Montando e analisando minha carteira global


Olá amigos,

Ainda estou muito longe de aportar no exterior novamente, mas já comecei meus estudos.

Estou montando uma carteira lá fora e queria mostrar pra vocês.

A base é escolher etfs na lista da ishares UK, de preferência que NÃO paguem dividendos, pois somos taxados em 30% neles, então melhor comprar ETF de acumulação lá fora. Se você quiser algum dinheiro lá de fora, basta vender um pouco da sua carteira e pronto, seu dinheiro vem pra você sem mordida de 30%.

Caminho fácil: SWDA, o mesmo que IWDA, só que IWDA é em U$.

Outro caminho fácil: CSPX (Sp500).

REITS: VNQ (EUA) e VNQI (resto do mundo) - se quiser add reits.

Renda Fixa: Temos bonds corporativos e públicos.

Outros: ETFs de ouro, urânio, água, maconha, energia, petróleo...

Dá pra montar uma carteira bem fácil com uns 5 ETFs lá fora, apenas.

MAS dá pra fazer algo melhor e tentar diversificar sua carteira com ETFs, estudando o valuation e a precificação/mercado dos mesmos, o que acho bem legal, mesmo com o retorno podendo perder do SP500 (e perder feio), mas me sinto mais seguro tentando e diversificando, afinal de contas, cisnes negros existem de vez em quando.

Gosto de pensar na idéia de comprar um ETF da Alemanha, ou UK, ou Suécia, Austrália e por aí vai, já vem diversificado e são países mais estáveis e de moeda forte, ou mesmo da Europa inteira.

ETFs de REITS e bonds corporativos ajudariam a segurar um pouco a carteira, assim como adicionar commodities como ouro e petróleo, embora tudo isso aqui não renda muito e tenha taxas altas, dando uma puxada pra baixo na rentabilidade na carteira.

Enfim, como tudo na vida, vantagens e desvantagens.

Não acho que essa carteira vá bater sozinha o IWDA ou o SP500, e o objetivo nem é esse, o objetivo é fazer algumas compras, alocando em vários lugares de moedas fortes e na medida do possível, comprar mais o que tiver com um valuation mais barato.

Talvez ela possa andar em linha com o SWDA com uma volatilidade menor, é nisso que acredito (mas efetivamente isso não é científico). Investir não é ciência exata, é uma mistura de muitas coisas.

Aqui vai o link para a página da ishares UK onde vocês encontram todos os ETFs e clicando em cada um deles vocês vão ver toda a explicação da alocação, performance, holdings e taxas. Na medida que eu fizer um aporte posso explicar melhor cada um, pensei em começar fazem um aporte de 500 dolares por mes em cada ETF, a seguir.

https://www.ishares.com/uk/individual/en/products/etf-investments#!type=all&view=keyFacts

Eu já postei esse link aqui e espero que quem invista no exterior se familiarize com ele. Sempre eles estão adicionando novos ETFs.

Sobre o racional do estudo, vocês tem que ler um pdf de um papel disponível nesse site:

https://www.starcapital.de/fileadmin/user_upload/files/publikationen/Research_2016-01_Predicting_Stock_Market_Returns_Shiller_CAPE_Keimling.pdf

Esse paper é importante ler com calma. Eu até imprimi.

Baseado nesses estudos, eles chegam a um consenso e publicam nesse link:

https://www.starcapital.de/en/research/stock-market-expectations/

Isso me faz pensar em começar aportando sempre nos lugares com valuations mais baixos, para só depois diversificar em lugar mais caro, mesma estratégia que faço com as ações.

Qual o racional por trás disso:

Diversificar em países, continentes e economias diferentes.
Ter uma volatilidade menor que investindo puramente em SP500 ou no MSCI World Developed que é o SWDA.

Usar um pouco de imóveis (reits) comodities, ouro, bitcoin e petróleo para me proteger de quedas bruscas nas ações a nível global.

Vou estudar outros veículos de investimento como urânio, maconha, água, biotecnologia e o que mais aparecer.

Esses são os ETFs que coloquei na minha lista para comprar:



Na sequência está escrito P/E (o nosso P/L) ou o CAPE-Schiller do ativo em questão, depois o P/B (price/books) que é o nosso famoso P/VPA e em seguida a taxa de administração do ETF.

No final somei tudo e fiz uma média simples pra ver o custo da carteira. A distribuição está praticamente equilibrada entre esses ativos, com um peso um pouco maior para o IWDA, mas a medida que entram outros diminuo um pouco a alocação nele.

Como vocês podem ver, o PE da carteira ficou em 16.6, e o PB em 2,0 e a taxa em 0.22%, um pouco alta, confesso, MAS se vocês forem ver que a minha carteira no Brasil tem taxa praticamente de 0% porque compro as ações diretamente e minha alocação ficará 50% aqui e 50% no exterior, no total mesmo, o meu custo iria cair pra uns 0,11-0,13% o que acho saudável para um plano de longo prazo.

O ativo XOP é um ETF que investe em empresas de petróleo e gás, e tem correlação positiva em 96% com o preço do ouro, e uma correlação inversa negativa com o SP500 de 38%. Achei melhor comprar ele do que apenas o petróleo cru (brent).

O ativo BAR é um ETF de ouro, que replica um ouro físico depositado num cofre em Londres, ele é o de menor taxa de adm que achei.

Nessa carteira que montei a expectativa de retorno gerado ficará entre 6,5-8%aa com uma baixa volatilidade e numa cesta multimoedas e com larga proteção com ativos de correlação negativa com as ações. Todos esses ativos podem ser comprados pela corretora Interactive Brokers.

Todo esse valuation não me custou nem uma hora, e a maioria desses ETFs já conheço há muito tempo, então diferente de ações, dá muito menos trabalho administrar uma carteira de ETFs e com muito menos volatilidade. Vou atualizar essa planilha de 3-3 meses para ver como o mercado está se mexendo, isso vai orientar os aportes.

A bolsa do Brasil hoje corresponde a 1,4% do mercado global. Não dá pra ficar apenas nela. Se você ficar apenas nela, vai perder de investir em excelentes empresas como Google, Apple, Amazon, Nordisk, Alibaba, Tencent, etc... só para exemplificar.

Infelizmente tem algumas coisas que pagam dividendos e serei taxado em 30% neles, mas os yields são bem baixos, de 3% ou menos, na média 1,5%, eles são taxados pela própria corretora e não vão me dar muito trabalho no IR aqui, basta apenas declarar. Antes que alguém pergunte, não precisamos declarar IR em outro país, apenas no Brasil mesmo.

Esse post não é uma recomendação de investimento.

Nunca invista baseado nas escolhas de outra pessoa. Cada pessoa é um mundo e tem necessidades, dinheiro, patrimônio, renda, famílias, sonhos, medos, desejos e intenções diferentes da sua.

Não tente imitar ninguém, leia muito e absorva o que é bom, descarte o que é ruim, fuja dos picaretas.

Estudem e pensem muito antes de comprar qualquer coisa.

Quem não se sentir seguro procure ajuda profissional, de preferência de um profissional gestor de carteiras ou algum que tenha pelo menos um CFP.

Eu apenas mostrei um caminho que pretendo seguir, mas estudando e me aprimorando posso mudar minha estratégia a qualquer hora e tudo feito com calma e parcimônia, aos poucos.

Grande abraço a todos,
Frugal.

Comentários

  1. ótimo estudo Frugal! Aporta lá fora por alguma corretora específica? Abri conta na DriveWealth, mas por enquanto não aportei. Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa Carlos, sim, eu uso a interactive brokers.
      Para uma alocação dessas tem que ser uma corretora global. A DriveWealth é muit, muito limitada, até dentro dos EUA ela é limitada.

      A época realmente não está boa para remessas.

      Abraço!

      Excluir
    2. Frugal Simples, sabe me dizer se dá para comprar ativos europeus via TD Ameritrade ou só pela Interactive Brokers?

      Você acredita que comprar ETFs de ativos europeus e asiáticos por meio de uma corretora norte-americana não seria suficiente por causa da questão da tributação?

      Abraço.

      Excluir
    3. Olá MI, não sei responder. Pelo banco BIG dá sim, inclusive o IWDA. Qualquer corretora que lhe dá acesso aos etfs dessa lista do ishares UK vale a pena.

      O que importa mais é onde eles estariam custodiados. Se vc está numa corretora americana, mas compra ativos custodiados na Irlanda, eles estão lá, na Irlanda, e não nos EUA. Ficar com a custódia nos EUA é pior, tem os 40% de IR na herança e a tributação tende a ser pior. No forum do Bogleheads, no capítulo de investimentos para aliens NRA (nós) não vale muito a pena, entramos na maior faixa da tributação de dividendos tb, enfim, o leão americano bota quente nos estrangeiros que querem investir lá, o preço é muito alto.

      Abraço!

      Excluir
  2. Show Frugal. Estes 30% me preocupam um pouco realmente. Por enquanto escapo, mas quando voltar terei que repensar. Preciso entender melhor como o valor pago lá fora pode ser abatido do imposto dos rendimentos passivos tributados no Brasil.
    Por falar nisso, quando será que nossos governantes vão tentar fazer um acordo tributário com os EUA? Eles tem com tantos países, o que custava o Guedes colocar uma pressão e fazerem um também para nós? Bem como pararem com esta palhaçada de não deixar não residentes abrir conta normalmente em corretora. Tanta coisa para arrumarem...
    abcs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa AA, acabei de vir do seu blog. kkkkk
      Olha, pra quem não quer pagar temos muitas opções de ETFs que não distribuem dividendos, ou mesmo a berkshire, google, apple, que pagam muito pouco. Nessa minha lista aí tenho um ETF de Reits em Cingapura , CLR.SI e o próprio índice de lá ES3.SI, além de etf de reits na Europa, o IPRE.

      No caso de Cingapura, acho que pelo valuation pode valer a pena pois o desconto já está bom. A parte de reits na Europa e EUA é pra diversificar e proteger a carteira, e o próprio VNQ vem batendo o SP500 com muita folga faz muito tempo, então mesmo pagando o imposto pode compensar sim, até pq os yields são baixos. Enquanto isso vamos ficando no aguardo de um ETF de reits que não pague nada, o que seria o ideal.

      Acho que esse governo pode fazer esse acordo sim, esse primeiro ano tá muito tumultuado, quem sabe nesse mandato, ou no próximo. ehehe

      Abraço!

      Excluir
  3. Quero muito diversificar minha carteira em outros países, mas por enquanto acho que não é o momento. Até pq entendo pouco, seu POST me ensinou varias coisas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. EI, o mais importante desse post é ler o estudo que postei e visitar o site da Star Capital. É um site muito bom.

      Abraço!

      Excluir
  4. Legal sua estratégia Frugal, eu também comecei a pensar em esquis uns 5-6 anos quando vender a franquia migrar todo meu capital para uns 3-4 ETF. Por enquanto sigo com minha carteira de cerca de 10 REITs e stocks. Alguma ideia de quando pretende iniciar esses investimentos? Ao que parece o dólar não deve voltar para abaixo de R$4 tão cedo...
    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande EI, eu vou voltar ano que vem, mesmo o dolar estiver alto, nem que eu coloque 400 dolares de aporte mensal e compre 200 dolares de cada kkkkk, é um desafio inicial preencher todos os ativos da carteira, pelo menos pra ver como ela vai se comportar.

      Viu a diferença no valuation deles?

      Abraço!

      Excluir
  5. A vantagem dos ETFs e não pagar IR, a vantagem de comprar as ações diretamente e não pagar taxas para o ETF e comprar o que quiser, qual seria melhor?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não existe o melhor Marco, tudo é risco, retorno, benefício, vantagens e desvantagens.

      Eu vou ter a minha carteira de ações aqui no BR tb e tb vou comprar umas poucas lá fora pra complementar.

      Você não precisa adotar uma estratégia ou outra, pode usar as duas estratégias ao mesmo tempo, andando com uma estratégia mista. É assim que penso. Um abraço!

      Excluir
  6. Excelente post Frugal. Independente de menor rentabilidade acredito ser importante investir uma determinada parte do capital (ai vai do perfil de cada um) em renda fixa, ouro, prata e até coisas como paladio e uranio. O mercado financeiro tem incontáveis esquinas e não sabe o que irá encontrar ao virar cada uma delas. Por falar nisso como procede pra comprar ETFs em euro ou em libra na Ibrokers? Procurei um deles em libra esterlina que consta na lista da ishares e a IB não me disponibilizou no monitor.Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcos, tudo bem?
      Não sei o que aconteceu. Vá na página do ETF que vc quer comprar e digita o código dele, ou outro que esteja lá na mesma página.

      Por exemplo, o CPXJ, na hora de comprar se transforma em CSPXJ, pq ele é listado assim, mas no papel ele só tem quatro letras.

      Vc consegue trocar os seus dólares por outras moedas na aba forex dentro da IB, é bem simples, aí vc troca eles por libra esterlina e compra o ETF em libra. Tem outro jeito de pesquisar que é pelo código ISIN mas eu nunca precisei fazer. Se vc não conseguir mesmo, entre no chat online da IB que te ajudam por lá. Eu já usei e foi legal.

      Abraço!

      Excluir
  7. Olá, Frugal.

    Ótimo texto. Uma dúvida: uma Offshore não evitaria a retenção dos 30% dos dividendos pagos? Vale a pena o combo Offshore + Interactive Brokers?

    Abs,
    Gerson

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Evitaria sim Gerson, já pensei nisso, mas temos os custos da Offshore que pode ficar ali em U$1500 anuais, tem que pagar mensal da conta do banco, e as vezes escritorio e contador pra fechar o imposto anual.

      Dependendo do montante, e se os descontos forem maior que os custos, acho que dá certo sim, mas aí seria muito dinheiro, pq nem tudo que eu planejo ter paga dividendos. Acho que acima de 1,5 milhão de dolares em ativos financeiros no exterior é que começa a valer a pena, é muito dinheiro. kkkkk

      Excluir
  8. ola FS

    ta com uns ishares em UK

    e o brexit será que sai ou nao ? #novela

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A chegada ao quarto milhão de reais (ou quase um milhão de dólares).

O que importa é o processo.

E se eu morrer hoje?