Translate

terça-feira, 21 de março de 2017

Trabalhe pela SUA felicidade

É muito comum ver algumas pessoas reclamando do trabalho, do tanto que trabalham, de como é chato trabalhar, de como seria bom se não tivessem mais que trabalhar, de como seria legal se aposentarem logo com o dinheiro e as pensões rendendo e dentre outras coisas no geral, querem mesmo é SE LIVRAR DO TRABALHO.

Você pode ver as coisas de muitas maneiras com qualquer filtro que queira utilizar. Antigamente eu ficava achando muita idiotice essas coisas de “poder da mente”, “poder do pensamento positivo”. A verdade mesmo que eu cheguei é à conclusão que o que quer que seja, vai ser o que você quer e pensa, não tem como ser outra coisa, o seu mundo interior vai se externar em suas idéias e ações e comportamentos, e essa interação entre seu pensamento e seus resultados é real e vai acontecer.
Se você achar que seu trabalho é um fardo, ele será um fardo. Se você achar que é oprimido, humilhado, que sofre assédios infinitos e que é muito ruim trabalhar, tudo vai virar uma tortura. A sua mente pode fazer um céu do inferno e um inferno do céu, e quem comanda isso é você. Em situações desfavoráveis mude o foco e veja o lado bom e ignore o lado ruim, engula os sapos e siga em frente, todo dia você acorda de novo e pode fazer diferente. Eu já estive em trabalhos bons e ruins, bem pagos, mal pagos, mais ou menos pagos e não pagos. Cada um tem sua característica e seus riscos e benefícios. Você só tem que saber qual é o seu papel ali e cumprir a sua missão. Se você não souber ou não tiver idéia do por que você está ali e pra onde quer ir, é sinal de que provavelmente você não deveria estar ali. A sensação de pertencimento à algum lugar vai lhe ajudar a superar a passagem dos dias, do tempo.
Você tem que saber por que você trabalha. Primeiro passo. Pergunte-se e responda? Se quiser anote.
1 – Por quê eu trabalho?
2 – O que quero alcançar?
3 – Quanto tempo vou ficar nesse trabalho?
4 – Vou ficar nesse trabalho a vida toda?
5 – Quero trabalhar com essa mesma coisa em outro lugar? Outra cidade? Outro país?
6 – Quero trabalhar com outra coisa em outro lugar?
7 – Como eu poderia fazer pra melhorar meu atual trabalho? Estudando mais? Fazendo mais cursos? Me especializando mais? Trabalhando para mim?
8 – Estou satisfeito com este trabalho? Estou satisfeito com meu estilo de vida e minha renda?
O que eu quero é que você tenha uma idéia clara. Com isso você vai ficar satisfeito, vai poder fazer planos, vai poder reescrever ou melhorar sua história e vai poder se planejar melhor. Se você não responder à perguntas desse tipo vai ficar sempre vagando no vazio, indo pra lugar nenhum, andando em círculos e sendo um escravo fiscal do sistema, virando uma máquina de trabalhar e consumir e vendo sua vida passar, seus dias contados inteiros jogados num vazio existencial e sem perspectiva de melhora. Isso é importante, saber onde está e pra onde se quer ir.
Falando de mim posso dizer que já fiz e respondi todas as essas perguntas que lhes fiz e por escrito. E de vez em quando faço e refaço novamente, isso me faz ficar focado no que quero para mim no médio e longo prazo, o curto prazo pra mim é o presente e é o preço que pagamos agora para usufruir no futuro.
As pessoas acham que trabalham para ganhar dinheiro. Ok. É uma das coisas.
As pessoas acham que é por satisfação pessoal, sim, para algumas.
Outras acham que “é por que todo mundo tem que trabalhar” mesmo.
Outras só querem um trabalho para fechar as contas e curtir uns feriados e férias.
O tamanho dos seus sonhos fica limitado às suas perspectivas.
Se eu quisesse um trabalho que me fizesse apenas poder sair sexta, sabado e domingo eu teria. Se quisesse só pagar as contas eu teria. Se quisesse viajar pro exterior eu teria. Se me fizesse viver tranquilo e ainda juntar um pouco mais eu teria. Cada coisa dessa eu poderia chamar de “felicidade” na medida que é o seu objetivo.
O objetivo da maioria dos investidores e blogueiros de Finanças é o da Liberdade Financeira, isto é fato. Para nós esse seria o estágio ideal de felicidade (quem sabe quando chegar lá os conceitos mudem, por que com a idade tudo muda, mas por enquanto é o que é) não que eu seja infeliz por enquanto, muito pelo contrário, temos que aproveitar a estrada também, mas sabendo onde a estrada vai dar. Aproveitar a estrada que não leva a lugar nenhum é inconsequência pura e simples, pois você nunca sabe o que está do outro lado.
