Translate

domingo, 19 de março de 2017

Como aprender a investir no exterior?

O investimento no exterior é fundamental numa alocação de ativos.

Ultimamente pesquisei muito sobre investir no exterior. Li vários sites, fóruns e blogs. Também já tinha lido entrevistas de alguns gestores fodões como Peter Lynch e Luis Stuhlberg sobre isso, vou resumir aqui sobre tudo isso.

Com a bovespa andando de lado e desabando, com a Renda Fixa brasileira pagando juros altos (é almoço grátis? Não), fundos imobiliários derretendo, vacância alta e baixa das cotas - tudo isso para alguns investidores dá pra fazer pensar? Será que estou saindo do lugar? Difícil responder.

Na bovespa que deve ter no máximo umas 30 empresas que dá pra ser sócio o cenário é desolador no curto prazo, com o governo só aumentando imposto e estuprando as pessoas jurídicas o país vai mal, desinsdustrialização e o varejo agonizando só pra começar, em 2016 até os lucros do Itaú vão cair entre 10-20% segundo o presidente do próprio banco (não vou linkar nada procure no google), desemprego em alto e o brasileiro médio endividado, esse ano vai ser foda, o PT agoniza lentamente e leva o Brasil junto.

Mas vamos falar do exterior que é o intuito do post. Um amigo meu lixão que pouco sabe das coisas veio me falar de um fundo do Safra que rendeu 50% nos últimos 12 meses, fiquei curioso, fui lá olhar e fuçei, e era verdade, uns 4 fundos lixosos com taxas altíssimas (se vc investe por banco só lamento) estavam dando essa rentabilidade altíssima! Mas como? A resposta é simples: Dólar.

Todos os malditos fundos estavam posicionados em dóllar. Em 2015 o R$ REAL (moeda fraca) derreteu, não quis dizer que o dólar se valorizou, apenas que o real derreteu. E se o REAL derreteu e você só investe em real, tudo derreteu, e você ficou mais pobre para o mundo em 50%, chore ou não essa é a verdade.

Bem então como não ficar pobre para o mundo? O mundo é o mundo, não é a lástima que você chama de Brasil, mundooo, mundooo. Como você aqui pode fazer para não empobrecer em relação ao mundo? Investindo no exterior.

Qual é a forma mais simples: comprar dólar e guardar. Isso não é investimento e não rende nada, mas serve pra você viajar ou pagar coisas em dólar, ou pagar um curso no exterior ou mandar seu filho pra lá um dia. Guardar dollar no colchão em 2015 foi melhor do que QUALQUER INVESTIMENTO EM REAL, simples.

Segunda forma mais simples: Comprar ETF do SP500 que vende na bovespa, o IVVB11 da ishares, tem boa liquidez, eh barato (80 reais - mas só compra em lotes mínimos de 10) e fica lá pra você vender a qualquer dia útil que quiser e resgatar.

Isso pode ser seu hedge em dólar para momentos que o real lixoso desabar, e ainda rende mais ou menos 6% a.a nos últimos 200 anos (média da NYSE) e você vai ser sócio de empresas fodonas como apple, facebook, google, jp morgan e mais 500 outras do índice (que no longo prazo apenas 2% dos gestores batem - período maior que 20 anos).

Esse ETF paga 2,5% a.a de dividendos nos EUA, mas aqui no Brasil não paga nada - e tenho dúvidas de como esse dinheiro dos dividendos poderia aumentar o valor de sua cota aqui (já liguei na BlackRocks mas ninguém sabe explicar, mandei e-mail e me deram um link pra estudar o ETF e não falava nada sobre isso lá), enfim eu acho que eles não metem a mão nesse dinheiro, não é possível (até é mesmo).

Plus = Comprando isso aqui você vai diminuir o RISCO da sua carteira (certifique-se de que sabe o que significa RISCO em finanças) - basicamente RISCO é uma medida de estatística que fala sobre o desvio padrão da sua carteira, quanto maior o desvio, mais risco, quanto menor, menor e para diminuir o risco sistêmico é mister diversificar entre classes diferentes de ativos financeiros (O QUE INCLUI ESSES MESMOS ATIVOS NO EXTERIOR). Essa forma é tranquila pra todo mundo que economiza algo e tem acesso a um homebroker.

