Translate

domingo, 19 de março de 2017

A taxa segura de retirada e a sua aposentadoria

No caminho para a liberdade financeira você tem que planejar também o pós. Claro, dentro do planejamento após esse ponto começa uma outra estrada, um novo estilo de vida, de trabalho, de dedicação à família, dentre outras coisas. Existem múltiplas variáveis em sua vida pessoal e profissional para adequar seu comportamento e sua TSR.
Existe um universo enorme entre a teoria e a prática no tocante ao assunto de investimentos, primeiro porque sua vida é bastante imprevisível no quesito pessoal e profissional, segundo porque para o Brasil não existem estudos de TSR (o campo científico de economia e finanças pessoais é horroroso como todos vocês sabem). Inclusive um dos propósitos desse blog é poder discutir um pouco o assunto e quem sabe ajudar um pouco alguém.
O que seria a TSR?
Seria uma taxa de retirada de dinheiro do seu porfolio para ajudar a pagar suas contas e que teoricamente o patrimônio total ficaria protegido de ser eliminado, corroído ou extinto. Você não quer juntar dois milhões, parar de trabalhar por 10 anos e depois ter que voltar a trabalhar para se manter, certo? Existem muitas coisas que influenciam a TSR e você tem que pensar em cada uma. Primeiramente o seu portfolio cresce exponencialmente devidos aos JUROS COMPOSTOS, então QUANTO MAIS TARDE VOCÊ “APOSENTAR” (pense em aposentar apenas como PARAR DE APORTAR, melhor pra você, essa é a primeira premissa. Segundo, a sua IDADE ao PARAR influencia muito, pois se você quer se aposentar extremo (tipo aos 40 anos) ainda tem uns 60 anos de idade pela frente para sobreviver do patrimônio (eu acho prudente considerar 100 anos de vida, ou no mínimo 90 anos, lembre que a medicina avança tranquilamente aumentando nossa expectativa de vida e daqui a 40 anos vamos viver muito mais). Terceiro, o seu padrão de gastos irá mudar mas você não tem como controlar certos fatores, na sua velhice seus filhos estarão formados e morando fora da sua casa (em tese), você não vai mais sustentar os filhos (?) e nem os netos (?) – os velhinhos de sorte não sustentam filhos e netos, mas A MAIORIA DOS IDOSOS NO BRASIL AJUDA A FAMÍLIA, o que eu acho UMA PUTA SACANAGEM. Eu tive tios e primos que sugaram até os últimos centavos dos meus avós até basicamente o dia da morte deles. Pensando na sua vida, no seu conforto e  na sua aposentadoria, eu acho que QUANTO MAIS FILHOS VOCÊ TIVER, PIOR. Não estou discutindo amor e família, estou discutindo finanças, não dá pra falar da vida toda num post, mas é o seguinte:
Great NEWS! Você pode viver sem ter filhos ou você pode ter APENAS UM FILHO! Isso não é crime, nem você será PIOR OU MELHOR do que ninguém por isso. Críticas? Quem tem apenas um filho é criticado, quem tem dois é criticado, quem tem três é criticado, quem tem quatro é discriminado, quem tem cinco é um suicida, quem tem seis é um irresponsável, quem tem sete é um inconsequente (e por aí vai – todo mundo tem culpa na cabeça de algumas pessoas, se você é cheio de dinheiro e sem filhos você é um tremendo desgraçado egoísta – é assim que o cidadão médio do Brasil pensa, acostume-se, e toque o foda-se)
1 – Quanto mais filhos, menos investimento per capita na educação dos filhos, mais despreparados para o mercado eles ficarão, mais pobres e mal educados serão.
2- Quanto mais filhos, mais netos – adivinha quem vai sustentar os netos dos filhos mal educados e que ganham pouco? Isso mesmo, você. Não adianta dizer que não será, SERÁ!
Na sua velhice seus maiores gastos serão com plano de saúde (ou morrer no SUS), remédios e talvez cuidadores (técnicos de enfermagem) e quem sabe asilo (privado). Você já terá sua moradia própria e que pode ser inclusive menor do que aquela que seus filhos cresceram (você não precisa ser velho e morar num puta ap de 150m sozinho ou com a esposa ou uma puta casa de 300m quadrados com 4/4 – financeiramente você vai estar no prejuízo todo mês, além do mais se você for um cara que gosta de viajar é melhor viver no mundo do que enterrado dentro de uma casa ou ap.
Considere também morar num país mais decente do que o Brasil após a sua LF. Conheço idosos aposentados aqui que tem casa em Orlando ou ap pequeno em Miami e até em Cancun para passar pelo menos uns 6 meses por ano lá (um ap pequeno em Cancun custa 70k dollares). O que está na moda agora é ir morar em Portugal depois de aposentado. Embora eu ache que a Europa vai ficar cada vez pior devido à islamização sem volta.
O MAIS IMPORTANTE: Não conte com o INSS. É pura ilusão. No futuro não vai ter como se sustentar ou pagar tão pouco que não vai garantir nem o seu feijão.
Se for militar não conte com aquela aposentadoria ridícula de militar que fatalmente vai levar uma machadada de qualquer presidente aí nos próximos 30 anos. Então vamos resumir um pouco, o que vai influenciar sua TSR.
1 – Tamanho do patrimônio total.
2 – Idade que você planeja parar de aportar.
3 – Família (renda da esposa ou marido, quantidade e formação de filhos e netos).
4 – Preço do imóvel que você vai morar (quanto maior, pior pra você).
5 – Cidade, estado ou país pra morar (quanto mais barato e menos perigoso melhor).
6 – Seus gastos mensais em si (padrão de vida) – bike ou carro caro? Comer em restaurante ou em casa? Hábitos saudáveis ou baratos?
7 – Quer deixar patrimônio pra família ou não? Se não quiser dá pra ir sacando mais e consumindo o patrimônio aos poucos. Lembre-se que se não tiver herdeiros vai deixar para os mafiosos do governo. As heranças no Brasil fatalmente serão cada vez mais taxadas, uma solução é montar uma holding familiar (off shore) no exterior e apenas redistribuir as cotas depois que você morre.
8 – Você vai mesmo deixar de ganhar dinheiro com seus conhecimentos e habilidades e patrimônio grande para investir? Oportunidades de negócio sempre aparecem, é um terreno pra fazer um trade, um ap que alguém quer vender barato e você pode revender depois., etc etc etc. Acho difícil. É uma escolha extrema. Não me vejo parando 100% de trabalhar e não colocar 1 real no bolso, quem aprendeu e gosta de ganhar dinheiro a vida toda dificilmente vai parar, você pode mudar de área, fazer algo que quer e ganhar algum dinheiro com isso, mesmo que seja só por hobby (por exemplo, vai morar na praia? Reforma sua casa e faz um hostel ou pousada, ou aluga quartos no Airbnb, não custa tanto e você já mora lá mesmo, qualquer real que entrar é lucro, é só não operar no prejuízo que fica tranquilo.
Continuando, quanto maior o seu patrimônio ao parar melhor pra você, lembrando que ele cresce exponencialmente e que se você adiar sua LF por mais alguns anos isso pode ser extremamente benéfico pois por exemplo, ao invés de parar com R$ 3 milhões vai parar com R$6 milhões, acho que isso é fundamental. Quanto mais novo você parar mais coisas podem acontecer. Ainda tem filhos pra criar? Vão vir mais filhos? Se separar a mulher leva a metade? (Case-se em separação de bens com contrato pré-nupcial, é o justo, e o acordado não sai caro, se caso a noiva ou o noivo não aceitar, tranquilamente procure outro noivo/noiva e fique solteiro novamente porque AÍ TEM ROLO!) – Ainda se for casar, case com alguém que ganhe dinheiro e que não queira viver do seu, não precisa ganhar MUITO ou tanto quanto VOCÊ, só precisa pagar as próprias contas, andar com as próprias pernas, ser frugal e também aportar e ter sua própria conta de investimentos SEPARADA da sua e montar seu próprio patrimônio, não tem mistério, isso não é difícil nem humanamente impossível, lembre-se que casar é uma decisão voluntária sua, você leva golpe se quiser, a culpa nunca vai ser da pessoa mesmo ela sendo louca ou golpista, a culpa é sua por ter escolhido errado. Óbvio que se você ganha muito mais, é justo que você pague as principais contas da casa ou todas mesmo, tem que ter bom senso.
Se tiver filhos invista com qualidade, boa escola, inglês 100%, intercâmbio bom de 1 ano ou mais, quem sabe High School e faculdade no exterior. Acho que o melhor investimento na formação do seu filho vai preservar a sua aposentadoria pois ele com bom emprego, formação e renda provavelmente vai se casar com pessoa igual a ele e não vai lhe dar despesas quando for adulto e muito menos vai pedir pra você pagar a escola do neto ou o aluguel da casa dele (EU VEJO ISSO DIRETO) – É TOTALMENTE RIDÍCULO – uma falta de respeito absurda, explorar um velho. Dessa forma o investimento na educação no filho também é uma PROTEÇÃO PRA VOCÊ MESMO.
Depois da LF você pode se mudar para um imóvel mais barato e viajar mais, reinvestir a diferença dos valores e aumentar ainda mais seu patrimônio, ou ainda você pode ir morar em outro país (Tailândia é muito barato, Vietnã também), comece a pensar fora da caixa. Uma long neck num restaurante da Tailândia custa 40 centavos de dollar, aqui sai por 8 reais. Se não quiser mudar de país pode ir pra uma cidade bem mais barata que pode ser no interior (seus gastos vão cair um absurdo), numa cidade pequena na praia ou no campo, com 5k mensal já dá pra se viver como um rei, e o preço dos imóveis e terrenos é totalmente barato, assim como o aluguel.
Outra coisa que influencia em muito a TSR é a sua vontade de deixar pros outros o seu patrimônio, quanto menos você quiser deixar pode gastar mais, quanto mais precisarem gaste menos. Imagina que seus filhos ficam todos ricos? Que beleza hein? Dá pra ir torrando tudo planejando ficar falido aos 90 anos. Seu padrão de vida também vai influenciar, não acho que depois da LF a gente tem que ostentar, muito pelo contrário, viver low profile, com discrição e sem objetos e coisas caras é melhor ainda, você fica menos visado pela bandidagem e pela parte podre da família e amigos, deixa de atrair inveja, também não precisa dizer que vive de renda, diga que compra e vende mercadorias pela internet que já fica tranquilo, não precisa ostentar em redes sociais (sim é permitido redes sociais sem ostentação).
Existe um estudo que se chama Trinity. Nele os pesquisadores chegaram à conclusão de que 4% de retirada anual do seu patrimonio dá pra sobreviver até morrer tranquilo com o patrimônio preservado, ISSO NOS EUA, claro, um país decente e com política e economia mais estáveis. Eu acho muita viagem querer trazer esse dado pro Brasil. O portfolio do estudo era 50% em ações e 50% em RF.
Basicamente entenda que ativos reais lhe protegem mais da inflação, ações, fundo imobiliário, REITS e imóveis. Como uma ação tem um fluxo de dividendos muito instável e sem programação, para ter sua renda de dividendos é prudente ter pelo menos umas 20 empresas no Brasil (eu tenho 28 e ainda varia muito), também é prudente numa idade mais avançada alocar um pouco mais em FII pois eles tem um DY maior chegando agora na média a 10% ao ano, e como são imóveis, basicamente teoricamente no longo prazo estão protegidos pela inflação. Em imóveis e dessa parte eu sei um pouco, os aluguéis costumam acompanhar a inflação, quem tem um AP alugado há 25 anos ganha mais ou menos a mesma coisa por mês, independente da inflação, se o ap for bem localizado e ficar alugado sempre melhor pra você.
Meu avô era um pobre pedreiro mas ele construiu com as próprias mãos umas 9 casinhas coladas uma na outra, fez uma pequena vila, e alugava todas, viveu com esse complemento de renda por pelo menos uns 40 anos, mas sempre trabalhando como pedreiro, em valores de hoje o aluguel dessas casas sempre foi uns 200-250 reais mensal, cada. Num bairro bem de médio pra ruim e que se tornou bem comercial com o passar dos anos. Você pode pensar que é até pouco mas 9×200 reais limpinhos para um casal de velhinhos dá 1800 reais por mês, eram pessoas simples mas sempre tiveram o que comer e as contas pagas apenas com isso. Não sei o valor de cada casa em si, mas certamente ninguém pagaria R$ 40 mil nelas pois já estão bem velhas. Então veja que imóveis são geradores de renda reais. Se você puder comprar um terreno e construir vai sair melhor e mais barato pra você do que comprar casa ou ap de construtora pra alugar (a construtora lucra quase 50% em cada imóvel). Então imóveis físicos, pequenos e baratos podem ser um bom complemento de renda real.
Renda Fixa pra mim é um mistério como performariam no longo prazo. É o que menos gosto e menos acredito. Para gerar renda fictícia o que acho MENOS PIOR é a NTNB com cupom semestral pro maior prazo que der, atualmente é a IPCA 2050 que vai lhe dar uns 5,5% ao ano de cupons e vai corrigir o bolo principal pelo IPCA. Mesmo assim você só vai ver a cor do dinheiro duas vezes por ano e não mensal, vai ter que reinvestir o dinheiro em outra coisa pra ir sacando aos poucos. Duas coisas: Você vai ter que confiar no IPCA (que é o GOVERNO QUE DIZ QUAL É), vai ter que confiar no GOVERNO (imagina quem confiou nos títulos venezuelanos ou argentinos hein?) – Muita coisa aumenta MUITO MAIS do que o IPCA (plano de saúde aumenta 20% num ano e o IPCA fica 9%, Carne aumenta 50% no ano e o IPCA aumenta 10%, gasolina aumenta 35% e o IPCA 10% e por aí vai… lindo né? Mas é assim. Você pode confiar na renda fixa TAMBÉM mas acho mais prudente ter um pouco de ações, Fiis e imóveis pra diversificar suas fontes de renda.
Por último e não menos importante, é necessário investir no exterior para se proteger em moeda forte, receber rendimentos em moeda forte, se proteger do derretimento do REAL e facilitar sua futura imigração se for o caso. Pense no longo prazo, se vai investir aqui durante 30 anos para alcançar a LF, porque não separar 10% do volume investido para colocar lá fora? É arriscado? Tudo é. Inclusive o real que DERRETEU 40% nos últimos 2 anos frente ao dólar. Diversificar em moeda forte não é firula de investidor que quer se amostrar, É UMA NECESSIDADE IMPERIOSA pra proteger o seu portfolio, você pode diversificar em DOLAR, EURO, LIBRA ESTERLINA, FRANCO SUIÇO, DOLAR DE HONG KONG OU CINGAPURA ou tudo isso junto.
Não existe número mágico para a TSR. 4%, 5%, 10%, quanto maior pior pra você, quanto menor melhor, o importante é estar diversificado entre vários ativos, dentro de cada classe de ativos e também em moeda estrangeira. Claro que se você for fatalista e quiser MESMO um número acho que 4-5% pro Brasil está bom, ou então METADE DA INFLAÇÃO, para reinvestir a outra metade. Ganhou 10% no ano? Gasta 5 e reinveste 5. Acho que se você gastar mais da metade da inflação todo ano vai se complicar. O ideal mesmo é gastar apenas os ganhos REAIS, ou seja, o que FOR ACIMA DA INFLAÇÃO. Isso vai variar todo ano mas dá pra acompanhar pra saber.
Grande abraço,
Frugal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário