Translate

terça-feira, 21 de março de 2017

E se você nunca atingir a liberdade financeira?

Tenho visto na blogosfera brasileira e americana que realmente o assunto que mais é buscado, planejado e comentado é a tal independência financeira, aposentadoria precoce, liberdade financeira dentre outros nomes que querem dizer a mesma coisa, viver sem depender do seu trabalho, com seu estilo de vida pago com seus rendimentos de investimentos. Tá beleza, legal, e se você não conseguir?
Quantos cálculos, quantas horas, quantas simulações, quantas continhas básicas você já deve ter feito para atingir o número mágico? Eu já fiz, e toda vez que faço quase me arrependo pois sempre é muito mais do que eu imaginava e vejo que a despeito da minha caminhada ter começado em 2009, hoje sete anos depois vejo que só andei um terço da estrada que eu queria, se não fossem os juros compostos isso iria demorar quase 21 anos, de muito trabalho, frugalidade, marmita, lazer barato, muita renúncia e padrão de vida muito abaixo do que eu poderia ter. Se vale a pena, e se tem valido a pena? Não tenho dúvidas. Hoje vejo que apesar de um começo difícil as coisas vão se ajeitando melhor a cada mês que passa e que a tranquilidade vem aumentando mês a mês. O começo da estrada é muito ruim pois você depende exclusivamente do seu aporte e nos primeiros três anos os proventos são tão irrisórios que basta uma pequena viagem de feriadão que você já gastou todos eles.
O que eu quero dizer aqui é que assim como muitas coisas na vida, a LF não virá pra todo mundo que a busca. É como uma medalha olímpica, são centenas de atletas tentando, apenas um consegue, com o detalhe de que são medalhas quase infinitas e que basta você manter o plano que um dia sua hora chegará. São 100 pessoas correndo na maratona da LF, 50 ficam pela metade, 25 mudam de idéia, 20 arrumam outro jeito de viver e uns 5 chegam no fim ou muito perto do fim. Mas vamos ser realistas, todos os 100 que se dispuseram a correr estão na frente de MILHÕES que nunca sequer pensaram nessa corrida. Os cem que estão correndo basicamente tem dívida zero, não pagam juros, maioria tem casa própria e quitada, têm reserva de emergência, já combinaram com seus cônjugues e acertaram o estilo de vida e as metas da casa, recebem proventos e dividendos o ano todo que ajudam a reinvestir ou a pagar as contas da casa, podem continuar correndo diminuindo o ritmo mas mesmo assim ainda estarão correndo, estão mais protegidos de crises sistêmicas, desemprego e imprevistos do que os demais. Então uma coisa é certa, é melhor entrar na corrida do que ficar fora dela.
Infelizmente nossa vida é limitada em alguns anos e dependendo do aporte e do crescimento do montante não vai dar pra atingir a plena LF, mas não vejo isso como um problema, o problema mesmo é imaginar a situação de “ou é 8 ou 80”, “ou vai ou racha”, “LF ou morte”. Não podemos ficar cegos em relação à isso, é necessário viver, conciliar lazer, família, hobbies, esportes, amigos, viagens e tudo o mais dentro do plano. Não dá pra viver como um pobre e morrer rico. Escrevi sobre isso aqui no começo do blog e postei uma anotação de caderno que achei num fórum que era muito legal. O post era esse:
din















E então, como em concursos públicos, sabemos que várias pessoas ficam pelo caminho, mudam de idéia e vão fazer outra coisa. Tentar atingir a LF é a mesma coisa, o percentual de desistência é alto, muitos blogs já vieram e foram embora, e com eles os sonhos de seus autores, eu espero permanecer aqui com o sonho aceso e buscar a LF sim, talvez se um dia eu sair daqui é porque acho que vou ter desistido, embora ache isso MUITO improvável.
Então o que eu quero dizer pra você nobre leitor que aqui está: Não ache que se não atingir a LF você falhou, muito pelo contrário, poupar e investir sempre vai ser melhor que nada, não ser um devedor e nem pagar juros pro sistema já lhe ajuda muito. Mil reais que você receber por mês não vai lhe deixar na LF, mas vai pagar sua gasolina, sua internet, seu celular e seu cafezinho na padaria.
Gosto de pensar assim, gosto de pensar que estou me aposentando AOS POUCOS e parte do segredo está aqui. Todo mês imagine que você se aposenta UM POUCO. Você pode não se aposentar 100% mas pode se aposentar 50%, 40%, 25% o que for, qualquer dinheiro vai ajudar no futuro, QUALQUER DINHEIRO, e TODO DINHEIRO É BEM VINDO.
Vale a pena buscar esse sonho, pois todo o caminho é recompensador, entre ganhos e perdas, você vai sentir que os ganhos compensam as perdas, só em ter reservas já vai ser muito bom, só em não ter dívidas é ótimo, só em ganhar dividendos e aluguéis, MELHOR AINDA. Não importa se você vai se aposentar cedo e “viver de renda” ou se você nunca vai chegar lá, aproveite o caminho.
Atingir a LF é uma consequência de um longo plano e não um fim. Eu não vejo que um dia eu vá parar de trabalhar por causa disso, isso é só uma coisa a mais, tem que ter bom senso. Escrevo isso porque vez ou outra vejo algumas pessoas desanimando, dizendo que é impossível (pessimistas em todo lugar) – e pessimismo é algo contagioso, você tem que tomar cuidado pra não se contaminar. É uma pena mesmo que tanta gente se disponha a ser pessimista e que faça campanha pelo carpe diem, a vida é agora, vou morrer e não levo nada etc e assim assumir posturas de vida inconsequentes e suicidas.
Mês passado recebi R$480 de dividendos, esse mês de agosto vou receber quase R$ 3500,00 de dividendos, isso não me deixa nem um pouco perto da LF, mas como costumo dizer aqui, poderia pagar maioria das minhas contas com isso, condomínio, internet, celular, gasolina, supermercado – só para exemplificar. E assim um dia essas pequenas contas de utilities, transporte e moradia vão ser só uma vaga lembrança pra mim pois os investimentos vão pagar tudo e ainda vai sobrar.
Então amigos, tenham força, qualquer coisa é boa, todo dinheiro é bom, NINGUÉM É OBRIGADO A ATINGIR A LF, a gente pode ficar só pelo caminho mesmo, que mal há? Não há mal algum, não há derrota, não há vergonha. Vergonha (interna) é ser endividado, pagar juros, não ter reservas, viver estressado e com medo de desemprego, andar em cima da linha da navalha e nunca ter esperanças de um dia melhor.
Você tem que viver com menos do que ganha, tem que economizar, tem que poupar, tem que aprender finanças e investimentos, tem que aportar algum valor mensal, tem que trabalhar mais e melhor, tem que aprender inglês, tem que PAGAR a sua aposentadoria, tem que ter reserva de emergência, tem que aprender a consumir conscientemente e com responsabilidade, tem que aprender a não fazer dívidas insanas, a não pagar juros, a viver o seu padrão de vida que os seus ganhos permitem. Isso sim é o básico do básico, que infelizmente QUASE NINGUÉM FAZ.
E só em não fazer o básico é que vem as desgraças da vida, brigas conjugais, divórcio, doença, stress, depressão, isolamento, tristeza, alcoolismo, drogadição, dívidas impagáveis, brigas familiares com filhos ou parentes, e muito mais coisas ruins que vejo e sei, e que o substrato comum é descontrole das finanças e das dívidas. Por isso que um bom colchão financeiro lhe protege de várias agruras da vida.
Se, a partir disso um dia você viver até chegar a época que a LF vier naturalmente, EXCELENTE, se não você fez a sua parte e viveu dignamente e com responsabilidade e preparado para o mundo em que vive.
Grande abraço,


Frugal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário