a sua perspectiva de vida muda completamente.

    "E se eu tivesse casado com minha primeira namorada?" deve ser encarado como "Por quê eu terminei com minha primeira namorada?". A resposta dessa pergunta será útil para você encontrar sua próxima namorada ou manter seu relacionamento saudável, não importando se o término foi por "culpa" sua ou dela.

    Ganhar/perder dinheiro é a mesma coisa. "Se eu tivesse vendido a ação X não estaria no prejuízo" seria "Por quê a ação X caiu?". Baseando-se na resposta você não comprará mais papeis com as mesmas características da ação X.

    Claro, em vários aspectos será muito mais difícil fazer essa análise. Requer maturidade. Mas o exercício é importantíssimo.

    Enfim, acredito que o segredo da felicidade é esse: encarar tudo como aprendizado e utilizar esse aprendizado para errar cada vez menos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu leio muitas biografias e tento aprender com os erros dos outros, mas nossas vidas tem suas próprias encruzilhadas, percorremos vários caminhos que não tem como voltar atrás, e fatalmente teremos que escolher nossos destinos. A questão aqui é parar de olhar para trás e ter forças para olhar para frente. Tem gente que se apega ao passado e deixa de evoluir. Cada dia dou pequenos passos nesse novo mundo.

      Abraço!

      Excluir
  13. Mais uma excelente reflexão FS.
    Realmente parar de gastar energia com isso ajuda muito.
    Ademais, apesar de ser bastante religioso, concordo com inúmeros dos seus pensamentos sobre a "energia" que emanamos (coloquei de uma forma mais genérica que encontrei no momento).

    Continue tendo muito sucesso sempre-
    Abc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É FPI. Obrigado pela força, toda mudança é complicada.
      Eu tento colocar as coisas em palavras aqui, mas na realidade é bem mais complicado, não tem como deixar tão claro.

      Um abraço!

      Excluir
  14. Essa é a mais pura verdade.

    O que devemos pensar sobre o passado é as lições que ele deixou para nós ao longo de nossa caminhada. Curiosamente, não sei se isso acontece só comigo, tenho mais "mágoas" de certas coisas que não fiz, ou por imaturidade, ou displicência mesmo, do que de meus erros. Porém não adianta chorar pelo leite derramado, bola pra frente e segue a vida.

    A propósito acabo de criar um blog sobre desenovolvimento físico e hábitos saudáveis, se quiserem conferir o endereço é esse aqui : https://dicasdehipertrofiaesaude.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É amigo, eu por pura displiscência perdi grandes oportunidades, de trabalho, de cidades que poderia estar morando, de pessoas que poderia estar mais próximo e etc, e tenho medo de ter renunciado a muita coisa e dar com os burros n´água. Espero estar mesmo fazendo a coisa certa.
      Veremos nos próximos capítulos.

      Abraço!

      Excluir
  15. Fala FS

    O assunto eh interessante mas vc foi colocar cavaleiros no meio aí já era não tem mais o q conversar, vamos focar no que realmente importa... cavaleiros kkkk

    Pow tb era fã do Fenix, não sei vc mas eu curtia ele pq ele era meio que um isoladao não andava muito com o resto da galera era meio que tipo um ranger branco

    ResponderExcluir
  16. Publicações inteligentes e edificantes sempre! parabéns Frugal!"

    ResponderExcluir