Defina sua felicidade, busque ela, trabalhe por ela e se mantenha no curso. Assim você vai conseguir trabalhar, nem que seja cortando cana de açucar. Você tem que saber por quê você está ali. Eu sei por que eu estou aqui, e sei como vou estar daqui a cinco anos se continuar aqui, em dez anos também, e em vinte anos também. Na minha atual posição eu penso que poderia ficar mais uns 5 anos e já deu, a partir daí posso procurar outra coisa em outro lugar ou país, até mesmo mudar de ramo.
Você tem que se sentir bem no seu trabalho, essa é uma das chaves para suportar a passagem dos dias. Já teve uns que foi uma barra, mas eu superei, arrumei outras coisas pra fazer e saí, às vezes de repente, às vezes aos poucos, diminuindo um pouco a cada dia até desaparecer. O título do post tem a ver com os seus objetivos e com a sua meta de ser feliz, e de poder perseguir essa meta com disciplina, paciência e inteligência, às vezes vale a pena ficar num lugar desconfortável e que você não gosta se for para conquistar um objetivo MAIOR. Pense lá na frente, não pense no HOJE. O HOJE já passou, é apenas uma ilusão.
Por exemplo, tem gente que trabalha no comércio de dia e faz faculdade a noite, trabalha só pra pagar as contas, mas sabe que quando se formar vai sair dali e buscar algo melhor (então não fique chateado nesse trabalho, enfrente, lute, conserve e se mantenha nele até se formar). Tem gente que se forma e passa num concurso público não tão bem remunerado (de nível médio) mas fica lá e trabalha para pagar as contas e estudar mais, pagar cursos para almejar passar em um outro concurso público melhor (então vá lá e faça, fique, se mantenha, suporte, conquiste). Tem gente que é diretor bem estabelecido de uma empresa grande privada e suporta uma puta pressão da presidência da empresa, ganha muito bem e está juntando dinheiro pro próprio negócio daqui a cinco anos, pois não vai aguentar essa pressão atual pelos próximos 10 ou 15 anos, e também tem os riscos inerentes de ser empregado no setor privado, ser trocado, a empresa falir, ou ser demitido. Enfim tem muitas situações, e se você não chegou ainda onde quer chegar lute incansavelmente para chegar lá. O preço mais caro a se pagar é ficar onde está, sem futuro e sem perspectivas de melhora.
Sobre quanto a ganhar dinheiro, você vai ganhar no seu trabalho mesmo, não tem jeito. Dinheiro se ganha trabalhando, como eu disse, investir em ações, renda fixa, fundos imobiliários e achar que vai ganhar dinheiro nisso é pura perda de tempo ou ilusão, não se deslumbre, o que vai crescer seu patrimônio são seus aportes mensais, sua economia pessoal e sua disciplina em consumir pouco. Não ache que dá pra ganhar dinheiro investindo. É como se fosse uma poupança mesmo, apenas talvez pagando um pouco mais, com muito mais riscos, mas nada que vá lhe tornar rico no curto ou médio prazo, isso só acontecerá no longuíssimo prazo, esteja ciente disso. Com o primeiro milhão fica mais fácil chegar no segundo, e daí mais fácil no terceiro, graças aos juros compostos, porém a maioria do tempo você estará no começo e o começo do tempo não é a mesma coisa do começo financeiro.
Talvez com muita sorte, muito estudo e muito trabalho eu chegue no primeiro milhão antes dos 33 anos, com muita sorte ainda mais chego no segundo milhão até os 36 anos, com o avanço do tempo e da sorte chego no terceiro milhão aos 40 anos e ao quarto milhão aos 42 anos.
Veja, nos exemplos o quão é longa a estrada (cada traço é um ano-calendário).
———————————- 33 anos (chegou no primeiro milhão)—-36 anos (segundo milhão)—–40 anos (terceiro milhão)—42 anos (quarto milhão) (e finalmente a liberdade financeira total).
Esse exemplo teórico que dei pode ser provavelmente eu. Outras pessoas podem demorar pelo menos uns 50, 60 anos pra chegar no primeiro milhão, ou nunca.
Um outro exemplo e mais comum poderia ser:
———————————————-47 anos (primeiro milhão)————59 anos (segundo milhão)——-65 (terceiro milhão) complemento de aposentadoria e fim dos aportes. Aqui você não viveria muitos anos da juventude ainda aproveitando muito, mas teria uma aposentadoria tranquila verdadeiramente e nunca seria um mendigo do governo. Esse exemplo poderia ser a história de vida de boa parte da população apenas se consumissem um pouco menos e investissem um pouco mais.
Você consegue ver o quão longa é a primeira estrada? Isso em se falando de 33 anos apenas (o que deve ser muito, MUITO raro). Veja o custo e o gasto de tempo e dinheiro, energia e força vital jovem para chegar no primeiro milhão (e também recuperar TUDO QUE VOCÊ GASTOU NA SUA EDUCAÇÃO A VIDA TODA) – Considere todos os gastos com escolas, inglês, educação, transporte, fardas, livros, cursinhos e cursos como um investimento financeiro para o longo prazo, POR QUE no fundo no fundo SÃO MESMO!
