Translate

terça-feira, 21 de março de 2017

Seja ambicioso

Cada palavra tem um conceito, um impacto na sua mente, uma imagem que você tem da palavra, que foi criada e nutrida na sua criação, na sua família, no meio dos seus amigos, do seu bairro. E é partir dessa imagem que você tem do que possa ser ambição que quero falar um pouco hoje.
A palavra em questão aqui é AMBIÇÃO.

“Significado de Ambição

s.f.Desejo desmedido pelo poder, dinheiro, bens materiais, glórias etc; cobiça: só conseguiu ser rico porque sempre teve ambição. Obstinação intensa para conseguir determinado propósito; vontade de alcançar sucesso; pretensão: tinha a ambição de um dia ser cantor.”
Até em dicionários pela internet a palavra vem com o sentido deturpado, tosco. Não tem nada a ver com isso que está na definição. A segunda definição começa a melhorar:
Eu poderia dizer: Seja obstinado. Mas prefiro dizer, seja ambicioso. Primeiro para quebrar paradigmas com a palavra em si, e segundo para quebrar os outros paradigmas que vou explicar abaixo.

Falando por mim, essa palavra sempre teve uma conotação negativa, foi o que me ensinaram. Ser ambicioso era ser egoísta (outra palavra que me ensinaram errado), ser ambicioso era “querer ser o que não é”, era “querer atingir um nível de vida que não era pra você”, era “querer ser rico” (como ser rico fosse uma coisa ruim ou do mal), ser ambicioso era ser desalmado, malvado, desumano, mesquinho, fútil, indecente e egocêntrico.
O ambiente em que você esteve moldou o que você pensa das coisas e do mundo. As pessoas falaram centenas de coisas e tentaram lhe transmitir idéias falsas e erradas. E você tomou várias dessas coisas como verdades, inclusive familiares seus, bem intencionados ou não.
Quando eu era criança era bombardeado por todos os lados com preconceitos de meus avós e tios, vizinhos e primos. Hoje em dia analisando friamente o meu ambiente da infância eu constato o quão tóxico era pra qualquer criança em processo de formação do caráter. Eu falo isso porque você tem que se conhecer, mergulhar na sua cabeça, nas suas memórias e lembranças e perceber como os conceitos foram parar dentro de você. Existem ambientes que não foram feitos para o progresso pessoal, e nesses ambientes família e amigos atrapalham muito, e o indivíduo chega numa situação de vida que não sabe porque se meteu lá, tudo fruto da sua criação.
Metade da minha família por parte de mãe era evangélica, por parte da mãe, eu até cheguei a ir em igrejas quando era criança porque me levavam, eram igrejas do tipo da Assembléia e Presbiteriana. Preciso dizer que ali me foram ensinados vários preconceitos, assim como essa parte da família me ensinou várias coisas ruins que eu discordava. Minha avó era muito evangélica e ao mesmo tempo muito racista. Ela tinha frases prontas para quase tudo e claro que a maioria delas retirada da Bíblia, já escutou aquela:
“É mais fácil um camelo passar no buraco de uma agulha do que um rico ir pro céu”.
Com certeza você já deve ter escutado essa. Eu escutei centenas de vezes. E onde você acha que foram parar os sei lá 25 netos dessa minha avó que passaram a infância escutando isso? Isso mesmo, estão todos pobres. Um dia desses uma prima engravidou de novo, recebeu a notícia sem alegria alguma, pois já não tem como sustentar os dois que nasceram antes, a coisa é nesse nível.
“Gente rica não presta”
“Morre e não leva nada”
“É rico porque não dá um pão para um doido”
“Só é rico porque roubou muito os outros”
“Fulaninho só quer ser rico”
O tom jocoso, de deboche, de empáfia era a regra.
Certa feita, numa casa onde NINGUÉM tinha entrado em nenhuma faculdade ainda, um dos netos foi inventar de dizer que queria entrar para a Universidade. Pra quê? Você acha que houve incentivos ou comentários debochantes? Isso. Comentários debochantes.
“ISSO (referindo-se a uma pessoa) pensa que vai ser rico”
“ISSO aí vai ficar doido de tanto estudar”
“Tá inventando de estudar pra não querer trabalhar”
“Quando acabar os estudos (ensino médio) tem é que trabalhar pra ajudar em casa”
Se fosse só uma vez ou outra, mas imagina passar 18 ANOS ESCUTANDO ISSO!
Às vezes a salvação do pobre é o contato com pessoas da classe média ou mesmo ricas para saber que não é bem assim, não é bem por aí.
O meu pai nunca me falou nada disso. Ele trabalhava para um cara rico (político) mas numa função muito de serviço braçal mesmo, dirigindo e até doméstico e/ou de caseiro/faz tudo. O que me possibilitou visitar a casa do patrão dele algumas vezes ou ficar lá em alguns feriados e em finais de semana. E não era nada disso. Óbvio. O cara era legal, me tratava bem, me deu até presentes certas vezes, e eu me sentia realmente confortável ali, e às vezes até mais bem tratado do que na minha própria casa ou na casa de outros familiares (tios e avós). Então, “como”? Mas ser rico não era ruim, e não prestava, e era do mal? Ser pobre não era bom, honesto, divino e abençoado? A verdade é que boa parte dos pobres criam ambientes tóxicos para si mesmos e vêem a melhora de vida dos outros como uma coisa ruim. O próprio conceito que eles têm de riqueza é deturpado, seja pela falta de vivência com os ricos, seja por ter aprendido pela religião ou por pura e simples ignorância mesmo. Ser rico ou pobre não define caráter de ninguém. Os maiores ladrões do país são ricos, e os 2 milhões de ladrões de celulares por aí são todos pobres. O patrimônio só aumenta ou diminui a escala do roubo.
