Translate

quinta-feira, 23 de março de 2017

Como cheguei no meu primeiro milhão investido


Atingi a marca de R$ 1 milhão de reais investidos. Casa e carro quitados, sem financiar.
Foram muitos e muitos anos trabalhando, estudando, aportando, vivendo com bem menos do que eu poderia, renunciando a pequenos prazeres da vida para alcançar um objetivo maior. Essa marca não foi fácil.
Terminei a faculdade ainda em 2009 e agora só 8 anos depois atingi a marca.
Dividindo em conta simples são R$ 125 mil reais de aporte por ano ou R$ 10.416 por mês sem juros.
A verdade é que cheguei ao milhão muito mais com trabalho do que com os rendimentos dos investimentos, hoje vendo foram apenas 10% de juros e 90% de trabalho.
Antes de mais nada, escrevo esse post para mostrar com uma pessoa comum e de família pobre pode se tornar um milionário. Meus pais nunca tiveram um carro até eu terminar a faculdade. Quase sempre moramos de aluguel. Nunca viajamos de férias em família nem para outro município sequer. A situação na minha casa sempre foi difícil, tão difícil quanto às vezes não ter dinheiro nem pra comprar um iogurte. Era café e pão/margarina.
É preciso dizer isso pra acabar com a falsa idéia de que quem vem debaixo não pode subir, de que é preciso ter pais ricos e/ou classe média para crescer na vida, de que é preciso pais educados, família atenciosa, ter uma boa casa, boa alimentação, internet, carro, lazer, cursos de línguas, esportes, instrumento musical, balé…
Na época da faculdade eu vivia com menos um salário mínimo por mês, andava de ônibus, almoçava com 8 reais e suco grátis ou na casa dos amigos.
Se você, assim como bilhões de pessoas no mundo quiseram saber o “segredo” pra ficar milionário eu poderia lhe dizer que não existe um segredo, você vai ter que fazer o seu caminho. Cada pessoa é uma criação única da natureza com seu conjunto de experiências, crenças, atitudes, disposição e valores. E cada um desses atributos se mistura com os outros, e forma a pessoa que você é.
Quatro coisas me ajudaram muito nessa caminhada, pode parecer lugar comum, coisas que você lê por aí, mas não é:
1 – Otimismo
2 – Vida virtuosa
3 – Estudo e trabalho
4 – Investimentos e aprender Finanças
5 – Vida simples e frugal
Pela última coisa. Entenda de uma vez por todas que não existe soma no mundo real. Tudo é multiplicação.
A beleza da matemática consiste em ter apenas uma operação.
5. Vida simples e frugal
Você pode achar que os gastos pessoais não fazem diferença no caminho do milhão, mas fazem SIM.
Você fica rico com o que você NÃO GASTA. Cada real gasto é um soldado perdido na batalha.
Vou dizer como ganhei MUITO dinheiro em não ter certas coisas ou não gastar com certas coisas:
NÃO TENHO UM CARRO DE R$100.000,00 (pessoas que ganham muito menos do que eu, tem carros muito caros e ainda pagam juros por isso). Se caso eu tivesse um carro de 100 mil, eu teria 900 mil hoje investidos e não um milhão.
NÃO TENHO UM CELULAR DE R$4000 (isso mesmo), meu celular me custou R$999,00. E está ótimo. Pessoas trocam em média de 36 meses um celular. Seriam 2,5 iphones em 8 anos, ou seja R$10.000,00 de celular e contas idiotas.
NÃO VIAJO 2x por ano para o exterior. Cada viagem dessas custa no mínimo uns R$5000 por pessoa em média. Se você gastar R$ 10.000,00 por ano viajando, em 8 anos teria gastado R$80.000,00
NÃO SOU TURISTA RETARDADO DE INSTAGRAM E FACEBOOK.
NÃO COMPRO NADA DE LUXO OU GRIFE. Tudo meu é do melhor custo benefício. Grife não agrega nada no seu patrimônio.
Só aí em cima deu mais de R$ 190.000,00 só pra ilustrar a situação.
Mantive meus custos baixos durante esse tempo.
Hoje em dia o meu padrão de vida é quase o mesmo que na época da universidade, com a diferença de eu não pagar mais aluguel e ter um carro usado, de resto quase tudo igual, eu costumo dizer que sou um universitário “plus”.
Você tem que entender o custo das coisas na vida (dinheiro gasto que não lhe rende juros). Cada real perdido é um soldado a menos na guerra. Cada centavo economizado é um centavo ganho com juros.
O dinheiro tem um valor no tempo, R$100 hoje investindo numa renda fixa para daqui a 25 anos vai valor uns 350 reais no fim do prazo, em termos de hoje, é pura e simples multiplicação de dinheiro catalisada por juros compostos, a oitava maravilha do mundo segundo Einstein.
Passei dos 18 aos 24 anos sem nenhum carro (não tinha dinheiro pra comprar um, não foi opção não ter).
Quando comprei (por puro motivo de trabalho) foi um popular usado e com 9 anos de uso.
Outra situação: quando você tem 18 anos e ganha um carro ZERO km.
CUSTO: Valor do carro (em valores de hoje) R$ 35 mil reais (pagando a vista e sem juros)
Anuidade: Seguro, ipva, taxas, gasolina, estacionamento, lavagem, pedágio = R$ 10 mil reais/ano
Em dez anos = 35 + 10 (primeiro ano) + 9×10 = R$135 mil reais para ter um carro dos 18 aos 28 anos, coloque mais 10 mil reais para cada ano a frente (cálculos grosseiros).
Refeições fora de casa:
Coloque em valores de hoje: Café da manhã R$ 8 + Almoço R$ 20 por dia útil x 5 x 4 x 12 x 10 = R$67,2mil.
Gastando 28 reais por dia fora de casa com comida, foram mais de R$67200,00 em dez anos (se somar com o carro dá R$200 mil já)
Academia R$100 (poucas pessoas PRECISAM fazer isso, fiz apenas uns 6 meses e nunca mais), TV a cabo (nunca tive, ninguém PRECISA ter) R$150, celular pós pago (130 reais) = R$43,6 mil em dez anos (considere inflação = zero)
Somando o carro + refeições fora + academia + celular + tv a cabo = R$243 mil em dez anos (sem juros) ou seja 1/4 de milhão por você abandonar certos vícios da classe média estaria na sua conta (na verdade é muito mais do que isso).
Óbvio que você também gastaria com transporte público ou comprando comida pra fazer em casa, mas seria bem menos. Celular pode ter um plano pré pago e pagar o mínimo possível ou um controle de R$50 por mês e se contentar com o wifi dos lugares (hoje em dia tem muito mais lugar com wifi).
Plano de saúde: Não vou contar. Acho que todo mundo deveria ter, pelo menos um enfermaria que cubra cirurgia e uti. Não precisa ter plano TOP apartamento, isso é idiotice, sai caro, você quase não usa (nessa faixa etária) e quase nunca tem apartamento livre (e que besteira não ficar numa enfermaria com mais duas ou três pessoas num hospital privado).
Roupas de grife: Não precisa falar, não compre. Compre Target, Riachuelo, Renner e C&A no máximo (se garimpar vai achar peça boa e de qualidade)
Cinema no shopping: Troque pelo netflix ou piratebay + torrent ou youtube.
Algumas pessoas vão lhe dar roupas de marcas melhores de presente.
Apenas economizando ou se negando a pagar certos serviços inúteis você chegaria a 1/4 de milhão aos 28 anos, que simplesmente foram distribuídos para as empresas dos outros.
Você poderia trocar seu carro por uma bike esse tempo todo pra ira pra faculdade e talvez até trabalhar depois dela (melhor dos mundos).
Outra opção é morar perto da faculdade / trabalho e simplesmente ir a pé, mesmo que demore 40 minutos, já é sua academia diária de graça (no começo da manhã é frio até no nordeste e no fim da tarde também).
Discordou disso tudo? Opção sua. Maioria esmagadora da população também discorda. Se quer pertencer a maioria para sempre, continue pensando como ela.
A maioria é a inverdade.
60% das famílias brasileiras estão endividadas e menos de 5% das pessoas poupam para a sua própria aposentadoria.
A maioria da população é pobre, ou classe média baixa, não poupam, não aportam, não agem pra se aposentar (esperam do governo), vivem o dia de hoje, pagam juros a vida toda, sustentam governos, bancos e seguradoras.
Eu escrevo para que se você for um da maioria, possa mudar. Se mora numa cidade média/pequena pode muito bem andar de bike e parar de torrar dinheiro com gasolina.
A bike é sua academia, seu lazer, seu transporte, sua saúde, seus aportes, seu milhão em construção, tudo numa coisa só. A bike pode ser a melhor coisa que aconteceu na sua vida.
Moto acho extremamente complicado e perigoso, pode ser barato mas o risco da sua vida não acho que compensa.
Falei e repito: compre no atacado, cozinhe em casa, leve marmita pro trabalho, use roupas baratas, use celular barato e com plano barato (MESMO SE TIVER “CONDIÇÕES” de usar coisas melhores), viva abaixo do seu padrão de vida, cancele TV a cabo, se mude pra perto do trabalho ou faculdade.
Uma das chaves para ficar rico e independente (de tudo) é poupar, poupar de verdade, tomando medidas úteis em todos os sentidos da sua vida, do acordar ao dormir.
Fingir que poupa vai lhe deixar pobre e dependente. Viver uma vida simples é muito mais útil e libertador do que você imagina, e bem mais tranquila.
E finalmente, leia muito, eu tenho um kindle desde 2010, me ajuda a passar o tempo, crescer, evoluir, estudar, ficar em paz, e praticamente de graça (pego centenas de livros em PDF ou compro baratinho na amazon).
Leitura também é lazer, é paz, é sobriedade, tranquilidade, crescimento e você se torna uma pessoa melhor e mais educada, mais gentil e virtuosa. Além disso é praticamente de graça e você está ocupando seu tempo com uma coisa muito boa e muito produtiva em milhares de sentidos. Pra quem não tem kindle, compre. Sua vida pode se transformar para melhor depois disso e você vai passar a ler muito mais.
Continuarei com os outros quatro tópicos nos próximos posts.


Grande abraço,
Frugal.

Um comentário:

  1. Fantástico esse seu artigo! Conheci o seu blog recentemente e gostei muito das coisas que eu li. Concordo com tudo que escreveu e também faço a maioria das coisas que diz, mas apenas para complementar o artigo, acredito que da mesma forma que devemos ter um balanceamento e diversificação de investimentos, também devemos fazer isso com as nossas vidas. Eu tenho a regra pessoal de gastar 50% do que ganho e aportar 50%, independente de quanto for minha renda líquida no mês (que no momento é variável). Isso significa que, em meses de maiores gastos tenho que fazer sacrifícios e em meses de menos gastos posso me dar alguns luxos. Eu coloco esse ponto pelo seguinte motivo, imagina se eu morro amanhã ? Vou ter vivido uma vida "frugal" e os outros gastam rapidinho o que eu levei anos para juntar. Não adianta nada eu aportar 90% do que ganho e viver uma vida "miserável" e nem gastar 90% do que ganho pra viver uma vida de ostentação sem pensar no futuro. A minha busca por felicidade sempre culmina no equilíbrio da vida amorosa, financeira e profissional. Um forte abraço e boa sorte para todos nós na busca pela IF.

    ResponderExcluir