Translate

segunda-feira, 20 de março de 2017

Você já vive com muito mais do que você precisa

Dia desses eu li em algum lugar “Você vive bem melhor do que qualquer nobre ou Rei da Idade Média”, essa frase me fez refletir um pouco. Excetuando as pessoas extremamente pobres talvez tenha sentido. Um Rei na Idade Média morreria tranquilamente de uma simples apendicite, uma Rainha poderia morrer apenas por engravidar de gêmeos.
Qualquer doença basicamente era sinônimo de morte. Temos que lembrar das péssimas condições de higiene, saneamento, produtos para o corpo, qualidade de alimentação e muito mais. Uma pessoa hoje, da classe média brasileira, tem um conforto pessoal relativamente alto, uma grande expectativa de vida, quase 80 anos, apesar de nada ser perfeito, estamos muito melhores e com uma qualidade de vida muito maior do que estaríamos se tivéssemos nascido há 400 anos atrás.
E vou mais além, o mundo nos dá tantas facilidades e tantas oportunidades que tendemos a comprar e utilizar muitas coisas idiotas, como por exemplo um descascador de batatas, é super prático, mas você não poderia simplesmente utilizar uma faca? Por que compramos cada vez mais e mais coisas para o nosso conforto e praticidade e fazemos cada vez menos coisas?
Um dia eu disse no meu Facebook pessoal que ainda esperava o lançamento do “descascador de bananas” claro que estava brincando pois não vejo fruta  mais fácil de descascar do que uma banana. O exemplo é apenas para ilustrar, inventamos robôs para varrer e aspirar nossas casas, máquinas de lavar louça, roupa, máquinas para fazer café, máquinas pra tudo tudo, máquinas pra ler (ipad e kindle) e muito mais.
A moda agora é a tal da “automação” em casas e apartamentos. Acho que já falei aqui mas essas coisas me assustam, um amigo meu gastou R$40 mil pra automatizar o ap dele (sério). Isso significa que ele vai poder ligar o ar condicionado antes de chegar em casa,  ou vai poder ligar as luzes a partir de um ipad na parede da cozinha. Antes de tudo não estou fazendo juízo de valor, cada um faz o que quer com o seu dinheiro.
Eu por mim quero minha liberdade financeira o quanto antes, esta é a minha escolha. E também queria perguntar: Qual o custo de oportunidade de vivermos cada vez mais com tantos supérfluos e futilidades? Eu preciso mesmo de um robô pra aspirar minha casa? De uma máquina para lavar minha louça? De uma máquina pra fazer meu café? É claro que não. A de roupas até vai porque lavar roupa na mão é muito, muito cansativo (já lavei muitas vezes, muitas mesmo).
A indústria e os inventores todos os dias nos bombardeiam com coisas que não precisamos para trabalharmos cada vez mais para pagar tudo isso e permanecermos escravos do sistema. Tá duvidando de mim? Liga aí no Polishop! Eu nunca comprei um único produto do Polishop na vida, acho até graça, além de serem caríssimos. Horas a mais de escravidão para ganhos bem superficiais de tempo. Mas agora como de praxe, vamos ao post.
Pra começar a melhorar, admita pelo menos uma coisa, você vive com muito mais do que o básico, MUITO MAIS MESMO. Primeiro pense nas suas roupas, quantas camisas, calças, sapatos, tênis, bolsas, mochilas, meias, cuecas, calcinhas (se você for mulher) você não tem aí na sua casa? E o seu carro? Precisava ser esse mesmo? Quanto de capital em estoque você tem na sua casa que poderia estar rendendo pra você em ações, fundos imobiliários e na renda fixa? Ah frugal isso não é nada! Não é nada? Pense na sua TV a cabo de 250 reais de mensalidade, pensou? Dá R$3 mil reais por ano, R$ 30 mil a cada 10 anos! E só estou falando de uma de suas contas. Junte sua TV a cabo de 250 mensal, mais 250 mensal de roupas, 250 de gasolina porque você tem um carro mais potente, 250 reais de restaurantes caros… etc etc… cada item de 250 reais mensais vai lhe custar R$ 30 mil em dez anos. Impressionante não? Aí as pessoas reclamam que tem que trabalhar até os 65 anos ou 70 anos para poder se aposentar… Ora mas é claro, consumindo todo tipo de porcaria, supérfluos, coisas a mais, máquinas de lavar louça e máquinas de descascar alho, batedeira pra bater um ovo e por aí vai, como você vai se capitalizar para se aposentar? Bem difícil.
A verdade é que gostamos cada vez mais de conforto, e isso tem um custo em nossas vidas, custe de oportunidade. Cada real que você gasta é um soldado a menos no seu campo de batalha. Nós vivemos numa brutal guerra pela sobrevivência (peguei essa frase emprestada de Darwin) ele falou num sentido biológico, eu falo num sentido financeiro/liberdade/trabalho. Quanto mais soldados você perde, mais tempo vai ficar no campo de batalha. Se você chegasse com 10 milhões de soldados de uma vez ganharia a guerra fácil, mas você insiste em colocar 5 mil soldados por mês na guerra e retirar quatro mil e quinhentos soldados, como vai ganhar assim, com 500 soldados a mais por mês? Fora as mortes dos que estão lá, e que são naturais e imprevisíveis (perdas para o mercado ou por coisas da vida como desemprego, saúde, doações para familiares, etc…).
Cada calça sua pendurada no guarda roupa poderia ser 100 reais a mais na renda fixa, por favor, não me julguem radical, estou apenas explicando como isso funciona, cada tênis seu de 500 reais no armário lhe custa 6 reais por mês, lembre-se que estoque (COISAS NA SUA CASA) tem CUSTO. Toda empresa sabe que estoque é custo, por que você não poderia saber? 
O que faz a gente melhorar é admitir que estamos errados. Quem não admite um erro permanece nele. Eu acho errado ter minha casa atulhada de “coisas”. Gosto da palavra americana “stuffs” para designar coisas e objetos, ela me parece mais completa. Quando leio “stuffs” até me sinto incomodado. Quanto de stuffs você precisa na sua vida? Já não tem o suficiente? Pra quê comprar mais? Você tem um palio 2001 que lhe leva tranquilamente ao trabalho, por que quer trocar num Toyota Corolla 2017? Não acha que o Palio já resolve o seu problema? Vai investir 80 mil reais pra trocar o seu sofá motorizado? Qual o sentido disso? Essa é a reflexão que quero provocar.
O meu ap é bem pequeno, 60m quadrados, pra mim já está muito mais do que suficiente, poderia ser até menor inclusive, não preciso de mais 60m de “stuffs” pra me preocupar, cuidar, pagar imposto e limpar. Faz 2 anos que não compro roupas, só compro o extremamente necessário (tenho 5 calças jeans) e já acho muito mais do que suficiente, uma bege, duas pretas e duas normais. Tenho 2 tênis, 1 sapato social, 1 sandália havaiana e 1 crocs (que uso diariamente no trabalho).
Meu carro é 2007 e não tenho a menor intenção de trocar. Tenho umas 8 camisas pólo, umas 10 de manga longa de botão e umas 5 de botão de manga curta, e algumas bermudas bem antigas pra ficar em casa, e pra finalizar umas 20 camisas básicas (que uso pra trabalhar, ir pro comércio, trabalhar, ir no banco, viajar, ir pra bar e até pra balada).
Não vejo necessidade pra ter mais do que isso, passo meses sem usar uma ou outra peça. De extravagância no meu ap tem uma máquina de lavar, uma cafeteira dolce gusto e um microondas. Somente, fogão e geladeira não vou contar porque são básicos de toda casa. Bem, mas não queria falar de mim para me poupar de críticas, acho que cada um tem que fazer seu mea culpa e ver o que dá pra diminuir ou simplesmente não comprar mais.
EU tenho a seguinte política (lembre-se que meu ap é pequeno), CADA COISA que vai entrar na minha casa tem que ter uma função nobre e MUITO NECESSÁRIA e NÃO PODE FICAR ENTULHANDO, além do mais, de preferência TEM QUE SAIR OUTRA COISA de tamanho parecido. Assim minha vida fica mais enxuta, minha casa mais clean e meu dinheiro fica no melhor lugar que ele poderia estar, investido em produtos financeiros.
Reflita, pra quê ter e manter MUITAS COISAS, QUE ULTRAPASSAM EM MUITO O BÁSICO PARA VIVER? Não têm sentido financeiro, nem ecológico, nem de espaço, nem de praticidade, nem de utilidade. E escova de escovar os dentes, sendo ELÉTRICA e custando até 10x mais que a comum (essa não vou nem comentar)? Cada AP maior, você vai pagar mais IPTU e condomínio mais caro, se for uma casa idem, vai precisar de faxineira, vai gastar mais com manutenção, e isso serve pra uma casa ou carro (seguro, IPVA, gasolina, manutenção… etc…) tudo mais caro.
A diferença de um carro automático pra um manual? A grande diferença de consumo de gasolina, além do preço na compra, um carro popular manual ou até mesmo um sedã faz 10-13km/l, se for automático cai quase na metade 7-9km/l, então, você precisa MESMO de um carro automático? As pessoas passaram 100 ANOS dirigindo carros manuais MAS AGORA são quase OBRIGADAS a terem carros automáticos beberrões e assim consumir mais horas de trabalho e de vida livres para pagar toda essa diferença na compra e fora a gasolina? Não me convence.
Aliás, VOCÊ PRECISA MESMO, de um carro, ou de utilizar o seu carro com TANTA frequência?  Eu tenho um amigo que se vira de metrô e UBER na capital paulistana, NÃO QUER MAIS NEM SABER DE CARRO.  Existe sim MUITA DIFERENÇA de você ATINGIR UMA LIBERDADE FINANCEIRA ou digamos MEIA LIBERDADE FINANCEIRA aos 40 anos ou 55 anos, sim, e por simples coisas como um carro manual, uma assinatura de TV a cabo, de uma Revista tipo VEJA (não assino nenhuma), de comer toda semana UM almoço caro, etc.. etc.. lembre-se que cada R$ 250 mensais gastos em idiotices lhe custam R$ 30 mil a cada 10 anos, se for para um casal então lhes custa R$ 60 mil em dez anos.
É sua vida caro amigo, que lhe é retirada um pouco todos os dias e você nem percebe. A Matrix suga sua capacidade mental e laboral para basicamente nada demais, apenas para lhe manter no curso, cumprindo seu papel de escravo girando a engrenagem, azeitando o sistema, consumindo coisas que não precisa para ter que trabalhar cada vez mais para pagar tudo isso.
Ainda penso no dia que vou morar num lugar tranquilo, usar o mínimo possível um carro, andar MUITO de bicicleta, ter muito tempo pra ficar na minha, lendo, escrevendo, fazendo minhas coisas, meus trabalhos manuais, criando alguma coisa útil, praticando esportes e cuidando muito bem de minha futura família e também muito bem da educação dos meus futuros filhos. É quase um sonho isso. Não sei se tem a ver com essa tal de geração millenium que parece ser mais desgarrada das coisas, embora na verdade eu descobri que eu sou da geração Y, seja lá o que isso for.
Lembrem-se: CADA COISA A MAIS QUE O BÁSICO QUE VOCÊ TEM, É UM SOLDADO A MENOS NA GUERRA! E essa guerra se ganha com mais soldados.
Também aprendam essa técnica mais radical: 
Peguem uma coisa que paguem mensalidade, multipliquem por 12, vai dar o custo ANUAL, depois multipliquem por 10, vai dar o custo em uma década, vejam se vale bem esse custo, pois uma década de trabalho, investimento e aportes podem definir pra sempre sua aposentadoria precoce ou tardia, vejam se VALE MESMO A PENA o pagamento desta tal mensalidade que pode ser de qualquer coisa, e vejam o CUSTO DE OPORTUNIDADE e o IMPACTO que esse custo vai lhes causar. 
Lhes asseguro que IRÃO SE SUPREENDER com os resultados que irão encontrar. Imagina agora essa conta com a FATURA DO SEU CARTÃO DE CRÉDITO.
É isso aí pessoal, mantenham as coisas no básico, não precisamos de tanto para viver. É o que eu queria dizer por hoje.
WAKE UP DRONE PEOPLE!
Abraço,
Frugal.

Um comentário:

  1. Concordo contigo. Eu também sigo essa filosofia de consumo, embora às vezes tenha uns rompantes consumistas... rsrs

    Somos constantemente bombardeados por marketing feroz, livrar-se dos maus hábitos de consumo (desperdício) é um processo lento e longo.

    Cada dia, semana, mês sem comprar coisas inúteis é uma vitória.

    ResponderExcluir