Terceira forma, mais trabalhosa - Abrir uma conta numa corretora no exterior e montar uma carteira de ações, renda fixa e REITS (fundo imobiliário) por lá. Não só EUA, mas também Europa, Oriente e Oceania.

Vantagens: proteger seu patrimônio longe dos comunistas que governam o país, o dinheiro é seu, declare que está mandando pro exterior e mande MESMO! Considero aqui que isso não está ao alcance dos investidores brasileiros (maioria) pelo menos no início, também tem a dificuldade do inglês (se você é adulto e não sabe inglês TOMA VERGONHA NESSA CARA! tem um trilhão de sites e apps de celular pra você aprender inglês, então deixa de ser analfabeto mundial e aprenda logo isso seu tapado).

Você também pode abrir uma conta em banco nos EUA e de lá sair comprando tudo, também não precisa se matar pra comprar e estudar ações lá, o mercado é tão rico que de lá você compra ETF do mundo todo, até da Suiça, Hong Kong ou Austrália. "Quero estudar e não quero comprar ETF, ETF só não vale a pena no Brasil! Nos EUA vale a pena SIM! Tem ETF de REIT, de ações, de renda fixa, de debêntures de empresas privadas (que pagam em dólar ou euro) e de tudo que você imaginar.
Corretoras no Exterior: Sendo bem sucinto, a mais simples é a DriveWealth que você pode inclusive colocar dinheiro na sua conta via BitCoin, abre conta pra brasileiro e tem site em português.

Outro banco fodão que achei foi o EURO PACIFIC BANK, é um banco de investimentos no Caribe, no país de San Vicent e Granadines, de um americano libertário (se você não sabe o que é o libertarianismo, se informe) você pode abrir e transferir fundos tudo via internet, e esse banco não usa RESERVAS FRACIONÁRIAS (dinheiro de mentira) - então é mais difícil ele quebrar - e esse banco NUNCA vai dizer que VOCÊ é o dono da conta. NUNCA! O EURO PACIFIC BANK usa a plataforma e o home broker do SAXO BANK que é um banco dinamarquês que negocia ativos no mundo todo, é mega foda esse SAXO BANK e seu home broker monstro.

Outro mais ou menos simples que também gostei de todas as taxas e ainda te dá uma conta bancária no exterior é o Charles Schwab, que têm vários ETFs próprios que você nem paga corretagem.
Qual a que eu mais gostei? A Interactive Brokers, alcance mundial, home broker fodão, taxas ridículas pra comprar ações (corretagens menores que 1 dóllar) - desvantagem - você precisa de U$ 10 mil pra abrir sua conta lá, depois aproveita que essa corretagem é barata mesmo e dá logo umas 80 ordens pra bagunçar, compra vários ETFs pra sua carteira, uns 10 REITS e uns 10 BONDS (sério as corretagens são ridículas). Você pode se cadastrar no site da Interactive Brokers e pegar um dinheiro de mentirinha pra ficar testando o home broker deles, é bem legal e daí comprar ações na Australia, Suiça, Cingapura, Inglaterra, EUA e etc.

Para estudar tudo isso o site MorningStar e google finance que tem o link aqui no blog é suficiente. Estou juntandos os tais U$ 10k pra abrir minha conta lá e aí começar a postar coisas bem interessantes, mas enquanto isso vou ficar só nesse falatório barato, já montei minha carteira lá e estou muito empolgado para aportar fora do Bostil e ganhar dividendos em dólar, libra esterlina e franco suiço.

Investindo no exterior você mata vários coelhos com o seu cajado:

Diversifica.
Diminui seu risco.
Faz hedge em diversas moedas pelo mundo.
Aloca seu patrimônio no exterior longe dos governos lixo do Brasil.
Pode viajar e gastar lá sem pagar imposto.
Investe em empresas fodásticas.
Investe em REITS fodásticos.
Investe em BONDS que pagam juros em dóllar ou outra moeda.
Um dia quem sabe pode se mudar de vez do Bostil.
Terá o que todos nós queremos na vida: MAIS LIBERDADE.

Estude o tema, pense a respeito.

Grande abraço,
Frugal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário