Translate

quinta-feira, 23 de março de 2017

Como diversificar melhor os seus investimentos

Diversificação de verdade se faz em classes de ativos e mercados diferentes.
Um país é um mercado com regras e dinâmica próprias. Investindo em um país apenas você vai estar mergulhado nesse contexto e não vai ter muito para onde fugir.
Nos últimos três anos nós presenciamos a total destruição de valor de empresas públicas e estatais no Brasil, destruição de valor além de não-criação de valor devido à baixa produtividade dos funcionários e do sistema em si. E se você investe num mercado que é extremamente regulamentado, atravancado por legislações, impostos, regras difíceis de serem cumpridas e onde muitas coisas são feitas baseadas em propinas e subornos fica muito difícil mesmo, além do mais a renda média do brasileiro caiu e o desemprego aumentou. Sem emprego e renda as pessoas não consomem mais, sem consumo não há lucro e sem lucro os investimentos ficam paralisados e o mercado se retrai, e com a retração do mercado vem o seu baixo ou pífio retorno.
E foi exatamente isso que aconteceu nos últimos três anos no Brasil.
Considere que em cada ano temos quatro trimestres e veja esse estudo da Economática:
“Pelo décimo trimestre consecutivo a receita líquida operacional ajustada pela inflação das empresas de capital aberto registram queda.”
Ou seja, numa métrica real, fazem 10 trimestres que a RECEITA líquida do somatório das empresas da bovespa CAI. De forma tal que se a bovespa fosse considerada uma empresa só, como por exemplo uma holding, exemplificada por um índice que pegasse todas as empresas listadas, A RECEITA ESTARIA CAINDO por 10 trimestres consecutivos, o que não é nada bom, é como se o seu salário caísse mês a mês.
Veja que dei o exemplo considerando TODO o mercado, e não apenas as empresas boas, que por serem boas, algumas até conseguiram aumentar os lucros, poucas, muito poucas, e para o investidor nem sempre é fácil identificar elas, e ainda, para o investidor que investir num ETF do mercado todo, de um país ruim ou que vai performar ruim é mais perigoso ainda. Talvez por isso, e pelo tamanho relativamente pequeno do mercado brasileiro, acho que dá sim pra fazer um pick stock por aqui para tentar se proteger de toda essa conjuntura venenosa que vivemos.
screenshot-2016-12-22-14-00-41
Olhando bem o gráfico você vai perceber que desde JUNHO/2014 a receita líquida das empresas só cai. De 2007 a 2013 o mercado foi só bonança (e aí onde são construídas fortunas e você fica rico, escolhendo empresas boas e lucrativas num mercado altista e que se mantém altista por muitos anos). Mas agora o jogo virou, e interessante bem onde comecei a investir na bovespa, lá pelo final de 2013.
screenshot-2016-12-22-14-49-44
No quadro acima você vê como as empresas apanharam de 2015 para 2016.
Peguei um mercado baixista já por quase 14 trimestres seguidos. Não vendi minhas ações nem migrei pra RF. Vendi algumas empresas que pioraram demais e não vi mais futuro nelas, o resto, as que considero boas, mantenho, com ganhos pífios, rentabilidade inferior à poupança, mas e daí? Sei que não entrei nessa pela rentabilidade, as empresas que escolhi acho realmente boas, são bons barcos navegando em mares turbulentos, quando a maré melhorar o barco vai seguir seu rumo de acordo com sua capacidade total e plena. O investidor tem que saber o que está fazendo para aguentar isso, FORA da teoria, porque na teoria tudo é simples e fácil, mas nas emoções humanas NÃO É! Cada um sabe o custo e o trabalho que deu para ganhar o dinheiro, deixar de gastar e investir, para apenas depois daí esperar algum retorno, e fatalmente ele vai TENDER a comparar os retornos de diversos outros investimentos pra saber se fez um bom negócio, mas como ninguém é adivinho, do futuro ninguém sabe e qualquer previsão é charlatanismo.
Observem esse gráfico que fiz hoje no Google Finance (que site!)
screenshot-2016-12-22-14-33-01
Resultado (dolarizado) dos últimos 5 anos:
SWDA:+ 113,75%
CSPX: + 98,82%
IBOV: +1,89%
PIBB11: +21,39%
O bom do google finance é que você pode pensar numa teoria e rapidamente testá-la.
O PIBB11 performou MUITO melhor do que o IBOV (bom saber MAIS uma vez que o IBOV não serve pra muita coisa mesmo). Acho que o resultado do MERCADO total brasileiro, conseguiu ser pior do que o IBOV (em se falando das empresas de capital aberto).
Se o investidor tivesse diversificado, há 5 anos atrás entre SWDA, CSPX e pibb11 teria um resultado muito bom porque o retorno pífio do pibb11 seria compensando pelos excelentes ganhos dos dois ativos internacionais.
Dessa forma, claro que a carteira de alguns investidores pode sim ter ido muito melhor que o pib11, mas dificilmente chegaram perto do SWDA ou do CSPX. Por mais que ele tenha escolhido excelentes empresas brasileiras, não teve um desempenho tão bom quanto um simples índice passivo. Estaria com um patrimônio muito maior hoje, menos volátil e parte dolarizada e investida no exterior.
Fazendo uma análise crítica você poderia dizer:
“Ah Frugal, mas você está falando isso apenas porque o CSPX e o SWDA foram muito bem e o ibov foi mal, assim fica fácil olhando pra trás”
Não estou falando que vai ser sempre assim, que foi sempre assim, ou que nunca mais será assim, estou falando apenas, que no período analisado esses foram os resultados, não há nenhuma garantia de que eles vão se repetir no futuro, podem até mesmo se inverter. Mas fatos são fatos e isso foi o que aconteceu.
E por que eu falo isso? Porque sinceramente, se eu voltasse a 2013 e soubesse tudo que sei hoje, já teria imediatamente aberto minha conta em corretora no exterior e teria mandado parte do aporta pra lá mês a mês, e também teria colocado boa parte do aporte aqui em TD e fiis, e teria concentrado menos em ações. Mas e agora que eu sei isso, o que vou fazer?
Diversificar mais e mais e mais. Sempre era pra ter feito isso mas não fiz.
Eu sabia que tinha que diversificar desde o início, mas não fiz tanto, quis arriscar um pouco mais (pelo menos já tinha meu ap e carro quitados), arrisquei mais e não saí do canto.
E pra quem está 100% em RF? Ou ações? Ou fiis?
Mesmo raciocínio. Ninguém sabe o que vai acontecer com o país, vejam a Venezuela, a Argentina. Tudo piorou, pessoas ficaram com moeda podre na mão.
E outra parte chave que venho mostrando aqui é de fato aplicar o conceito da diversificação e é INTERNACIONALIZAR o seu patrimônio, isso traz certa paz que só quem fizer vai perceber, você se importa menos com o noticiário brasileiro, não fica com medo se o país explodir ou afundar na lama, porque você não vai afundar (muito) junto. Por isso meu projeto para 2017 é:
RF+fiis+ETFs no exterior
Até equilibrar o conjunto da obra. Não estou girando patrimônio, apenas direcionando os novos aportes para esses três lugares que falei acima. E não porque lá fora subiu e aqui caiu, na mesma tecla bato, apenas para equilibrar mais.
Gostaria de ler os depoimentos dos colegas que também investem no exterior para verificar essa minha conjectura.


Grande abraço,
Frugal

Nenhum comentário:

Postar um comentário