Por que eu falo pra você ser ambicioso?
Porque ambição não é uma coisa ruim. Absolutamente. Você tem todo o direito de estudar, trabalhar, crescer na vida, acumular valores, arrumar um bom casamento, morar numa boa casa ou bom apartamento, viajar nas férias, conseguir pagar suas despesas sem medo, matricular seus filhos em escolas boas e pagar plano de saúde para todos. Qual o mal que há nisso? Se você nasceu numa família de classe média pra cima pode estar estranhando esse post, mas se você nasceu e se criou no meio da pobreza percebe que isso é comum, é isso que escutamos o tempo todo por ali. As pessoas por viverem privadas de certas coisas começam a condená-las e a fazer julgamentos morais sobre quem consegue, e com isso contaminar o pensamento das futuras gerações e moldar o destino da vida delas, e isso ainda acontece em pleno 2016.
Já um pouco mais velho e no fim da adolescência fiz alguns amigos de condição social melhor (devido a bolsa de estudos em escola particular) e pude visitar suas casas, ir pro shopping em turma, estudar na casa deles no fim de semana, ir numa festa ou outra com eles e vi que eram pessoas legais, por sinal muito mais gentis e confiáveis do que meus outros amigos do bairro, onde a tônica das brincadeiras era violência, força bruta e hostilidades (não que isso seja de todo ruim, mas era sempre e apenas isso), mas era diferente. O ignorante sabe muito bem destilar seu veneno por onde passar para justificar sua ignorância e assim atrasar a vida dos outros e puxar-lhes para o buraco vazio e profundo em que eles mesmos habitam.
Dessa forma pude constatar cedo a dualidade desses dois mundos tão distantes e tão peculiares. Em um o preconceito, a timidez, as brigas por pequenas coisas, a fofoca, a violência das palavras e das idéias era a regra, além de lhe falarem e lhe lembrarem sempre que você era um ser incapaz de qualquer coisa, um lugar de desestímulo perene. No outro, pessoas estudando, outras trabalhando, outras lendo, livros em casa, pessoas educadas, gentis, que ofereciam uma refeição e já convidavam para a outra, já convidavam para outro fim de semana, pessoas que valorizavam o esforço e a condição do interlocutor, assim como a própria pessoa humana dele, enfim diferenças que fazem toda a diferença.
O que me dá pena é que sei que milhões de pessoas nunca terão a oportunidade de conhecer um mundo melhor, seja pela limitação social, financeira e geográfica que moram, seja pelas oportunidades que a vida lhes dá, ou então já irão desconstruir esses conceitos numa fase tardia da vida onde já não se possa fazer muita coisa, mas se você, por acaso, não conhece, não se abale, queira o melhor, queira o bem, estude e lute pelo bem e pelo seu destino. Pelo menos a internet veio aqui pra isso, e ainda bem, assim se pode baixar livros, ler blogs, ter redes sociais e trocar idéias.
Se você foi ensinado/doutrinado de que ser rico é pecado, saiba de uma coisa: É mentira.
Se lhe disseram que ricos/classe média são pessoas ruins, ladrões, que vão pro inferno, que roubaram para enricar, que exploram os pobres, saiba: É mentira.
Ambição é um estado de espírito saudável onde você busca resultados melhores pra você, e isso também será bom para sua família e amigos e pessoas que você ama, pois você vai ajudar a todos no futuro seja com dinheiro, seja com conhecimento, indicações, ajuda, conselhos e idéias.
Apenas pessoas mesquinhas não desejam o sucesso dos outros. Alegre-se com seus pequenos sucessos e alegre-se verdadeiramente pelo sucesso dos seus amigos e familiares. Saiba abraçar sua própria história e querer progredir na vida, mesmo que outras pessoas não queiram ou não gostem de suas vitórias, existirão muitas outras aplaudindo. E é por você e as pessoas que lhe querem o bem, que você tem que lutar e vencer.
Você tem o direito humano de progredir, de ser feliz, de viver dos frutos do seu trabalho e da sua dedicação, para você ganhar ninguém precisa perder, você pode ser rico um dia mesmo sem roubar, sem tomar nada de ninguém e nem trapacear, não há nenhum pecado nisso, não há culpa, nem remorso, não há impecilhos morais, nem éticos, nem religiosos para que a sua vida melhore. Você nasceu num país livre, você pode alcançar muita coisa, mesmo as crianças de hoje serão grandes pessoas no amanhã, lembre-se que o Messi há uns anos atrás era apenas uma criança. Não se deixe render por idéias erradas, por limitações que você ganhou de herança da vida e da família, você nasceu sem dívidas e livre, e não precisa ser pobre para provar nada a ninguém. A sua vida e sua existência não precisam ser pautadas em conceitos vazios e imaginários saídos da mente de outras pessoas, você tem o dever moral e o direito de escrever sua própria história, conquiste o mundo que você quer para si.
“Idéias e apenas idéias podem iluminar o mundo”
Ludwig von Mises
Grande abraço,
Frugal
msb8244_mensal
Seja um doador mensal de Médicos Sem Fronteiras, você estará ajudando a salvar a vida de milhões de pessoas no mundo, estará ajudando a dar esperança para as pessoas mais pobres do planeta, vítimas de desastres naturais, guerras e perseguições políticas e religiosas, a maioria crianças e órfãos, clique aqui e cadastre-se.

Um comentário: