Reconsiderações sobre o post anterior

 


Olá amigos,

Primeiramente gostaria de agradecer aos comentários e à visita de vocês no post anterior. Pode parecer que não, mas me ajuda a refletir bastante, muito obrigado pelas palavras (ainda vou voltar lá e responder a todos).

Ano passado e este não têm sido fácil para ninguém, nossas vidas pessoais, profissionais, familiares, sociais e etc foram viradas pelo avesso. E temos todos os impactos psicológicos junto com isso. O que me fez repensar sobre as atitudes que tomei e quais devo tomar para os próximos anos.

Foi bom reler o post anterior e ver que atingi a marca dos 5.2M, e que mesmo sendo a renda passiva eles ainda estão lá e poderão virar a renda passiva um dia, eu não pararia de trabalhar no ritmo que trabalho nesse momento, pois simplesmente a cada mês estou ganhando o dobro do que ganhei nos anos de 2013-2014-2015-2016. Posso dizer que estou na melhor fase da minha carreira em termos de ganhos financeiros. Mesmo aqui tive que ter paciência e esperar o melhor, boas oportunidades, de local, horário, ganhos e etc.

Como a gente já sabe, muito do aprendizado vêm somente com a experiência prática, não adianta ler ou teorizar sobre muitas coisas, pois simplesmente você não vai aprender e não vai sentir na pele aqui que apenas teoriza.

O fato é que decidi por enquanto que vou voltar a morar na minha cidade natal até os 40 anos, ou aos 39 anos, e que dificilmente vou me demorar por aqui mais do que 4-5 anos, dificilmente essa decisão será revertida, no sentido de eu ficar aqui para sempre, pois, vasculhando profundo a minha mente, o que mais me aflige atualmente é morar aqui onde moro, sim, mesmo ganhando bem (sem qualidade de vida - diga-se de passagem) eu não quero morar aqui a vida toda. Ganhar é um eufemismo, pois ganhar mesmo não ganho, eu produzo. 

Sobre a renda passiva, o que eu quis falar no post anterior é que, ela poderia me sustentar na minha cidade, e eu poderia ter a vida que eu quero lá, com ela e trabalhando pouco ou quase nada. E por isso que fiquei muito infeliz por esses tempos, pois já não vi mais sentido em viver como estava e ainda mais morando aqui.

Decidi também que imóvel, daqui por diante, só vou querer apenas o que eu moro, ou o que eu irei morar (já começou a ser pago - na planta, olha mais risco aí, e mais um imóvel, o último e futuramente o único, assim espero) e mesmo assim, a minha esposa quis muito colaborar para ter 50% dele (somos casados em separação de bens), de forma que a minha parte eu vou pagar só até Julho do ano que vem e o resto é com ela. A previsão de entrega dele é de 36-48 meses, o que espero ser o suficiente para vender e investir todos os outros imóveis no mercado.

Fiquei bem feliz com isso, acho que vai ser uma grande passagem na minha vida, retornar para onde acho que vou ser realmente feliz e ficar perto da família e dos amigos, ou isso, ou Europa, mas esse é outro capítulo que será considerado no momento oportuno (está longe).

Sobre a franquia, reabrimos, e está bem em cima da linha, ainda não deu prejuízo mas estou pensando em repassar ou vender, para simplesmente alugar o imóvel inteiro ou vender. Está sendo muita fonte de stress e preocupação para um ganho atualmente bem ruim. E já sublimei a vontade de querer tirar uma renda alta disso, pois a gestão de pessoas, o ambiente, as constantes dores de cabeça, as fofocas, as brigas entre os funcionários e a mentalidade de quem consegui e consigo, sempre será muito deficiente pois não conseguem nem conviver, então cheguei a conclusão de que não dá, ou que não preciso ou não quero isso pra mim por muito tempo. Não foi falta de conversa, reunião, demissões, admissões, nada resolveu. E eu não tenho tanta paciência assim pra falar o básico para adultos.

O tempo que me resta aqui nessa cidade vai ser para continuar comprando ativos financeiros para voltar com um bom lastro de renda passiva, gostaria muito de um valor entre 25-35k, e aí acho que minha missão aqui teria sido bem sucedida. Se por algum motivo não chegar perto disso (o que acho difícil), continuarei trabalhando por lá, numa carga horária bem menor do que aqui e ganhando bem menos, e já estou ok com isso, tendo ainda como um plano B ficar 15 dias aqui trabalhando e 15 dias lá fazendo sei lá o quê.

Enfim, me sinto num trem indo para algum lugar num futuro próximo, numa viagem não muito confortável, mas pelo menos a expectativa de melhorar o que penso já ajuda muito. E espero que seja isso mesmo, pq se não for aí vou ter que mergulhar mais profundo para saber o que é (mas acho que é só isso mesmo).

Outra coisa que me incomodava um pouco era o fato da minha esposa não trabalhar e querer apenas estudar, estudar, e estudar mais, fazer pós, se dedicar para a pós e etc... mas ano que vem tudo o que ela quis estudar já terá acabado e ela estará pronta para o mercado (não haverá mais estudos extra em nenhuma possibilidade). Não falo apenas no âmbito financeiro, de ter que arcar mais com os gastos da casa sozinho, mas de vez em quando eu pensava que simplesmente ela nunca iria ajudar em nada e nem trabalhar, o que não acho adequado de jeito nenhum.

Tivemos umas conversas bem sérias por aqui esses meses e acho que já foi tudo esclarecido. Infelizmente eu falei várias coisas que não queria falar, mas me vi numa posição de ter que realmente falar, pq parece que enquanto a gente não fala certas coisas, a coisa não existe, então foi educativo. Ela sabe aproximadamente o que eu ganho, então fica muito confortável não querer trabalhar para ajudar, mas tb não é assim, por mais que eu ganhe 40-50k por mês trabalhando um número horrível de horas, se ela ganhasse 4-5k para ajudar, iria ajudar sim (poderia me poupar umas boas noites de sono) mas ela sempre se recusou, quando poderia facilmente trabalhar para ganhar isso.

Então isso é uma carga que eu levo a mais pq ela um dia decidiu simplesmente não trabalhar para não ajudar, visto que eu já trabalhava muito e "ganhava" muito, só que pesos extras para quem já está no limite e estressado com tanta coisa, costumam ter um impacto maior do que o que eles realmente pesam, não pelo peso em si, mas pela atitude e pela sinalização do que a coisa poderia virar nos próximos anos.

Ano que vem, quero me mudar pra um ap um pouco maior por aqui, e vou colocar o meu para aluguel ou venda, se vender melhor ainda, cada imóvel vendido vai ser muito bom para ajudar no meu plano futuro.

Um abraço a todos,
Frugal

Comentários

  1. Bom dia Frugal! Lembre-se que o tempo não volta...Ganhar muito às custas de todo o seu tempo e sua saúde física e mental é irreal (vc vai gastar tudo no futuro em tratamentos de saúde e medicamentos). Trabalhar é bom, mas trabalhar mais do que aguenta é pedir pra arrumar confusão. Fico feliz que enxergue isso e já tenha um planejamento para reduzir (esse é o caminho). Só te ter um planejamento acredito que já retire um peso grande do seu psicológico...Sobre a esposa, é muito complicado...Se nossa companheira não compartilha da nossa visão de objetivo de vida (FIRE) a chance de dar certo é muito baixa. Conversar bastante e tentar plantar a sementinha na cabeça dela é o caminho, mas como ela irá ainda começar o caminho profissional dela acredito que você esteja correndo o risco de estar defasado em relação ao plano dela (enquanto ela estiver acelerando a vida profissional você estará reduzindo). O FIRE é bom se os dois estão juntos no objetivo. Normalmente quando vejo um em FIRE e o outro trabalhando no final um dos lados fica desconfortável, gerando problema. Espero que consiga resolver esse problema...Melhores dias virão! Grande abraço!
    VVI- vvibr.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade amigo.
      Já conversamos muito sobre o ano que vem, onde muita coisa vai mudar. Com a venda da franquia as coisas vão melhorar muito, e tb com o aluguel ou venda do imóvel e junto com a diminuição da minha carga horária de trabalho também + o trabalho dela. Em 2022 vou cuidar mais de mim e de nós dois como casal. Obg pelo comentário.

      Excluir
  2. Frugal não sou seu amigo nem conhecido e sou alguem que quer vencer na vida como você tem vencido, mas parece que voce ta meio cansado/sobrecarregado sei lá, da uma maneirada, o melhor é o caminho, somos humanos, voce vai chegar lá de qualquer jeito, atrasar alguns anos mas melhorar sua vida a partir de agora já é algo possivel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade amigo, estou sim, agora reconheço. Só tenho uma dívida grande pra pagar nesses próximos 6 meses e depois vou dar uma diminuída grande na minha carga de trabalho. Totalmente verdade o que vc falou. Abraço!

      Excluir
  3. "que simplesmente ela nunca iria ajudar em nada e nem trabalhar, " - ela fazia trabalhos doméstico (lavar, passar, cozinhar etc)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mt pouco amigo. tem diarista dois dias na semana.

      Excluir
    2. olha pelo lado bom: dinheiro vc tem muito; mulher só tem uma.
      família é isso: naturalmente complicado, mas é o preço do amor.

      Excluir
  4. Fala Frugal, a cada post você volta mais forte, meu caro! Meus parabéns!

    Eu penso que não há lugar melhor do que onde temos familiares, nossas raizes sempre serão nosso porto seguro...

    E, faz bem em conversar com sua mulher, seja assuntos sérios ou coisas irrelevantes, uma coisa que a vida me ensinou foi que sempre devemos colocar para fora e nunca guardar nada, pois isso só ficará remoendo em seu interior...

    Abraços, grande Frugal, e descanse um pouco, você merece!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado amigo. A partir do ano que vem a minha vida vai mudar bastante, de uma forma ou de outra vou descansar bem mais.
      Um abraço!

      Excluir
  5. Conhecereis o Don Sandro e o padrinho o Libertará kkkk Brincadeiras a parte é complicado hoje os problemas que tenho todos se resolveriam com dinheiro e vejo outros pessoas com tanto dinheiro com problemas que o dinheiro não resolve... que de Deus lhe de clareza.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Soldado, os problemas nunca vão acabar, eles se transformam. Eu vou liquidar mt coisa e fazer uma carteira de fiis e ações e começar a receber renda passiva. Assim me animarei mais. Obg pelo comentário.

      Excluir
  6. Frugal, não faz sentido ela se responsabilizar pela franquia? Ela não tem perfil para administrar? Talvez ela prefira isso para ter um horário mais flexível mesmo tendo que trabalhar mais.

    ResponderExcluir
  7. Frugal ano passado eu tirei pra ler vários blogs de finanças, li o seu por inteiro e é um dos meus favoritos, muitas coisas vou levar pra minha vida e ensinar aos meus filhos também.

    Esse ano tirei para estudar o mercado de criptomoedas, percebi que elas não eram só um meio de especulação para ganhos assimétricos. As criptos podem nos ajudar a dolarizar os investimentos e proteger o nosso capital das loucuras do Estado que a cada dia infla mais as moedas. Como você tem planos de ir para a Europa, as criptos podem te ajudar nisso. Como você já ganha bem, poderia expor uma pequena porcentagem nesse mercado. Basta estudar e entender, acho que vale a pena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Samuel, vc está certo sim.
      Só estou terminando de pagar essa parte de imóveis que tenho para investir em cripto.
      Não me sinto bem em investir em cripto ainda pagando financiamento e prestação de imóvel, mas assim que terminar de pagar e registrar vou aportar em cripto mensalmente com toda a certeza.

      Excluir
  8. ja ouviu falar de mgtow, frugal? pesquise sobre

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Grande Frugal, seus relatos são muito bons, e entregam um conteúdo excelente na blogosfera. Não só pela sua experiência profissional, mas também pelo quesito pessoal de vivência.

    Eu imagino que você é recém casado, pois lembro da maioria de seus posts você deu a entender (ou disse explicitamente) que era solteiro. Bem, casamento é barra meu amigo, é um paradoxo, casamos pensando em felicidade, mas felicidade não é algo que depende do casamento. Ajuda, muito, ter um bom relacionamento, mas é algo muito mais interno do que externo. Eu e minha esposa nos damos super bem, mas já tivemos momentos difíceis no passado. Estamos juntos há cerca de 11 anos, desde que eu tinha meros 22. Ela chegou a trabalhar fora, mas apenas num momento crítico demais de nossa vida financeira.

    Agora, com as coisas melhores, e o negócio que tocamos online, essa parte tem caminhado bem. Tudo são fases. Te digo uma coisa, mesmo sendo difícil pra você ter que "bancá-la", eu te garanto, a paz de simplesmente não se importar é gigantesca. Mas você pensa: "Se ela não trabalha, eu acabo me esforçando mais horas", verdade, mas você pode pensar em reduzir sua quantidade de horas, e pelo que imagino, não vai sofrer um baque grande na sua qualidade de vida. Você ganha consideravelmente bem para se dar ao luxo de de diminuir o ritmo. Não me leve a mal, é apenas minha opinião, e meu conselho.

    Que Deus abençoe vocês grandemente. Forte abraço.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A chegada ao quinto milhão de reais.

A taxa segura de retirada e a sua aposentadoria

A extrema importância da alocação de ativos