Translate

terça-feira, 21 de março de 2017

O vídeo game e a liberdade financeira

Fora este dividendo eu só tinha mais o meu salário para pagar todas as contas, apartamento, seguros, cartão de crédito, tudo. E apenas meu salário. Hoje em dia quando você descobre de que vai passar a ganhar (projetados) R$40.000,00 por ano ano de dividendos a partir do ano que vem dá uma sensação de realização e de agradecimento imenso. É como se quanto mais o tempo passasse mais fácil ficasse.
Quando você imagina com será a estrada para juntar dinheiro e investir, você acha que vai conseguir num futuro muito distante, que vai sofrer até lá, que vai ser muito difícil ou quase impossível, que é chato cortar gastos, lazer, fazer almoço, andar a pé, não comprar coisas para seu lazer, não ir ao cinema e baixar filmes piratas pra assistir. São tantas dezenas de coisas que você pensa, que lhe limitam que você tende a ficar no mesmo lugar paralisado, imóvel e com medo de tentar.
Vou fazer um paralelo aqui com o vídeo game. Quem joga vídeo game sabe do que estou falando, para quem não joga vou explicar:
Quando você joga vídeo game, o começo do jogo é bem fácil, os seus adversários são idiotas, você progride com facilidade, acerta todos, quase não leva danos, nunca morre, consegue se locomover com liberdade, nunca fica perdido, tudo você acha fácil na mão, você tem espaço e tempo de sobra para pensar, voltar atrás, refazer seu caminho, desfazer algumas decisões, ir conversar com pessoas novamente, às vezes você fica parado e os seus amigos fazem boa parte do trabalho por você ou ainda você precisa só estar perto acompanhando que entra com eles sem muito esforço. São maios ou menos assim as primeiras fases num vídeo game padrão.
Na medida que o jogo vai caminhando, os oponentes ficam mais fortes e espertos, você leva um golpe e cai no chão, você se perde nas cidades, você tem que bater em 45 portas pra encontrar uma resposta, os seus amigos se espalham, você tem que procurar muito por certos itens como chaves, armas, mapas, roupas, remédios, água e comida e por aí vai.
Você fica horas e horas rodando em círculos procurando respostas, você fica com raiva, progredir é cada vez mais difícil, juntar um dinheiro fica difícil, trocar suas armas fica difícil, entrar em tal lugar é só com a permissão de um cara que você nunca viu ou não faz idéia de quem é, as pessoas olham pra você desconfiado, muitas já lhe desafiam logo e chamam pra briga e tudo vai ficando mais difícil.
No vídeo game a sua vida começa fácil e vai ficando difícil na medida que o tempo passa, lá pro final do jogo os inimigos são muito fortes e derrotá-los demora cada vez mais tempo e exige cada vez mais habilidades, força, destreza, itens, armas, remédios, muitos amigos, muita ajuda e até mesmo sorte e coragem para vencer o chefão final.
No caminho para a independência financeira é como se fosse um pouco o contrário. Você já começa num nível difícil, sem estudo, sem conhecimento, e tudo vem contra você, as contas, despesas, consumismo, matrix, obrigações várias, incertezas, angústias, desesperanças, o próprio desemprego, a vida é foda com você, é muito banho de chuva, suor, transporte público, longas caminhadas a pé, refeições que você pula ou não faz, sede, dormir na casa dos outros, refeições na casa dos outros, o dinheiro contado na mão, é pedir dinheiro pra família e amigos.
Isso é o começo pra muita gente, e esse começo pode durar uns 10-15 anos, e o pior, além de ser difícil é demorado, e quanto mais tempo uma coisa demora mais difícil sair dela, é o que eu chamo de “armadilha da escassez”. Com um extra ainda de casamento ou filhos precoces em muitas vezes. Coisa de superação dificílima. Apenas com muita racionalidade, disposição, vontade, estudo e trabalho é que o ser humano consegue sair da armadilha, se nada for feito irá morrer exatamente neste estágio, difícil, que é o que a maioria .
Superada a “armadilha da escassez”, já com um emprego, pouca dívida, tempo para estudar, fazendo todas as refeições, se locomovendo com mais conforto e dormindo melhor, com um trabalho, com um certo conhecimento em alguma área, a vida fica um pouco mais tranquila, mas não dá pra ficar parado, você sai da “armadilha da escassez” com muito custo e não quer voltar pra ela (o que pode acontecer, basta você ficar parado). E aí começam (ou continuam) os investimentos, seja na carreira, seja no mercado, seja em você mesmo. Lembre-se que você investe primeiramente para não empobrecer. Você passou de fase e a vida melhorou, percebeu? Para aquele padrão anterior tudo fica mais facilmente superado, existem desafios maiores, mas aqueles do passado que eram grandes ficam pequenos. E você não precisa enfrentar desafios maiores se não quiser.
Na medida que o tempo vai passando, o capital se acumulando, os juros compostos fazendo o seu trabalho, os aportes progredindo, o seu conhecimento e experiência aumentando, certamente a vida vai ficar mais fácil pra você, almoçar, jantar, viajar, dormir num hotel, pegar um táxi, comprar alguma coisa que precise, tudo isso vai ser relativamente fácil, é como se você, no final, chegasse na primeira fase do vídeo game cheio de poderes e itens e conseguisse derrotar os adversário com extrema facilidade. É como se você no vídeo game chegasse poderoso na última fase e fosse jogado na primeira fase de novo com todo o conhecimento e poder acumulados durante o jogo, para refazer as mesmas coisas que já fez um dia sem quase nada, só com a mão, ficaria muito fácil.
E o objetivo é exatamente este, fazer as coisas com uma facilidade que você nunca teve antes, ficar tranquilo, tirar férias, andar tranquilo, sem preocupações com escassez, com o futuro, com as necessidades básicas, com coisas urgentes e difíceis de serem resolvidas. O difícil é superar a loooooonnnngaaaaaaaa e demorada fase inicial HARD para alcançar os níveis mais fáceis, pode demorar décadas, mas é possível, depende muito de você, da sua mentalidade e do seu comprometimento, claro que não é fácil, senão não haveriam tantas pessoas nessas situação tão miserável, desconfortável e penosa, mas também nem todo mundo se dispõe e nem quer, ou simplesmente não faça idéia de que é possível sim progredir, lentamente, mas é possível.
Grande abraço,
Frugal.
screenshot-2016-10-08-10-24-56
MSF já salvou mais de 27 mil refugiados no Mediterrâneo.
Seja um doador mensal de Médicos Sem Fronteiras, você estará ajudando a salvar a vida de milhões de pessoas no mundo, estará ajudando a dar esperança para as pessoas mais pobres do planeta, vítimas de desastres naturais, guerras e perseguições políticas e religiosas, a maioria crianças e órfãos, clique aqui e cadastre-se.

Um comentário:

  1. Ótima parábola. É exatamente assim que me sinto hoje, numa fase bem mais fácil da vida. O único inimigo agora sou eu, caso eu desista de "jogar o jogo" antes de chegar à fase final.

    ResponderExcluir