Translate

terça-feira, 21 de março de 2017

Reflexões de uma breve jornada

É minha terceira viagem para a Argentina nos últimos cinco anos. É impressionante o quanto o país piorou de lá pra cá.
A primeira viagem na qual fiquei 15 dias em Buenos Aires, tudo era barato, as coisas estavam legais, a cidade um pouco mais limpa, não ouvi notícia de nenhum assalto, o clima estava melhor. Na segunda vez a cidade estava mais suja e abandonada, vários amigos e conhecidos me relataram assaltos, uma amiga minha foi diretamente assaltada 20 minutos antes de me encontrar, as paradas de ônibus muito lotadas, protestos e mais protestos, greves, greves e mais greves, isso porque Buenos Aires é o epicentro político.
Agora estou em Córdoba, acho que segunda maior cidade da Argentina, com mais de 1,2 milhões de habitantes, muitos carros velhos, muitos mesmo, até Fiat 147 eu vi aqui, o povo maltrapilho demais, trânsito caótico, cidade suja, eu vi uma briga de rua clássica, muita buzina, teve tiroteio no começo da manhã, o semblante das pessoas não é nenhum pouco feliz, não vi um sorriso de um argentino aqui nessa viagem, até a mulherada que em Buenos Aires tinha umas bonitas aqui em Córdoba não tem. Enfim, é triste ver um país que era tão próspero sucumbir a décadas de desmandos políticos e sociais. O dólar aqui está muito, muito caro 1 peso = 15 dólares, praticamente inviabiliza a viagem ou o sonho de qualquer argentino emigrar, eles empobreceram demais (em dólar) e assim ficam mais presos ao país. Isso me faz pensar o quanto é importante ir acumulando patrimônio em dólar desde sempre, essas outras moedas do terceiro mundo são muito voláteis, ninguém confia nelas, os governos desses países são irresponsáveis e imprimem dinheiro o quanto querem e na hora que querem para sustentar seus projetos criminosos de poder, do jeito que a Kristina fez, empobreceu milhões e tirou a esperança de uma vida melhor de boa parte da população.
Nas outras vezes que viajo tenho a iniciativa de sair, comer na rua, conversar com as pessoas, tirar fotos da cidade, etc… aqui essa vontade passou completamente, o clima chuvoso e sombrio, os tiros, os carros velhos, a sujeira, tudo isso me desestimulou, é muita decadência. Eu também poderia ter ficado num Hotel melhor, ou num Hostel melhor, mas me peguei numas avaliações positivas de um Hostel e achei que iria ser bom, não é. Na verdade acho que de uns 30 hostels que já fiquei na vida, nunca tinha ficado num tão ruim, velho, caindo aos pedaços, sem manutenção alguma, com café da manhã ruim e uma galera, muito, muito estranha (e olha que geralmente o pessoal de hostel já é estranho por natureza, o que me inclui) mas dessa vez nem EU me senti tão à vontade. Neguei dois convites pra sair a noite, dormi muito, fiquei enfurnado no quarto a tarde e a noite e não vejo a hora de voltar logo. Talvez tivesse valido a pena ir para um hotel melhor mesmo, só que lá não dá pra conhecer ninguém e nem conversar, isso que acho ruim de ficar em hotel. Em hostel pelo menos dá pra conversar e fazer amizades, mas nesse tá difícil de verdade. O que faz o hostel às vezes é a turma que está nele e você consegue se integrar, fora isso fica bem sofrível mesmo. Na vida a gente tem que arriscar, e a despeito de eu ter me dado bem em 90% das vezes, dessa vez foi meio improdutivo demais, acontece.
Também é impressionante o quanto você pensa na vida quando sai da sua rotina. O simples ato de ficar num café no centro vendo as pessoas passarem é uma experiência interessante. Eu vejo todos os trabalhadores apressados, com cara de cansados, com roupas velhas, casacos velhos, cabelos por cortar, barbas por fazer, pessoal bem assalariado mesmo que vai ficar nessa toada a vida toda e sem sair do lugar, essa eterna escravidão para os governos e dívidas, a escravidão da Matrix…
Antes dos bancos abrirem aqui já tem filas enormes do lado de fora, enormes de dar a volta no quarteirão. Estou bem no centro financeiro, com uns 10 tipos de bancos, financeiras, câmbio e tudo o mais, e por aqui circulam o pessoal do setor financeiro o tempo todo, de roupa social, sapato social, relógio, bolsa de couro, é interessante e engraçado o jeito do pessoal, é sempre a mesma coisa, aqui, em SP, no Rio ou em Chicago.
Todos que perguntei acham que ainda é cedo pra ver se o Macri é bom ou ruim, mas dizem que ele não fez muita coisa, na verdade acho que as pessoas esperam demais do governo, acho isso um erro, um presidente dificilmente vai melhorar diretamente a sua vida, seja ele quem for, e eles têm poderes limitados também. O almoço aqui é bem estranho, você pede uma carne e vêm a carne mesmo, e só. Daí tem que pedir uma salada extra. Caramba como argentino gosta de uma buzina viu! Buzinam pra tudo o tempo todo, e são extremamente impacientes no trânsito, sério, isso aqui tá muito pior do que o Brasil. Pelo menos fiz o teste que vim aqui pra fazer e o resultado demora umas seis semanas, daí vou ficar sem nada pra estudar. Tenho uns 6 livros em fila pra iniciar a ler e uns 5 livros em fila pra acabar de ler.
A energia elétrica aqui é estatal, e como tal, JÁ CAIU A LUZ 3x ESSA TARDE! É I-M-P-R-E-S-S-I-O-N-A-N-T-E como dificilmente algo estatal presta. Como isso é possível? A internet também oscila muito a velocidade de conexão, enfim, não dá pra esperar nada assim, e o banho quente anda junto com a energia elétrica. Pelo menos não vou morrer de calor se não dormir no ar-condicionado nem ventilador pois a temperatura está em 25 graus.
Enquanto isso no Brasil a bovespa vai bombando e se aproximando dos 62 mil pontos, minha carteira quase tudo no azul, BBAS impressionante por aqui, assim como BM&F e M.Dias Branco, com altas impressionantes, assim como São Carlos, Hering, Itaú e Equatorial. Por falar nisso se o Itaú comprar mesmo o City Bank vai entrar também aqui na Argentina pois tem City Bank aqui, então Itaú que já tem o maior chileno e um dos maiores da Colômbia também entrará aqui na Argentina, caminhando para se tornar um banco sulamericano e com um pé nos EUA graças ao Citybank. Nessas horas você se sente bem em estar entupido de ações, mas nas horas ruins fica achando ruim não ter comprado RF.
Os ganhos em ações são impressionantes de verdade, ver sua carteira subir 10 mil reais num dia (ou cair) é algo muito louco, e você tem que perceber que isso não significa muita coisa, são apenas números, as empresas são as mesmas de fato. O mercado é totalmente bipolar, estavam vendendo Banco do Brasil a 14 reais não faz nem um ano e hoje está em 26 reais.
Espero não precisar voltar aqui tão cedo.
Grande abraço,
Frugal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário