Translate

domingo, 28 de janeiro de 2018

Recursos Humanos: O desafio do pequeno empreendedor


Antes de abrir a empresa eu imaginava que funcionário ia dar problema, afinal de contas todo mundo fala nisso e me alertou nesse ponto, só que eu não imaginava que seria tanto assim.

Essa semana tive a terceira demissão em praticamente quatro meses, numa equipe de sete pessoas. O sujeito era até bom no que fazia, mas se mostrou indisciplinado, faltou com respeito aos colegas, não respeitou hierarquia e ainda ficava fazendo pequenas ameaças questionando o tipo de contratação e chegou até a afirmar que tinha muita coisa trabalhista errada ali, e que se ele quisesse poderia ir cobrar depois, então pra facilitar a vida dele e ele cobrar tudo que acha que tem direito sobre apenas três meses de trabalho eu resolvi dar essa ajuda pra ele, até porque é melhor ganhar uns 2 mil reais do patrão do que ficar num bom emprego que paga muito mais que a média do mercado e ainda com possibilidade de crescimento. Não vou ficar criando cobra pra me morder, e nem muito menos ficar inerte sabendo de prováveis ameaças de funcionário.

Eu vou lutar para criar e manter uma boa equipe de trabalho, unida, compromissada, respeitosa, justa e ética, e eu vou conseguir, nem que tenha que trocar e testar várias pessoas. Não é possível que não tenha gente suficiente e que preste para compor uma empresa de uns dez funcionários.

Sempre fui grato por onde trabalhei e sempre quis acrescentar e somar no lugar que eu tava, tratando a todos com respeito e grato pela oportunidade de ter um trabalho e um salário. Agora se o cara chega e acha que o mundo deve alguma coisa a ele e não o contrário, ele vai ter que sair, é simples assim. Não tem como um sujeito ficar numa empresa pequena se a esmagadora maioria dos funcionários não suporta mais ver, falar ou se comunicar com ele. Infelizmente, por mais talentoso que você seja, não cave sua cova, nunca perca sua humildade, não se gabe, não ameaçe, fique na sua e trabalhe direito. Caso você não consiga conviver civilizadamente com seus colegas de trabalho saia da empresa, vá trabalhar sozinho.

Já estou suficientemente estressado com o FC negativo, o financiamento, royalties, captação de clientes, seleção de novos empregados, obra, alvará da obra, cartório, arquiteto, meu próprio treinamento, meu outro emprego, compra de material de expediente e por aí vai. São muitas coisas pra dar conta ao mesmo tempo, e perder tempo, nesse caso, pra ficar escutando reclamação de funcionários, ameaças de outro (o do caso) e fazer papel de palhaço pra funcionário isso eu não vou fazer. Eu creio que nunca dei trabalho pra nenhum empregador, por quê essa galera está me dando tanto trabalho?

Hoje eu posso afirmar, com quatro meses da loja aberta, que o meu principal problema são os funcionários. O ser humano chegou num ponto que está bem difícil de lidar. Muita gente cheia de si, a humildade passa longe, a paciência é coisa que não existe mais, o que sobra é o imediatismo, querem tudo pra ontem, e pra já, mesmo sem ter dado quase nada de si. O mundo não deve nada pra você nem pra ninguém. 

Também sei que Justiça do Trabalho no Brasil é uma coisa complicada. O Leviatã estatal vem direto na jugular do empreendedor. Esse aí com certeza vai entrar na Justiça, e o pior não vai ter que pagar os mil ou dois mil reais que ele acha que tem direito, o pior vai ser ir lá olhar pra cara do indivíduo e perder meu tempo produtivo e extremamente escasso. Não tô nem aí. Eu vou lá, resolvo e me livro da bronca, pior pra ele que perdeu de verdade uma grande oportunidade de ser alguém na vida, pode ganhar dois, três, quatro mil, mas perdeu 200 mil.

O que me deixa feliz é que sei que tem boas pessoas já trabalhando lá, pessoas gratas e competentes, além de humildes. Basta apenas trazer mais pessoas como elas e tudo ficará bem, pode demorar um tempo mas essa hora irá chegar. Eu vou conseguir fazer isso, eu não quero sacanear com nenhum empregado, não quero ficar rico roubando cem reais de um ou de outro, nem quero deixar de pagar nenhum "direito" como eles falam, agora eu vou pagar tudo e cobrar tudo. Quem quer rir vai ter que fazer rir.

Antes que achem que deve ser bom demitir alguém, não é não acho. É caro, dá prejuízo imediato, tem que perder tempo selecionando e treinando novas pessoas e correndo novos riscos, fora toda a amolação de ter que conversar com a pessoa e explicar pra ela, ficar ouvindo as lamuriações e mais reclamações. Enfim, é um momento ruim e chato de passar. Espero que isso não seja frequente o quanto está sendo. Infelizmente as pessoas fazem por onde serem demitidas, tem que aprender a se relacionar melhor com os colegas de trabalho e seguir as diretrizes da empresa (sem ficar questionando ou resmungando).

Essa semana já começo uma nova seleção, somente pra essa função do cidadão tenho mais de 200 currículos no e-mail, já li uns 100 e já vou chamar uns 20 pra entrevista essa semana. Trabalho que pode ser chato e inútil no começo, mas depois, selecionando a pessoa correta poderá dar muito retorno para ambos.

Bem pessoal, por enquanto é isso.

Grande abraço e boa semana para todos,

Frugal.


domingo, 21 de janeiro de 2018

Quase a metade do Break Even alcançado.


Boa noite pessoal!

Passei um tempo sem escrever por aqui.
O começo tem sido bem difícil de fato, estou me virando em 2, 3, 4 e etc...
Já tive que demitir uma funcionária com menos de 3 meses de contratada, devido fofoquinhas, muitas reclamações dos outros funcionários e um serviço que deixava muito a desejar.
É uma experiência muito ruim, eu adiei o máximo que pude, mas não teve jeito.
Uma pessoa reclamou, eu, ok. Deixei rolar.
Depois duas pessoas reclamaram, eu, ok, deixei rolar.
Mais na frente uma pessoa de posição superior reclamou, eu, aí tem alguma coisa. Três pessoas de três setores diferentes reclamando de uma mesma pessoa.

Conviver bem com os outros e deixar um clima bom numa empresa não é pra todo mundo. Como você consegue brigar com 3 pessoas durante 8h por dia? A coisa ficou insustentável. Tive que demitir, assinar vários papéis e aprender muita coisa com contador e advogado trabalhista. Até agora está ok, paguei tudo certinho desde sempre. Apesar da pessoa sair dizendo que foi assediada pelos outros funcionários (assédio moral) acho que não vai dar processo. Por falar em processo acho que o pessoal tem um medo muito infundado de processo. Se você empregador fizer sua parte certinha não tem porque ter tanto medo, senão você vai ficar paralisado e não vai dizer mais nada.

Eu não sou professor de jardim de infância pra ficar aparando briga de funcionário o tempo todo, além de estar na rua ou no meu outro emprego e ficarem me ligando e mandando whatsapp reclamando uns dos outros. Que coisa sacal, não tem nada a ver com a operação do negócio em si. São pequenas briguinhas e fofocas que vão minando a convivência e que não geram produção alguma.

Fiz uma reunião e disse que não quero saber de nada disso, que nem me falem, nem me venham reclamar uns dos outros e que se resolvam entre si (eu estava já bem estressado nesse dia) e ainda falei que quem vier me falar algo, independente de estar certo ou não na suposta briga, será punido, é isso mesmo, o mensageiro vai ser punido se me vier com mensagem. Não preciso dizer que depois disso nunca mais recebi ligação alguma nem whatsapp com fofoquinha, além do mais aumentei mais minha carga horária por lá.

A obra que o arquiteto disse que duraria uns 60 dias no máximo, começou em setembro e eu creio que só irá ficar pronta lá pra depois do carnaval. É incrível como as pessoas mentem pra ganhar serviço, custa ser sincero? O ruim de depender de arquiteto ou mesmo um mecânico de carro é que você fica totalmente na mão deles e aí é contar com a sorte.

Outra coisa horrível está sendo a internet. Contratei uma empresa supostamente boa por ser cara, com fibra ótica, que a internet cai quase todo dia, e algumas vezes demora pra voltar. Quando uma funcionária me liga já sei que é pra falar que estamos sem internet. Isso é estressante também. O suporte já foi lá umas 10x e resolvem na hora mas depois aparece outro problema. Estou pensando em trocar de empresa, o foda é que paguei 1500 reais pela instalação da fibra ótica e não sei se vão devolver esse dinheiro se eu cancelar a mensalidade (que custa 500 reais) e nem é internet dedicada. É bem difícil achar bons serviços no norte do Brasil.

Finalmente parece que a propaganda no Facebook fez efeito e apareceram alguns clientes dizendo que nos viram no FB (eu sempre pergunto qnd estou lá). Gastei R$3500 reais no FB de Outubro pra cá e já estava achando que foi perdido.

Outra coisa interessante é que conheci essa semana um ex-franqueado de uma rede concorrente da minha, que tinha sua loja no sudeste. O mesmo me disse que demorou incríveis 20 meses para chegar no breakeven, fato que me fez gelar a espinha. MAS, ele disse que foi tudo bem depois, deu uma decolada, ganhou um bom dinheiro, e depois vendeu sua parte da operação com um bom lucro para um franqueado maior que tirou ele e o sócio dele de uma vez da jogada, e até hoje a loja que ele vendeu está indo bem aparentemente no movimento.

Outra coisa interessante, um outro funcionário com treinamento bem específico ameaçou se demitir algumas vezes, porque eu não queria fazer mais as vontades dele. Eu bem tranquilamente falei que se ele quisesse sair que pedisse a demissão, coisa que ele de fato fez. Eu achei que ia ficar numa pior, mas encontrei outro rapidamente e coloquei pra treinar e trabalhar ao mesmo tempo, aparentemente ele está dando conta. Você trata bem as pessoas e as deixa bem à vontade pra receber o quê em troca? Ameaças? E olha que eu pagava ainda acima da média para a função dessa pessoa, justamente pra incentivar a permanência, a boa convivência e o respeito. Eu achava que as pessoas iriam valorizar mais o emprego, mas nem isso. Onde eu trabalho eu sou grato, só quero receber em dia (mas nem isso consigo mais).

Paciência é mesmo um dom. Abrir um negócio vai te testar todo dia, mas você cresce como pessoa. Desde Julho que só coloco dinheiro nisso, nunca deu lucro algum, depois que vendi minhas ações, a bovespa subiu como um foguete. Eu poderia ter uns R$2 milhões lá dentro e ganhar uns R$6 mil mensais de dividendos limpinhos, enquanto descansava mais a cabeça, mas fui me meter nessa.

Por quê que eu fui me meter nisso?

Penso nisso quase todo dia. Dizem que essa pergunta todo empreendedor se faz quase sempre. Porque alguns dias cansam devido a problemas idiotas que nem eram pra existir, tipo esse da internet e das fofocas. As pessoas não sabem ser objetivas e os fornecedores são incompetentes ou canalhas.

O post de hoje é mais pra relatar os acontecidos mesmo, não sei se soma muito pra vocês, talvez sim.

 As vendas aumentaram bem em Janeiro, não do jeito que eu queria, mas aumentaram. De certa forma estou ganhando menos, numa velocidade menor que a imaginada e gastando mais e numa velocidade maior que a desejada. Estou muito esperançoso que eu entre em Abril já acima do famoso Break Even, o que totalizariam seis meses. Tenho certeza que depois que eu passar disso vou ficar mais tranquilo, com uma sensação de ter dado certo e de não ter feito a coisa errada, mas no caminho a ansiedade aumenta em alguns dias.

Descobri que pro banco liberar o financiamento eu tenho que pagar cartório, taxas, itbi, e sei lá mais o quê que pelos meus cálculos vai passar de R$30 mil. Imóvel é coisa feita pra deixar cartório e governo rico, não você, a pessoa pagar quase 6% em taxas pra poder ter um bem é um assalto, e ainda vejo gente reclamando de 20 reais de taxa de corretagem na XP ou na Rico, é uma piada. Já fiz compra de 15k na rico pagando 9 reais de corretagem, compara isso aí com imóvel.

O dinheiro que entrou em Janeiro já vai pagar 90% da folha. O bonito que caiu fora e nem pagou aviso prévio não vai receber nada, o que é bom também, vai compensar a rescisão que paguei.

Resumindo: Briguinhas, fofoquinhas, internet caindo, dois funcionários fora, receitas aumentando, facebook dando algum retorno, reuniões (não gosto) pra acalmar todo mundo.

Ninguém é insubstituível, nem mesmo com treinamento específico pra sua função. Aprenda a conviver decentemente no ambiente de trabalho, não dê margem pro seu patrão ouvir nada de você que lhe desabone e nem deixe a desejar no trabalho que você presta.

E será que é pedir demais uma internet que você só lembre dela quando for pra pagar o boleto?

Grande abraço,
Frugal