Esse primeiro milhão é apenas para recuperar o que foi gasto em você mesmo a vida toda para chegar até aí. Então aí você “EMPATOU com a  vida” e que bonito seria devolver um pouco disso aos seus pais um pouco já velhos e talvez empobrecidos pelo investimento em RENDA FIXA NEGATIVA que foi VOCÊ a vida toda. Eu já li uma matéria por aí que fala que o custo de um filho da classe média hoje em dia é de R$ 1 MILHÃO até os 18 anos de idade, fora o que ainda vai se gastar com ele na época da faculdade de mensalidades, aluguéis e lazer. Com muita sorte o cara vai dar certo na vida e vai ser independente dos pais pelo menos no final da faculdade, hoje em dia a maioria NÃO É. Se formam e ainda ficam morando na casa dos pais, se CASAM E TEM FILHOS MORANDO NA CASA DOS PAIS, e às vezes levam mulher e filhos pra casa dos pais. Numa conta simples somando com a faculdade essa conta vai pra quase 1,4 milhão gastos por filho. Não estou julgando a dádiva e a maravilha de ser pai ou mãe, e nem os momentos que você perderia ou ganharia com isso, estou julgando apenas financeiramente o caso.
Resumindo, se você quer ser RICO um dia, FOQUE NO TRABALHO. Só o trabalho vai lhe enriquecer, de outra forma só casando com um rico, nascendo rico ou ganhando na loteria. Os investimentos e produtos financeiros são coisas feitas para REMUNERAR O SEU CAPITAL e não CRIAR CAPITAL, são coisas diferentes. Hoje em dia me aproximando do primeiro milhão e com rentabilidade pífia comparada até mesmo com a poupança posso dizer que foi 87% de TRABALHO E 13% de RENTABILIDADE sobre TUDO que juntei.
Se você não gostar do trabalho, procure uma meta extra e a persiga, SEJA AMBICIOSO e trabalhe pela sua meta, ande para a frente como uma locomotiva disparada e siga na linha, uma hora ou outra você vai chegar lá.
Na minha história de vida o primeiro bem que comprei foi meu primeiro carro.
1 – 24 anos andando de ônibus e depois, um Palio 1.0 pelado, usado com 9 anos, comprado por 13 mil reais. Nessa época toda energia e prioridade era trabalhar pra pagar logo o carro (isso inclui trabalhar muitas horas, fins de semana, feriados e tudo o mais).
COMPRAR O CARRO ESSE ERA O FOCO DO TRABALHO E O CONCEITO DE FELICIDADE DA ÉPOCA.
2 – Aos 27 anos e por motivos de muita viagem em estrada (para trabalhar) e segurança pessoal (air bag, abs) vendi o Palio por 8,5K e comprei um sedã honda 2007 usado por 43k, o qual uso até hoje.
TROCAR DE CARRO FOI O NOVO FOCO DO TRABALHO PARA PODER TRABALHAR MAIS E MELHOR.
3 – 29 anos de idade, morando de aluguel há pelo menos 13 anos, comprei um ap de 60m por 300k.
TRABALHAR MUITO E APORTAR MAIS DOIS ANOS FOI O FOCO PARA PAGAR LOGO O IMÓVEL E ME LIVRAR DE VEZ DO ALUGUEL.
Isso inclui deixar de viajar, de curtir carnaval, Revéillon, Natal, feriados, inclui poucos presentes e muito sacrifício, muitas horas de estudo e tudo o mais que se deve fazer para aportar vigorosamente e pagar poucos juros pra construtora e bancos.
4 – 29 anos de idade, carro e ap quitados, próximo passo aprender sobre investimentos, ler livros, ver vídeos, fazer cursos, abrir conta numa corretora e aprender a investir investindo e conhecendo os produtos.
Já li mais de 50 livros nacionais e estrangeiros. Já li centens de postagens de mais de 40 blogs e acompanho alguns no Brasil e no exterior. Vi muitas horas de vídeos no youtube. Já fiz cursos on-line no Coursera (Yale e Universidade de Genebra) e FGV sobre portfólios, macroeconomia, mercados financeiros, ações e investimentos no exterior, me cadastrei e acompanho no Bastter e faço a minha parte na seara teórica de tudo isso para não ficar ignorante no assunto.
Iniciando investimentos em ações há 3 anos, agora com um pouco na RF e Fundos imobiliários, meu colchão financeiro e reserva de emergência formados, o foco agora é direcionar parte dos novos aportes para o exterior e comprar mais RF e fundos imobiliários aqui para a alocação chegar onde quero.
O FOCO AGORA É CHEGAR NO PRIMEIRO MILHÃO. PRA QUÊ?
PRA CHEGAR NO SEGUNDO MILHÃO E, DEPOIS DISSO, NO TERCEIRO MILHÃO.
Teoricamente o terceiro milhão é a linha de base da LF para mim.
TUDO ISSO FOI CONSEGUIDO GRAÇAS AO TRABALHO, PORTANTO:
foca
Abraços,
Frugal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário