Translate

sexta-feira, 24 de março de 2017

Como investir na Suécia

Vou explicar de forma simples como investir na Suécia, pela internet e com baixo custo de investimento.
Sempre tive uma atração por esse país desde pequeno. Lá em casa cheguei até a ter livros de sueco para aprender, dicionário e sempre gostei muito de estudar a História da Suécia. Não sei como começou isso, as crianças às vezes se interessam por alguns assuntos e os estudam por si e com maior afinco, tais como dinossauros, cães, gatos, astronomia, futebol, Fórmula 1 dentre outros.
Quando alguém fala em “investir nos EUA” rapidamente você lembra mil coisas sobre os EUA. Você tem mais ou menos uma idéia já formada sobre o que é e como funciona os EUA, mesmo que você não esteja correto. Mas, e sobre a Suécia, o que você sabe? Mulheres loiras e bonitas? Sim. A idéia aqui não é investir em casamento com suecas e sim em empresas suecas, mas caso você queira se casar com uma sueca, saiba que elas são unanimidade até entre os próprios europeus, eu tenho amigos europeus que moram em outros países e eles falam que elas são as mais desejadas da Europa. Tá duvidando? Olha o tinder na Suécia:
Beleza Frugal, muita mulher bonita, e o lugar? O lugar? Você já viu fotos das cidades suecas e das paisagens lá? Um país muito bem cuidado, tudo bem feito nos mínimos detalhes. Parece aquele lugar que saiu dos livros dos contos de fadas, dá uma olhada em Estocolmo:
Certo, mas o que eu preciso aprender sobre a Suécia?
Vamos à boa e velha wikipédia:
A Suécia é uma economia mista orientada para a exportação com um sistema de distribuição moderno, excelente comunicação interna e externa e uma força de trabalho qualificada. Hidrelétricasmadeira e minério de ferro constituem a base de recursos de uma economia fortemente orientada para o comércio exterior. O setor de engenharia da Suécia responde por 50% da produção e das exportações. As indústrias de telecomunicações, automobilística e farmacêuticas também são de grande importância para a economia do país. A agricultura representa 2% do PIB e do emprego.
Em termos de estrutura, a economia sueca é caracterizada por uma grande indústria transformadora intensiva em conhecimento e orientada para a exportação, um crescente, mas relativamente pequeno, setor de serviços de negócios, e, pelas normas internacionais, um grande setor de serviço público. Grandes organizações, tanto em manufatura quanto em serviços, dominam a economia da Suécia.[45]
As 20 maiores (por volume de negócios em 2007) empresas registradas na Suécia são a VolvoEricssonVattenfallSkanskaSony Ericsson Mobile Communications ABSvenska Cellulosa AktiebolagetElectroluxIKEAVolvo PersonvagnarTeliaSoneraSandvikScaniaICAHennes & MauritzNordeaPreemAtlas CopcoSecuritasNordstjernan e SKF.[46] A indústria sueca está, na sua esmagadora maioria, sob controle privado, ao contrário de outros países ocidentaisindustrializados, como a Áustria e a Itália, onde as empresas públicas têm tradicionalmente maior importância.
Cerca de 4,5 milhões de habitantes do país estão trabalhando, dos quais cerca de um terço possui ensino superior. O PIB por hora trabalhada é o 9º mais alto do mundo, sendo de 31 dólares em 2006, comparado aos 22 de dólares na Espanha e 35 dólares nos Estados Unidos.[47] O PIB por hora trabalhada tem um crescimento de 2½ por cento ao ano para a economia como um todo e o crescimento da produtividade do comércio é de 2%.[47] Segundo a OCDE, a desregulamentação, a globalização e o crescimento do setor de tecnologia foram os condutores de produtividade.[47] A Suécia é líder mundial em pensões privatizadas e os problemas de fundos de pensões são relativamente pequenos em comparação com os de outros países da Europa Ocidental.[48]
Um típico trabalhador sueco recebe 40% de sua renda após os descontos feitos pelos impostos. A carga tributária, que teve um pequeno declínio total, 51,1% do PIB em 2007, ainda é quase o dobro da dos Estados Unidos ou da Irlanda. A quota de empregos financiados através dos montantes de imposto de renda respondem por um terço da força de trabalho sueca, uma proporção bastante maior que na maioria dos outros países. Globalmente, o crescimento econômico tem ocorrido desde as reformas no início dos anos 1990, especialmente no setor industrial.[49]
Fórum Econômico Mundial classificou a Suécia como a 4ª economia mais competitiva do mundo no Índice de Competitividade Mundial de 2009-2010.[50] No Índice de Competitividade Global de 2010-2011, a Suécia subiu duas posições e ocupa agora o segundo lugar no mundo.[51] O país é classificado em 6º lugar no Anuário de Competitividade IMD de 2009, alta pontuação em termos de eficiência do setor privado.[52] Segundo o livro, “The Flight of the Creative Class“, pelo economista estadunidense, Professor Richard Florida, da Universidade de Toronto, a Suécia é classificada como tendo a melhor da criatividade na Europa para os negócios e está prevista para se tornar um “ímã” talentos para a maioria dos trabalhadores mais significativos do mundo. O livro elaborou um índice para medir o tipo de criatividade que alega ser mais útil ao talento nos negóciostecnologia e tolerância.[53]
A Suécia mantém a sua própria moeda, a coroa sueca (SEK), resultado da rejeição dos suecos ao euro em um referendo. O Riksbank sueco (banco central) – fundado em 1668, o que o torna o mais antigo banco central do mundo – está concentrado na estabilidade de preços com uma meta de inflação de 2%. De acordo com a Economic Survey of Sweden 2007 pela OCDE, a inflação média na Suécia foi uma das mais baixas entre os países europeus desde meados da década de 1990, principalmente por causa da desregulamentação e utilização rápida da globalização.[47] Os fluxos de comércio são maiores com a AlemanhaEstados UnidosNoruegaReino UnidoDinamarca e Finlândia.”
Ou seja para mim Suécia tem a ver com estabilidade da moeda (a coroa sueca), estabilidade política (é uma monarquia parlamentarista), inflação baixa, eficiência, produtividade, capitalismo, livre mercado e alta inovação e criatividade de seu povo.
O lado negativo que vejo é o alto welfare sueco e a alta carga tributária sobre o povo sueco, mas lá parece que o dinheiro é bem investido e não tem tanto desperdício ou corrupção.
Agora vamos falar um pouco da bolsa sueca, uma das mais antigas do mundo. A bolsa sueca foi comprada recentemente pela Nasdaq (e é aqui que você entra) e já vende vários ETFs e fundos mundo afora.
Mas qual é o ponto da virada desse post? Onde está o segredo?
Começou em Dezembro de 2016 a venda do ETF OMXS pela iShares UK com taxa de apenas 0,1%!
Eu fiquei muito feliz ao ver esse novo produto lá, porque os ETFs dos países nórdicos são sempre caros com taxas maiores do que 0,5% ao ano e nunca vi eles domiciliados na Irlanda. Portanto esse produto específico é uma oportunidade muito boa de investir na Suécia, num bom ETF, de baixo custo, lastreado na coroa sueca e com 88 ações na carteira. E pra melhorar ainda mais, ele é de acumulação (não distribui dividendos). Já coloquei ele no meu portfolio e agora é só comprar (para isso eu vou utilizar a minha corretora Interactive Brokers.
Você pode conferir a página completa do ETF aqui: OMSX iShares UK
Legal né? Até que enfim uma porta de entrada digna para esse país.

Bacana Frugal! País bonito, mulherada bonita, ETF barato e acessível, mas e os retornos, o histórico do mercado, os rendimentos, o crescimento e o retorno para o investidor?
Eu sei que sempre tem um ou outro apressado que quer logo ir para o ponto central, então veja aí os dados mais recentes:

Lembrando que 2008 a queda foi forte assim como em vários outros mercados pois o mundo ia acabar por causa da crise do sub-prime americano. E tenha em mente que a inflação na Suécia é de no máximo 2% ao ano.
Agora a evolução índice sueco num gráfico que gerei pelo Google Finance:

O índice subiu 2,5x em 14 anos.
Dá uma olhada aí em Estocolmo enquanto pensa no assunto:
Agora vamos falar mais em longo prazo e em como o mercado sueco se comportou nos últimos 146 anos, observe bem essa tabela:


Na maior série que vai de 1870-2012 estamos vendo 7,9% de ganho REAL anualizado(ou seja, acima da baixa inflação sueca). Esse número é maior do que 6,7% do SP500 para um período de tempo um pouco superior segundo o Siegel, dá quase 1,3% anual a mais considerando a série.
Você aprendeu nesse blog que ações são um retorno para o longo prazo e que o mercado sempre vai subir. Veja o gráfico, observe como o retorno do índice é muito superior aos bonds suecos e como sempre sobe apesar das quedas nas crises.

Fim de tarde em Estocolmo.
Claro que ações vão sempre subir mas também tem a sua volatilidade dentro, que você tem que aceitar para investir, veja os piores meses e os piores anos da bolsa sueca no quadro abaixo, lembrando que para o investidor de longo prazo, comprar o índice após essas quedas enormes vai fazer o seu patrimônio subir muito no longo prazo, é aquela história do “compre nas quedas”.
Agora vamos focar um pouco mais no ETF que é o escolhido para investir na Suécia, o OMXS.
Com uma exposição a aproximadamente 85% do mercado da bolsa sueco, o OMXS, tem dentro das top holdings quase 48% dos seus ativos, mais concentrado em setor financeiro, industrial e de consumo. As outras 75 empresas respondem por mais de 52% do ETF, dentre essas outras 78 empresas temos mid e small caps, o que considero bom, esse ETF não é apenas de large caps, é como se fosse o VTI sueco ao invés de ser o VOO.
O P/E ratio atual está em 17.73, o PB em 2.18, CAPE de 20.6 (contra um CAPE de 26.4 dos EUA), portanto, grosseiramente falando “está mais barata que o SP500”. Mas não pense que você é o único esperto que sabe disso, TODO MUNDO SABE DISSO, não tente ser mais inteligente do que ninguém em bolsa nenhuma, não há almoço grátis.
Esses indicadores citados acima me fazem pensar que tendo o dinheiro em conta amanhã e querendo investir fora eu compraria Suécia ao invés de EUA. Por isso é bom ter outras opções a custo baixo.
Se você quiser pode pesquisar no Google o que cada uma dessas empresas faz só pra ter uma idéia, olha as TOP 10:

O fundo foi lançado em 2016, por isso não dá pra ver especificamente o retorno dele.
A liquidez pode ficar baixa no curto prazo, pois o fundo é novo, mas acredito que com o passar do tempo ela subirá.
Fico por aqui, o post era pra mostrar um pouco do mercado sueco, da Suécia e desse fundo que acredito ser uma boa oportunidade para o brasileiro investir no exterior ou mesmo qualquer cidadão do mundo com acesso à bolsa de Londres.
Grande abraço,
Frugal

Nenhum comentário:

Postar um comentário